Os estímulo para o consumo estão por toda parte. É difícil não se render a uma liquidação ou a um agrado para o filho durante um passeio no shopping. Mas saiba que é possível acumular dinheiro todo mês, basta ter foco e seguir algumas regrinhas.

Atualmente, vivemos tempos complicados em termos financeiros. Muitos estão desempregados e não conseguem uma recolocação no mercado. O pior de tudo, é que a grande maioria não tem uma reserva de emergência para ajudar nos gastos futuros. Por isso, se desesperam quando notam o dinheiro acabando sem uma previsão de remuneração. Se você não quer passar por essa situação, confira as dicas a seguir!

Prepare-se para imprevistos

Algum gasto extra – o conserto do carro, uma emergência dentária ou mesmo demissão de emprego – sempre aparece para fazê-lo sair do orçamento. Mas para evitar que esses incidentes o coloquem no vermelho, faça um fundo de emergência em uma conta de fácil acesso, como o Tesouro Direto Selic. Diferente da poupança, que demora 30 dias para render, os títulos de Tesouro Direto têm rentabilidade diária. Assim, a cada dia ele rende um pouco. Saiba mais sobre Tesouro Direto aqui.

Mas quanto é suficiente para tirá-lo de uma situação complicada? É fácil. Faça os cálculos de seus gastos por um mês, do almoço na rua ao financiamento do apartamento, e multiplique o total por três. Esse orçamento operacional de três meses resulta em uma quantia assustadora? Mas isso é o mínimo que você deve ter caso ocorra uma catástrofe – literal ou figurativa – e você precise de dinheiro para superar momentos difíceis.

Evite o cartão de crédito

Sempre compramos por impulso, do mais novo eletrodoméstico para a cozinha a um livro. Fazer isso pode levá-lo a ficar no negativo. Então, como evitar que gastos saiam de controle? Siga o conselho da vovó e deixe guardado o seu cartão de crédito. É muito fácil usar o pedacinho de plástico quando acontece de você precisar apenas de leite. Em vez disso, calcule quanto vai precisar por semana para os gastos regulares – compras de supermercado, cafezinhos diários e barra de chocolate no meio da tarde. A menos que você saiba usar o cartão de crédito com consciência, dirija-se ao caixa eletrônico e saque a quantia semanal. Com a quantia limitada, você terá de pensar duas vezes antes de comprar por impulso.

Confira cooperativas de crédito

Se você precisar pegar dinheiro emprestado, talvez exista uma fonte melhor do que a financeira, o banco ou o cartão de crédito. São as chamadas cooperativas de crédito. Elas são cooperativas de negócios que não têm fins lucrativos e consequentemente cobram juros menores do que os bancos. Pessoas que fazem negócios com cooperativas de crédito – poupanças e empréstimos – são mais ou menos donas delas, porque possuem cotas de participação. Algumas cooperativas oferecem os mesmos serviços dos bancos, como pagamento de contas e até mesmo contas correntes completas. Os membros devem ter um laço que os une, ou seja, ter a mesma profissão, trabalhar para um mesmo empregador ou ser microempresários.

Faça parte da sua lista de pagamentos

A pilha de contas é infalível. Você pode estar tão ocupado em pagar a todo mundo que esquece de si mesmo. Dê uma arrancada na poupança para a aposentadoria, talvez começando a pagar um plano de previdência privada. Assim, você consegue dedução no imposto de renda sobre contribuições para previdência privada de até 12% de seus ganhos. Isso dá à maioria das pessoas grande liberdade de ação para poupar.

A grande questão é: quanto você precisa guardar para garantir uma aposentadoria confortável? Um grande banco sugere que você considere sua idade para encontrar o porcentual de ganhos brutos que deve guardar. Então, se você começar a economizar com 30 anos, guarde 15%; se começar com 50, guarde 25%. Porém, você também pode optar por outros tipos de investimento e ganhar mais dinheiro para a sua aposentadoria. Saiba melhor aqui!

Faça e siga o orçamento

Um orçamento é o primeiro passo para consegui organização financeira em casa. Por isso, os economistas sugerem três passos para que você assuma o controle do orçamento:

1º passo: mantenha um registro dos gastos e seja conservador ao estimar sua renda.
2º passo: complete o orçamento mensal.
3º passo: avalie e reduza os gastos. Decida quais itens são essenciais e de quais você pode abrir mão.

Hoje em dia, existem muitos canais no YouTube que te ensinam a lidar com as finanças pessoais. Conheça alguns clicando aqui.

Divida rendas inesperadas

Quando receber um dinheiro extra – um bônus, presente ou dinheiro por um trabalho extra –, observe as dívidas diminuírem e as economias aumentarem, usando a regra dos terços.

– Um terço para o passado Use um terço do dinheiro extra para liquidar dívidas.
– Um terço para o futuro Separe mais um terço, imediatamente, e coloque em um fundo de investimento (que rende mais do que a poupança).
– Um terço para o presente Use o terço restante para fazer a compra que queira, uma melhoria pessoal ou para sua casa.

Agora, com todas essas dicas, fica mais fácil reorganizar sua vida financeira e administrar o seu dinheiro com sabedoria. Fique atento às mudanças e esteja sempre preparado financeiramente para todas elas.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!