Se cuidar de um orçamento pode ser difícil para os adultos, imagine para crianças e adolescentes. Muitas pessoas têm essa dificuldade justamente pela falta de uma orientação que poderia ter recebido desde cedo. Se esse é o seu caso, mude o jogo e ensine seu filho desde cedo a lidar com o dinheiro. Para isso, a fixação de uma mesada educativa é uma ferramenta importante que auxilia na educação financeira.

No nosso artigo “Educação financeira para crianças” trouxemos várias dicas para introduzir o manejo das finanças desde a infância, incluindo melhor momento para apresentar o primeiro cofrinho, ensinar a guardar dinheiro e até mesmo liberar um cartão do banco. Se o seu filho já chegou na idade recomendada para a mesada, considere os pontos a seguir para ter sucesso com a estratégia:

Dica 1

A mesada nunca deve ser utilizada como moeda de troca com seu filho, seja pelo cumprimento de tarefas, seja cortando o pagamento como forma de punição, ou para conquistar o carinho ou atenção dele. O objetivo da mesada educativa é exclusivamente ensiná-lo a administrar o próprio dinheiro.

Dica 2

O valor inicialmente fixado não deve ser muito grande. A ideia é fazer com que ele perceba a importância de poupar para diversos objetivos ou para um objetivo “maior”. Se a mesada for muito alta ele não vai ter a oportunidade de vivenciar o esforço que é necessário para conquistar o objetivo de comprar um produto ou de poupar.

Dica 3

Os aumentos também não devem ser superiores a 50% do total. E também não devem ser vinculados a bom comportamento ou a premiação por desempenho na escola, por exemplo.

Dica 4

Vale a pena definir uma periodicidade para os aumentos, por exemplo, trimestral ou semestral. Assim, seu filho terá a oportunidade de fazer planejamentos futuros tendo em conta a expectativa do que pode guardar em um determinado período de tempo.

Dica 5

Garanta ao seu filho a oportunidade de precisar fazer escolhas, de abrir mão de um prazer imediato por um objetivo maior. Assim, além da educação financeira, a mesada educativa contribuir para desenvolver responsabilidade e independência. Para ajudá-lo, vários exercícios podem ser feitos para estimular a capacidade de tomar decisões relacionadas ao consumo e ao planejamento.

Dica 6

Para os adolescentes, vale a pena inclusive introduzir a leitura sobre economia e dicas de investimentos. Sugerimos que a leitura comece pelos artigos que tratam dos assuntos financeiros de forma mais geral e economia doméstica.

Por Samasse Leal

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!