A inteligência por si só não nos basta. Muito cedo no nosso desenvolvimento é importante sermos socialmente aceitos e bem-sucedidos, podermos integrar-nos em grupos e estabelecer relações fortes. Quem não aprender isto vai rapidamente sentir-se marginalizado.

QI em jogo

O Quociente de Inteligência (QI) vem sendo utilizado para medir a capacidade cognitiva de um indivíduo desde o século passado. Porém, hoje já se discute se esse teste é realmente eficaz. E isso porque a determinação do QI nada revela sobre autodisciplina, perseverança ou ambição. Características que são mais importantes para o sucesso na vida do que a inteligência.

Pensamento estruturado: o segredo da inteligência nas tarefas do dia a dia

Não é verdade que muitas vezes o melhor aluno da turma se torna mais tarde uma nulidade no trabalho? E que aquele aluno que passa de ano com dificuldade acaba tendo muito sucesso?

Todos conhecemos várias pessoas que têm sucesso tanto nas suas relações sociais, como no casamento e na educação dos filhos, mesmo que a princípio não as considerássemos especialmente inteligentes. Por que isto é assim?

A parábola do bosque

A resposta é dada pelo pesquisador Robert J. Sternberg na parábola dos dois rapazes que passeiam pelo bosque. Os professores, os pais e os amigos do primeiro rapaz acham-no muito desembaraçado, portanto ele pensa o mesmo de si próprio.

Boas notas, diplomas e cartas de recomendações vão proporcionar-lhe uma carreira de sucesso. O segundo rapaz não é considerado especialmente inteligente. As suas notas são medianas. Em todo o caso, são atribuídas certas qualidades, como um bom entendimento das pessoas e esperteza.

Certa vez, enquanto passeavam pela floresta, encontraram um enorme urso. O primeiro rapaz calculou matematicamente que dentro de 20,3 segundos o urso já os teria apanhado e entrou em pânico. O seu amigo, no entanto, livrou-se calmamente dos sapatos e calçou um par de tênis.

“Você está maluco?”, gritou o primeiro. “É impossível corrermos mais depressa do que o urso!” “Eu sei, mas eu só tenho de ser mais rápido do que você!”, respondeu o segundo rapaz.

Inteligência para o sucesso vale mais

O primeiro rapaz compreendeu, de fato, o problema mais rapidamente, mas não foi muito longe nas suas conclusões. O segundo reconheceu o problema e chegou a uma solução criativa, reagindo com prontidão a uma situação desconhecida.

Este rapaz utilizou a inteligência dirigida para o sucesso, uma mistura de entendimento e sensibilidade indispensáveis para alcançar objetivos.