Sororidade! Se você já ouviu essa palavra, já deve ter se perguntado: afinal, o que significa isso? Apesar do conceito não estar no dicionário, sororidade quer dizer irmandade (em latim, sóror = irmãs). Mas podemos dizer que significa mais: empatia e união entre mulheres. Representa qualquer apoio que se possa dar a todas as mulheres que precisam, que conhecemos e que não conhecemos.

Mas, como fazer isso no dia a dia? Basicamente, praticando verdadeiramente a solidariedade. Na nossa sociedade atual, qualquer gesto solidário pode mudar a vida de muitas mulheres. Não precisa ser um ato grandioso, o simples ato de ouvir já é um primeiro passo. Para ir mais além, confira outros gestos que você pode fazer para praticar a sororidade.

1 – Acabe com o mito da rivalidade

Mulheres não devem enxergar outras mulheres como inimigas. Esse hábito que é incentivado no universo feminino desde cedo gera apenas desunião e dificulta a sororidade. Portanto, não alimente esse tipo de comportamento entre crianças e também não incentive outras mulheres a serem assim; por nenhum motivo! O mundo tem espaço para todas, e a conversa é sempre o melhor caminho.

2 – Apoie outras mulheres

Praticar a sororidade não significa ser amiga de todas as mulheres, mas apoiar e aconselhar quando necessário. Muitas vezes, uma pessoa que está passando por uma dificuldade precisa apenas de um amparo, aconselhamento ou incentivo. Não hesite em doar um pouco do seu tempo nessa tarefa. Além disso, seja verdadeira com suas amigas. Ser sincera também é uma forma de cuidado.

3 – Valorize o trabalho de outras mulheres

O número de desempregados é alto no nosso país. E a quantidade de mulheres desempregadas é ainda maior do que a dos homens. Muitas precisam apenas de um empurrãozinho para melhorarem sua condição financeira e você pode ajudar nesse desafio. Indique mulheres capacitadas para vagas abertas, divulgue nas redes sociais iniciativas de empreendedorismo feminino, compre produtos feitos por mulheres, elogie! Pequenos atos como esses podem ajudar muita gente.

4 – Evite julgamentos

Sabemos que é natural do ser humano fazer julgamentos, categorizar pessoas. É praticamente automático. Porém, em uma sociedade como a nossa, julgar outra mulher por seus atos, escolhas, roupas, hábitos etc. pode causar sérios danos. Antes de apontar o dedo, pratique a sororidade e não faça juízo de valor.

5 – Compartilhe seus conhecimentos

Conhece outra mulher que precisa aprender um idioma para conseguir um emprego? Ou que necessita de conhecimento profissional para criar seu próprio negócio? Com certeza há várias! Então, busque essas pessoas e ofereça seus conhecimentos, lhes dê ferramentas para melhorar de vida. Tire um tempo para ensinar e ver crescer outras mulheres. Isso também é sororidade!

6 – Seja empático!

Se colocar no lugar do outro pode ser um conselho bem clichê, mas muito útil quando o assunto é a maternidade. Mulheres podem ser mães de diversas formas: mães de primeira viagem, solo, que trabalham fora, que têm 3 filhos etc. Não importa! Todas precisam de uma rede de apoio. Mas se você não conhece nenhuma mãe que você possa ajudar diretamente, seja ao menos empático. Evite julgamentos, não dê palpites e, acima de tudo, respeite!

Praticar a sororidade é enxergar outras mulheres como membros de uma só família. Num mundo com tantos preconceitos precisamos nos apoiar de verdade, ajudar a levantar outras mulher e promover conquistas.

Por Thaís Garcez

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!