Quem nunca escutou em festas juninas, a seguinte canção:

“O balão vai subindo, vem caindo a garoa.

O céu é tão lindo e a noite é tão boa.

São João, São João!

Acende a fogueira no meu coração…”

São João é o segundo dos santos celebrados em junho e aos quais são dedicadas as festas juninas: Antônio (13 de junho), João (24 de junho) e a dupla Pedro e Paulo (29 de junho).

Mas por que 24 de junho é dia de São João: o dono das festas juninas?

Porque se acredita que João Batista – primo de Jesus e aquele que o batizou – tenha nascido nessa data. Dizem até que antes as festas eram chamadas “joaninas” em homenagem a ele, e não “juninas” por acontecerem em junho.

São João também é conhecido como o “Santo Festeiro” – e, se as festas de então eram parecidas com as festas juninas de agora, vamos combinar que ele tinha toda razão! Em todos os cantos do país, principalmente no interior, essas festas são aguardadas com expectativa, pois além da quadrilha, da fogueira para afugentar o frio, das brincadeiras (como o pau de sebo e as barraquinhas de pescaria e prendas), elas oferecem uma variedade de delícias que enchem de água a boca: arroz doce, pé de moleque, paçoca, quindim, cuscuz, e mais uma variedade de quitutes à base de milho: milho cozido, pamonha, curau, canjica. Ou se você preferir pode fazer em casa também as deliciosas receitas de festa junina.

Muita gente repete nesse dia as simpatias feitas no dia de Santo Antônio para arranjar namorado. Mas mesmo que você já tenha encontrado o seu par, uma sugestão para noite de São João, que tem fama de ser a noite mais fria do ano, é encontrar perto de você uma festa junina (em um clube, igreja, escola ou mesmo na rua), fazer uma maria-chiquinha ou colocar um chapéu de palha, tomar um quentão e consumir as calorias adquiridas com as delícias das barraquinhas dançando quadrilha em volta da fogueira.

É só entrar na fila e seguir os passos: Anavantur, Anarriê, o Caracol, Olha a Chuva, e muito mais.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!