Faça uma busca


|
Publicado em: 18 de outubro de 2019

Atleta do Ceará acusa torcedores do Santos de racismo

Equipe cearense transferiu questão para o jurídico do Clube; Santos se posiciona

Imagem: Ivan Storti/Santos FC

O meia Thiago Galhardo, do Ceará, acusou torcedores do Santos de racismo na partida realizada na noite desta quinta-feira (17), na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Dia da Consciência Negra: filmes para assistir e refletir

“Ato [de] racismo” foi a expressão usada pelo atleta para descrever os xingamentos que ele relatou ter ouvido no estádio em Santos.

“Acho que eles vêm ver o espetáculo, um espetáculo bonito, parabéns pela vitória do Santos… Mas o cara querer menosprezar o Fabinho, menosprezar a mim, fazer ato [de] racismo para ele, chamar de negão, vagabundo…”, disse o jogador de 30 anos, ainda na saída do campo, em entrevista ao Esporte Interativo.

Durante a partida, vencida por 2 a 1 pelos donos da casa, Galhardo chegou a discutir com torcedores, que ficam bem perto do gramado na Vila Belmiro. De acordo com ele, houve também insultos xenofóbicos aos atletas da equipe nordestina.

Ceará Santos racismo
Atleta do Ceará acusou torcedores do Santos de racismo. Foto: Ivan Storti/Santos FC

“O futebol perde sua essência. O brasileiro tem que se controlar mais. Não pode ter isso aí: o cara beber, xingar a gente… Acho que ele tinha que estudar mais, conhecer um pouco mais o Brasil, a geografia. Falar que o Ceará joga no Norte… Ou não entendo muito ou acho que estudei de sacanagem”, afirmou o mineiro de São João del-Rei.

Cultura africana: a África nas roupas e na escola

Não houve registro sobre o assunto na súmula da partida, publicada ainda na noite de quarta. O Ceará informou que levará a questão a seu departamento jurídico.

Santos se posiciona sobre episódio

O Santos publicou comunicado oficial nesta sexta-feira (18) afirmando que irá investigar as ofensas racistas e xenofóbicas por parte de torcedores santistas relatadas pelo meia Thiago Galhardo, do Ceará, ao final do confronto entre ambas equipes na Vila Belmiro na noite anterior.

“Qualquer ato de preconceito e xenofobia é absolutamente repugnante e inaceitável. Diante dos relatos passados por alguns veículos de comunicação, o Clube está investigando e irá tomar as providências cabíveis frente a quaisquer casos dessa natureza”, disse o Santos, em nota.

Já o Ceará havia informado que levaria a questão a seu departamento jurídico.

Na quinta-feira (17), ao deixar o gramado, derrotado por 2 a 1, Galhardo relatou, em entrevista ao canal Esporte Interativo, ofensas vindas de torcedores próximos ao banco de reservas do Ceará, algumas delas direcionadas ao volante Fabinho, que é negro.

“Eles [torcedores] vêm ver o espetáculo, um espetáculo bonito, parabéns pela vitória do Santos, mas o cara querer menosprezar o Fabinho, menosprezar a mim, fazer ato [de] racismo para ele, chamar de ‘negão’, de vagabundo… O futebol perde sua essência”, disse o jogador, que indicou ainda ofensas xenofóbicas.

5 benefícios da leitura que transformam sua vida

“Acho que não pode ter isso aí: o cara beber e ficar ali, ao meu ver, embriagado, xingando a gente. Acho que ele tinha que estudar um pouco mais, conhecer um pouco mais da geografia do Brasil. Falar que o Ceará joga no Norte… Ou eu que não entendo muito, acho que estudei de sacanagem.”

O ocorrido não foi relatado pelo árbitro principal da partida, Rafael Traci, de Santa Catarina, na súmula.

Folhapress

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados