Você quer enriquecer? Quem não quer, não é verdade? Além de ganhar na loteria, existem outros caminhos que você pode seguir para alcançar essa meta. Neste artigo, descubra como ficar rico e construir seu patrimônio para o futuro com cinco atitudes simples. Mas não se esqueça: para conquistar esse objetivo é preciso adotar as dicas abaixo como hábitos diários, ter paciência e persistência. Então, vamos lá?

 

1: Consuma apenas o que é necessário

Essa atitude deve ser adotada em todas as compras: de alimentos e produtos de limpeza em mercados a roupas e sapatos. Afinal, evitar desperdícios ajuda a enriquecer.

Na década de 1980, com a hiperinflação aumentando os preços diariamente, as famílias passaram a comprar em grandes quantidades e a fazer estoques em casa. A partir da criação do Plano Real, em 1994, que estabilizou a economia, essa cultura começou a mudar. Os espaços nas residências também diminuíram. Assim, a cultura do desapego e a sustentabilidade vêm ganhando espaço. Comprar alimentos à granel e se preocupar mais com os prazos de validade dos produtos na geladeira; adquirir produtos de limpeza em menores quantidades; optar por peças de roupa e sapatos versáteis que combinem entre si e revendê-los ou trocá-los, são atitudes que evitam a perda de dinheiro. Controlando o consumo, sobra mais para guardar e investir.

 

2: Não faça dívidas

A menos que seja extremamente necessário, jamais faça empréstimos, parcele a fatura ou entre no rotativo do cartão de crédito. Todas essas modalidades de crédito possuem cobrança de juros, taxas, impostos e multas que podem se tornar uma bola de neve impagável e consumir toda a sua renda. O cheque especial é particularmente perigoso para as finanças pessoais e, por isso, fizemos um artigo só para ele: saiba porque nunca usar o crédito do cheque especial como renda.

Uma dívida deve ser feita somente em caso de emergências, como um tratamento de saúde ou reformas urgentes em casa. Portanto, jamais se deve fazer dívidas para comprar produtos. Fazer compras parceladas, sem cobrança de juros, ajuda a não ficar sem dinheiro no fim do mês. Mas é preciso ter o controle sobre os parcelamentos, para que caibam no orçamento e não se transformem em dívidas.

 

3: Planeje seus gastos de longo prazo

O planejamento é o segredo do sucesso. Se você tem como objetivo fazer uma grande viagem, comprar um carro ou um imóvel, faça um planejamento prévio. Financiamentos de longo prazo devem levar em conta a sua renda líquida mensal. Em regra, esses gastos não podem comprometer mais do que 30% da sua renda. Então, obter financiamentos com esses objetivos não é tão simples, e não se aconselha que sejam feitos ao mesmo tempo. O ideal é fazer um de cada vez de acordo com a necessidade real.

 

4: Controle suas finanças

Anote as despesas mensais – todas elas. Tenha o controle sobre tudo o que você gasta, e nunca gaste mais do que o que você ganha. Separe uma parcela da sua renda para os gastos mensais obrigatórios, outra para os gastos eventuais com lazer e mais uma para os investimentos e o planejamento para o futuro. Se precisar de ajuda, vejas as dicas do artigo Descubra o planejamento ideal para as suas finanças.

Por fim, a última resposta para a pergunta “Como ficar rico?” também é simples: invista e deixe seu dinheiro trabalhar por você. O primeiro passo é manter uma reserva de dinheiro que corresponda a, pelo menos, 6 meses de salário, para o caso de você ficar sem renda. Em seguida, você já pode começar a investir seu dinheiro para ter uma renda extra. Para isso, o primeiro passo é descobrir qual o seu perfil de investidor.

 

5: Faça investimentos de riscos variados

Depois de definir o seu perfil, monte uma carteira de investimentos concentrando a maior parte de acordo com as suas características, mas não ignore os demais investimentos. O mais vantajoso é conseguir combinar diferentes tipos para conseguir os melhores resultados.

Procure investir desde cedo, e se tem filhos, reserve desde os primeiros anos de vida deles pequenos valores para esse fim, quanto mais tempo mantiver o valor investido maiores serão os rendimentos. Eventuais valores extras recebidos, como prêmios, heranças, doações, 13º salários, gratificações e bônus, também devem ser reservados para os investimentos, mesmo que apenas uma parte deles.

Veja mais dicas para começar a investir e enriquecer, no artigo Uma carteira diversificada para 2018

Por Samasse Leal

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!