Você descobre que está grávida e imediatamente conclui que os próximos meses serão só de gastos! E altos! Os preparativos para a chegada do bebê vão custar uma fortuna! Enxoval, decoração do quarto, babá eletrônica, banheira, bolsa de maternidade, carrinho, bebê conforto, berço, fraldas, itens de alimentação e banho… Uma infinidade de coisas para comprar!

Espere pelos presentes

Calma! Em primeiro lugar considere que é muito comum ganhar presentes quando se anuncia uma gravidez. A maior parte das pessoas presenteia com roupinhas, sapatinhos e brinquedos. Para os amigos mais íntimos você pode sugerir outros itens, como roupas de cama e banho. Cada vez mais as pessoas perguntam o que a futura mamãe gostaria de ganhar. Por isso, nos primeiros 4 meses, não compre nada, espere pelos presentes. Principalmente enquanto não souber o sexo do bebê, não faça compras. Você pode ganhar 5 conjuntinhos de body e calça, que já são suficientes.

Planejamento é o segredo do sucesso

Contudo, como já comentamos aqui no nosso Canal de Economia: planejamento é tudo! E neste caso, não tenha vergonha de contar com a família e amigos mais próximos. A chegada de um bebê é um momento muito esperado. E quando é o primeiro herdeiro, tudo é novidade! Aproveite a euforia dos amigos e principalmente da família, mas mantenha o limite de gastos dentro do seu orçamento mensal.

Pesquise preços, pesquise sobre os produtos, e economize no que puder. Como vem ditando a moda da sustentabilidade: menos é mais. Cada presente ganho é um gasto que você deixa de ter. É comum os avós ou padrinhos presentearem com móveis ou outros itens de maior valor. Se já tiver o item oferecido, sugira outra opção de grande necessidade ou uma doação para a poupança do bebê.

6 dicas básicas e essenciais para uma gravidez tranquila e próspera:

1 – Faça uma lista

Prepare uma lista de todos os itens que você gostaria de ter no enxoval, de roupinhas a móveis. Não esqueça os itens para você, como cintas, cremes corporais que evitam estrias, roupas para amamentação, etc. Existe uma infinidade de produtos nacionais e importados que podem ter uma boa relação custo benefício. Pesquise preços. Jamais compre por impulso.

2 – Aceite heranças e itens usados ou se segunda mão

Em geral, bebês recém-nascidos usam muito pouco os itens como roupinhas e sapatinhos porque crescem muito rápido. Por isso esses itens costumam estar sempre em bom estado, mesmo sendo usados. Dê uma olhada no enxoval que sua prima ou a melhor amiga guardaram, pode ter boas peças.

3 – Pesquise brechós especializados

Berços, carrinhos de passeio e bebê conforto usados também costumam ser uma boa opção. Pesquise em lojas de revenda de produtos, brechós e grupos de desapegos em redes sociais.

4 – Evite presentes indesejados

Já sabendo que a gravidez vai ser o assunto do momento, comente sobre as lojas que você gosta. Deixe amigos e parentes saberem qual o estilo de roupinhas e de presentes você curte e gostaria de ganhar. Comente sobre os itens que você ainda não ganhou ou não comprou. Quem sabe os amigos do trabalho decidem surpreender com um presente coletivo e compram um carrinho de passeio ou uma banheira de piso.

5 – Aceite os presentes da sogra

Não importa o que seja. Se você não gostar, vai apenas ter o trabalho de trocar. Se a loja não aceitar trocas, considere vender ou trocar em grupo ou sites de desapegos. Essa é uma opção delicada, e que deve ser escolhida se não for causar brigas com o futuro papai. O momento é de manter a harmonia!

6 – Chá de bebê não pode custar mais do que os presentes

A menos que você queira festejar. Nenhum problema fazer uma festa linda para celebrar a gravidez e a chegada do bebê, desde que caiba no orçamento. Chás de fraldas econômicos costumam ser feitos na hora do almoço com os colegas do trabalho. Marque no restaurante de costume, mas leve uma torta ou lembrancinhas em agradecimento pelos presentes. Doces como brownies e bem nascidos são ótimas opções por terem baixo custo.

Leia também: Chá de bebê econômico: veja como gastar menos na festa

DICA DE OURO!

Anote esta dica! É isso que vai fazer o seu bebê ter uma reserva financeira já no dia do nascimento. Crie uma estratégia para guardar uma grana. Nós sugerimos duas para você escolher.

1. Para cada item que você comprar ou ganhar, estabeleça um valor para guardar

Sugerimos o valor de R$ 10,00 por item para depositar numa Poupança. Assim, seu bebê terá no banco um patrimônio de 10 vezes o que ele possui em coisas. Não importa o valor da compra ou do presente. Se um enxoval completo costuma ter cerca de 200 peças, seu bebê terá R$ 2.000,00 no dia em que nascer. Considere que se ele ganha uma roupinha, dificilmente terá custado apenas R$ 10,00. Você terá evitado o custo do presente que ganhou, e terá guardado uma cota para a reserva. Mas estabeleça um valor que seja possível para guardar. Ou você não vai cumprir a regra de ouro e vai deixar de fazer a reserva do seu bebê. Se você consegue guardar R$ 1,00 a cada item comprado ou ganho, foque neste objetivo. Seu bebê terá em dinheiro o valor equivalente ao total de coisas que possui.

2. Estabeleça um valor para guardar no banco a cada mês da gestação

Nós sugerimos R$ 220,00. Ao final de 9 meses de gestação, seu herdeiro terá R$ 1.980,00 guardados. Nesse caso segue o mesmo princípio, precisa ser um valor que caiba no orçamento. Se você consegue separar R$ 500,00 por mês, vá em frente.

É melhor começar a vida com R$ 200,00 reais sobrando do que com uma dívida! O importante é pensar desde cedo sobre planejar uma reserva de emergência para o seu filho. Quem sabe esse não era o empurrãozinho, a inspiração que você precisava para começar a formar uma reserva de emergência!

Boa hora e feliz dia das mães!

POR SAMASSE LEAL

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!