Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 22 de abril de 2019

A cura pela fé – uma história real de superação

"O que posso aprender com essa situação?", perguntou Mary Safford quando se viu em meio a uma grave depressão

Imagem: arkira/Istock

Quando Mary Safford, consultora pedagógica, descobriu que estava deprimida, sentiu quase um alívio. Ela não conseguia entender a razão por que a vida lhe parecia uma eterna batalha – e chegou a concluir que a razão para isso era o fato de estar sempre se sabotando.

Mary tentou entender o que passava dentro de si

Uma vez identificado, porém, ela soube que o problema tinha solução. Primeiro recorreu à ioga, aos exercícios e a uma alimentação sem álcool, açúcar e cafeína. Passou a se sentir melhor, mas não foi o bastante. Então procurou a terapia. Ela passara por muitas experiências cedo na vida que a traumatizaram, por isso na terapia Mary trabalhou para entender o que tinha acontecido e para integrar essa nova compreensão aos seus sentimentos.

Novamente, isso a ajudou. E muito. Mas só quando Mary, uma quacre, voltou-se para a fé foi que ela começou a se sentir completa.

Leia mais: como lidar com a depressão

“A perspectiva quacre entende que você deve passar pela experiência e perguntar: ‘O que posso aprender com essa situação?’ O que está sendo exigido de mim?” diz Mary. “E o que descobri por meio do meu processo de cura é que, se eu posso me concentrar nessas duas coisas, meu foco de mantém muito mais amplo.

Apoio da comunidade religiosa foi fundamental

“Isso neutraliza a depressão”, continua ela, “porque o que ela faz é estreitar nossa visão. Você fica totalmente concentrada em ‘O que está acontecendo comigo?’. E na depressão realmente grave as pessoas podem se tornar tão focadas em quanto se sentem mal que pensam em se matar. É uma ladeira escorregadia que pode levar a pessoa à beira do precipício.”

O apoio de sua comunidade religiosa também é importante, explica Mary. “Em nossos encontros, temos uma Reunião de Cura, na qual as pessoas rezam juntas para que a cura entre sintonia com a vontade de Deus”, conta ela.

“Não necessariamente colocamos isso em palavras. Nossa intenção é que a pessoa que precisa de cura seja visitada pelo Espírito Santo e que o seu restabelecimento obedeça à vontade de Deus. Isso poderia significar o alívio dos sintomas, uma cura total ou o aprendizado das lições que vêm com as doenças. Ou poderia significar se sentir fortalecida e capaz de prosperar em meio a uma situação difícil.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados