Faça uma busca
|
Publicado em: 14 de junho de 2019

“Cresci sabendo que meu pai acreditava em mim”

Mario Vittone perdeu o pai quando criança. Mas, antes de morrer, ele escreveu ao filho pequeno uma carta que lhe causou uma grande impressão.

Imagem: Rawpixel/Istock

Meu pai tinha 44 anos e sabia que não chegaria aos 45. Queria dizer algo de valor que me ajudasse pelo resto da vida. Li sua carta incontáveis vezes desde que me foi dada por minha mãe. Uma parte sempre se destaca.

"Cresci sabendo que o meu pai acreditava em mim, e assim pude acreditar também."

“Agora, você está fingindo que não presta para nada”, escreveu. “Mas sei que, um dia, fará algo fantástico que o deixará entre os melhores.” Desde o dia em que eu tinha 12 anos e li essas palavras pela primeira vez, elas moram no meu coração.

Cresci sabendo que o meu pai acreditava em mim, e assim pude acreditar também. “Você fará algo fantástico.” Ele não sabia o que era, nem eu, mas às vezes, quando sinto orgulho de mim mesmo, lembro as palavras do meu pai e desejo que ele estivesse aqui, para que eu pudesse lhe perguntar: “Era disso que o senhor falava, papai? Devo continuar?”

Agora, muito tempo depois dos 12 anos, percebo que o meu pai teria se orgulhado quando terminei o treinamento básico. Teria se orgulhado quando me tornei salva-vidas da Guarda Costeira. Teria adorado estar lá quando um almirante pôs uma medalha no meu peito.

Mais tarde, no entanto, passei a acreditar que ele queria mesmo é que eu me orgulhasse de alguém e enxergasse a importância de acreditar nesse alguém. É hora de começar a escrever cartas aos meus filhos. É hora de nós todos fazermos isso.

Amor de mãe: o ingrediente mais importante

Os nossos filhos nos fazem as mesmas perguntas sem resposta que fazíamos.

“É isso, pai? Estou indo bem?” É por isso que toda criança, quando está crescendo, diz: “Pai, olhe para mim!” Os filhos não recuam por ter medo de errar. Eles só têm medo de errar conosco. Não temem se desapontar.

O medo deles – como o meu até que li a carta do meu pai – é nos desapontar. Dê ao seu filho permissão para ter sucesso. Se não tem filhos, escreva uma carta a alguém que o respeite. Você sabe quem é. Essas pessoas esperam que você acredite nelas. Eu sempre soube que os meus pais me amavam.

Mas confie em mim: essa crença será mais completa, esse amor será mais real e a crença deles em si será maior se você escrever no coração deles as seguintes palavras:

“Não se preocupe; você fará algo fantástico.” Não ter essa bênção de quem amam pode ser a única coisa que os impede de progredir.

Inspiração literária: o que motiva os escritores?

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


Cadastre-se GRÁTIS para continuar lendo


Você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos

Já tem cadastro? Faça login aqui.

Já sou assinante da Revista Impressa

close