Faça uma busca
|
Publicado em: 11 de outubro de 2019

Cabelegria: a ONG que transforma cabelo em perucas para doação

No mês da campanha contra o câncer de mama conheça o trabalho de uma ONG que busca melhorar a autoestima de mulheres e crianças que perderam seus cabelos.

Imagem: © DIVULGAÇÃO

Quando a designer Mariana Robrahn cortou os longos cabelos e quis doar para a Santa Casa da Misericórdia, descobriu que o hospital não tinha como confeccionar as perucas. Com a ajuda da publicitária Mylene Duarte, ela então decidiu “fazer o que era preciso para entregar as perucas prontas”, conta Mariana.

Assim surgiu a ONG Cabelegria, que hoje produz mais de seis mil perucas e conta com um banco de perucas móvel percorrendo algumas cidades do país.

O trabalho de Mariana à frente da Cabelegria começou a ficar conhecido após a criação de um perfil numa rede social. Com uma semana no ar, a página da ONG já contava com mais de 5 mil inscritos.

O passo seguinte foi buscar parceiros e costureiras para executar a tarefa de transformar os fios recebidos e montar uma estrutura para dar conta das doações que chegavam. Em março de 2014, a Cabelegria conseguia produzir cerca de 16 perucas por mês. “Eu lembro até hoje da primeira peruca feita por nós, que foi doada à Ana Júlia, de 10 anos, moradora da cidade de Santa Rosa do Viterbo, em São Paulo. Ela enfrentava um linfoma e ficou felicíssima ao receber a peruca. Nada paga ver a satisfação de uma criança, como a da Ana Júlia”, destaca Mariana.

Perucas “on the road”

Atualmente, a Cabelegria conta com mais de 200 mil doações, vindas de todo o mundo. A ONG possui uma rede de parceiros que não para de crescer e seis bancos de perucas.

Com o sonho (realizado) de expandir fronteiras e ir além dos hospitais da cidade de São Paulo, a ONG criou o inovador serviço de banco de perucas móvel, um caminhão personalizado, equipado como um salão de beleza. No seu interior, penteadeiras e prateleiras exibem diversos modelos e cores de perucas. Esse serviço chega a hospitais e clínicas de algumas cidades e, eventualmente, a outros estados para atender os pacientes em tratamento contra o câncer. “Trata-se de um serviço único em todo o mundo. As crianças fazem a festa com tanta variedade e são elas que escolhem seus modelos”, conta Mariana.

Os destinos do banco móvel são divulgados no site da Cabelegria. “O foco é a entrega final da peruca para as crianças e adultos que enfrentam o câncer”, acrescenta Mariana. “Já chegamos com o nosso caminhão até os hospitais Mario Kroeff e Andaraí e à Casa Ronald McDonald, no Rio de Janeiro. E também à APPO (Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos), em Petrópolis. Pensamos em ir mais longe, em rodar o país com o nosso banco de perucas.”

Em São Paulo, as doações chegam ao GRAAC, à Casa Hope, à Casa Ronald Mc Donald e ao Itaci (Instituto de Tratamento do Câncer Infantil), entre outros. “Do nosso ponto de vista, ganhamos muito mais do que doamos. Quando deparamos com a alegria dessas crianças ao receber sua peruca, mesmo em sofrimento, vejo como são leves os meus problemas”, finaliza Mariana.

Gostou do projeto e quer ajudar? Visite a página da Cabelegria e veja como você pode ajudar a melhorar a autoestima de mulheres e crianças que perderam os cabelos devido ao tratamento contra o câncer.

POR MÁRCIO GOMES

Leia também a importância de doar qualquer coisa, inclusive tempo!

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close