Faça uma busca
|
Publicado em: 31 de agosto de 2021

Por que ter uma rede de apoio é tão importante?

A ajuda de amigos, familiares e até mesmo de profissionais não deve ser negligenciada

Imagem: bernardbodo/iStock

Mesmo as pessoas mais reclusas ou tímidas necessitam de uma rede de apoio com contato humano. Não somos, por natureza, animais solitários, e a solidão absoluta pode ser prejudicial à saúde mental. Experiências feitas com voluntários que foram completamente privados de estímulos sensoriais resultaram em alguns sintomas inusitados, incluindo ideias delirantes e alucinações.

Quem consegue criar e manter uma rede de pessoas próximas costuma apresentar menores níveis de ansiedade e depressão. Além disso, quando se sente deprimido ou ansioso, considera o apoio disponível benéfico para a manutenção do tratamento.

Rede apoio profissional

Muitos pensam que redes de apoio são compostas apenas por amigos e família. De fato, contar com o apoio de pessoas próximas a você é muito importante. No entanto, a ajuda profissional também deve ser considerada. É comum que todos tenham problemas. A vida é repleta de inconstâncias, bons e maus momentos. Em meio a tudo isso, sentimos a necessidade de pedir ajuda a alguém. Acontece que alguns problemas podem ser resolvidos com a ajuda de pessoas conhecidas e outros não.

Leia também: Conheça os profissionais especialistas em saúde mental

Imagine que você está sentindo uma leve dor de cabeça. O comum é que você não vá ao médico, simplesmente tome uma aspirina ou outro remédio do gênero. Agora, pense que você sofre de uma terrível enxaqueca. Um remédio simples não será de grande ajuda. O que você precisa é de orientação médica. O mesmo ocorre quando falamos de saúde mental.

Há alguns anos, falar sobre se consultar com um psicólogo poderia ser considerado um tabu. Ainda hoje, há certos preconceitos quanto a esse tema, contudo, aos poucos, as pessoas estão percebendo que falar sobre saúde mental é tão importante quanto falar sobre a saúde física.

Por isso, se você estiver lidando com problemas sérios demais e sentir que conversar com seus amigos e familiares não é o suficiente, procure ajuda profissional.

Quando a rede de apoio é necessária?

Quando se fala em saúde mental, talvez você pense logo em problemas como ansiedade ou depressão. Porém, esse tema é muito mais amplo do que isso. Talvez você não sofra de nenhum desses dois males, mas lute contra algum vício. Ou então perdeu alguém que amava, recentemente. Ou esteja lutando contra uma grave doença. Todos esses casos afetam o psicológico de qualquer pessoa.

Dessa forma, seja qual for o caso, não deixe de buscar ajuda. Busque aquelas pessoas a quem você mais ama e se abra com elas. Conte seus problemas. Às vezes, simplesmente botar para fora ajuda. Mas, como dito acima, a ajuda profissional nunca deve ser negligenciada.

A rede de apoio nem sempre tem de oferecer ajuda na área psicológica. O apoio prático em determinadas áreas da vida pode ter a mesma importância. Um exemplo é o aconselhamento financeiro. Muitas pessoas têm enormes dificuldades financeiras. Quando confrontadas com esses problemas, sua tendência natural, mas insensata, é tentar ignorá-los, esperando que desapareçam, o que obviamente não acontece. Em vez disso, embora seja difícil, é importante adotar uma conduta prática, e é nesse ponto que órgãos de apoio profissional podem ser muito úteis.

Da mesma forma, quem tem dificuldades de relacionamento pode obter apoio prático essencial em organizações que começaram oferecendo orientação a casais com problemas conjugais, mas que se adaptaram aos novos tempos e atualmente abrangem relacionamentos de todo tipo.

Grupos como os Alcoólicos Anônimos ajudam os dependentes de álcool. Os parentes ou cuidadores de alcoólatras também podem receber apoio. Os usuários de drogas e seus parentes são auxiliados por organizações, e a impressão é que existe uma instituição de apoio para cada problema.

Disque ajuda

Atualmente, muitas organizações oferecem atendimento telefônico, que pode ser uma mina de informações práticas e sensatas, sobretudo acerca de recursos locais relevantes. Instituições como o Centro de Valorização da Vida (CVV) oferecem apoio emocional. Pessoas aflitas podem ligar a qualquer hora e serão ouvidas por alguém solidário. Os serviços de ajuda bem administrados reconhecem o valor que tem a simples atenção aos problemas de alguém. Quem busca apoio não está necessariamente procurando conselhos, mas quase sempre aprecia um ouvinte compreensivo e solidário.

Hoje muitas pessoas têm acesso à Internet, que, aparentemente, oferece recursos de ajuda e apoio quase ilimitados. A qualidade e o valor das informações e do apoio obtidos em websites são variáveis; portanto, é melhor consultar páginas associadas a hospitais, associações profissionais e grupos de apoio conhecidos.

Leia também: Psicólogo online: o que saber antes de fazer terapia à distância

Há organizações que oferecem apoio a pessoas em dificuldades por meio de atendimento telefônico, e-mail ou reuniões em grupo. Algumas delas atendem a diversos tipos de problemas. Outras têm um enfoque mais restrito. Algumas dessas são:

  • 188 – CVV: o Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio.
  • 136 – Disque Saúde: fornece orientações sobre doenças e como ter uma vida mais saudável.
  • 0800 541 0197 – Disque Aids: promove a prevenção de doenças e oferecer auxílio a pessoas vivendo com HIV/Aids.
  • (11) 3315-9333 – Alcoólicos Anônimos: fornece apoio a pessoas que lidam com o alcoolismo.
  • 180 – Central de Atendimento à Mulher: canal para denunciar e buscar ajuda para vítimas de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


Cadastre-se GRÁTIS para continuar lendo


Você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos

Já tem cadastro? Faça login aqui.

Já sou assinante da Revista Impressa

close