O atendimento psicológico online é um dos serviços com crescente demanda durante a pandemia do novo coronavírus. Importante para manter as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS) de isolamento social, as consultas à distância não são uma prática nova, mas vêm sendo descobertas por muitas pessoas (clientes e profissionais) durante o período de quarentena.

A crise proporcionada pelo Covid-19 fez com que muitos psicólogos passassem a oferecer o serviço remoto de forma individual por meio de apps como WhatsApp e Facebook. No entanto, existem diversas plataformas que já ofereciam psicólogo online no Brasil há algum tempo, e que contam com aplicativos próprios para o atendimento via celular.


Leia também: Coronavírus: por que ‘distanciamento social’ é importante?

Imagem: invincible_bulldog/iStock

Para quem está conhecendo esse universo agora, é importante entender algumas questões sobre regulamentação antes de continuar. A atividade é prevista pelo Conselho Federal de Psicologia, no entanto requer o Cadastro e-Psi.

Em caráter extraordinário, o Sistema Conselhos de Psicologia do Brasil comunica que para os meses de março e abril de 2020, não será necessário aguardar a confirmação da plataforma para começar o trabalho remoto.

“A medida se deu para tentar atenuar os impactos do vírus na sociedade, assim como para facilitar o atendimento e o trabalho das(os) psicólogas(os), tão necessário para a saúde mental da população, especialmente em um momento de pandemia, no qual há implicações emocionais de uma possível quarentena e de aspectos psicológicos do isolamento”, diz a nota.


Imagem: Microne/iStock

A seguir, veja algumas perguntas e respostas sobre o atendimento psicológico online.

1. É seguro ter uma consulta com psicólogo online?

De acordo com o Sistema Conselhos de Psicologia, no atendimento psicológico online, os profissionais devem continuar seguindo a conduta técnica e ética às quais são submetidos em serviço presencial. Isso inclui a garantia do sigilo e confidencialidade, bem como o oferecimento de atendimento por meio de dispositivos adequados de forma a manter a qualidade do serviço prestado.

2. Crianças e adolescentes podem ter consulta psicológica online?

Psicólogos podem fazer o atendimento online de crianças e adolescentes. No entanto, o Sistema Conselhos de Psicologia exige que o serviço seja prestado somente mediante autorização expressa de ao menos um dos responsáveis legais.

3. Posso ter consulta com psicólogo online de forma gratuita ou muito mais barata do que o valor médio de mercado?

O oferecimento de serviços de forma gratuita é decisão do profissional. O que não pode acontecer, segundo as normas do Sistema Conselhos de Psicologia do Brasil, é a propaganda sensacionalista de serviços atrelada a descontos e promoções.

4. Como saber se meu psicólogo tem cadastro no e-Psi?

É importante ressaltar que, como dito anteriormente, neste período dos mês de março e abril de 2020, profissionais não precisam esperar o cadastro ser aceito no e-Psi para prestar serviço online. No entanto, se você quiser usar essa informação como um requisito na hora da escolha, é possível consultar se o seu psicólogo está cadastrado utilizando a busca por nome no site e-psi.cfp.org.br/psicologas-cadastradas/.

5. Onde posso encontrar atendimento psicológico online?

Alguns exemplos de startups populares que prestam esse tipo de serviço são Psicologia Viva, Zenklub e Vittude. Em algumas, é possível utilizar convênio com plano de saúde, mas essa oferta não é obrigatória ao profissional. Essas empresas contam com websites e aplicativos para Android e iPhone (iOS).

No caso do Psicologia Viva, há a possibilidade de consulta grátis para residentes em São Paulo até o dia 31 de março em função do coronavírus. Para agendar, basta acessar o site (www.psicologiaviva.com.br) e preencher um cadastro com seus dados e horário de preferência.