Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Artigo exclusivo para assinantes!
Cadastre-se para continuar lendo!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 21 de janeiro de 2021

Saiba quais frutas e legumes são liberados para cães e gatos

Especialistas em nutrição animal dão dicas de como você pode cuidar melhor da alimentação do seu pet.

Imagem: Kozorog/iStock

Algumas mudanças de hábitos adotadas durante a quarentena também influenciaram na convivência dos pais de pet com seus bichinhos de estimação. Nos últimos meses, passamos a ver nas redes sociais, muitas pessoas oferecendo frutas, legumes e carnes para os seus filhos de quatro patas ou trabalhando no preparo de rações totalmente naturais.

Mas, você sabe quais frutas, legumes e proteínas podem ser consumidas pelo seu cão ou gato e o que fazer caso ele tenha alguma reação alérgica? Para não deixar dúvidas sobre a alimentação ideal e o bem-estar dos pets, conversamos com a médica veterinária Tatiana Carpinter e a médica veterinária nutricionista Carolina Sant’Anna.

Organismo dos cães e gatos

A saúde do animal e dos seres humanos tem aspectos muito diferentes, mas ambas as espécies necessitam de uma dieta balanceada para viverem bem, é claro. Enquanto o homem ingere as substâncias essenciais por meio de alimentos como legumes, grãos, frutas, verduras e carnes, na maioria das vezes, os cães e gatos comem a ração industrializada.

A ração industrializada oferece todos os nutrientes que os pets precisam
A ração industrializada oferece todos os nutrientes que os pets precisam. (pedphoto36pm/iStock)

O aspecto pode não ser bom para quem vê de longe, mas ela é extremamente benéfica por ter o seu valor nutricional calculado de forma precisa para raças, tamanhos e necessidades dos animais, como explicado pela Dra. Tatiana.

“As rações industrializadas têm o benefício de serem totalmente calculadas quando se fala em proteínas, carboidratos, sais minerais etc. Ela é balanceada e é simples escolher o melhor tipo, porque vem descrito na embalagem para o que ela serve, atendendo as devidas medidas de nutrientes necessários para determinado problema ou raça. Além disso, são facilmente ministradas pelos tutores, enquanto a alimentação natural exige mais responsabilidade”, explicou a veterinária.

Os cães são animais carnívoros, enquanto os gatos são carnívoros estritos. Sendo assim, a veterinária nutricionista Carolina Sant’Anna garante que, além da alimentação com ração, todo o tipo de carne pode ser oferecido aos felinos, incluindo ovos.

Mas é importante que a quantidade seja calculada de acordo com o animal. Por isso, o tutor deve buscar um bom profissional que trabalhe com nutrição ou um zootécnico.

“Os benefícios de oferecer uma dieta equilibrada é a fonte de qualidade de vida e longevidade aos nossos pets”, afirma a Dra. Carolina.

Frutas e legumes liberados para os pets

A expressão “o cão chupando manga” nunca fez tanto sentido. Aliás, eles adoram a fruta! E para consumi-la de forma correta, basta que esteja sem a casca e sem o caroço. Além da manga, a cenoura, que é um legume super tradicional nas casas brasileiras, oferece diversos benefícios para a saúde dos cães e gatos e melhora o aspecto do pelo dos animais. Ela pode ser oferecida, principalmente, ralada e cozida, para facilitar a mastigação.

Manga é uma das frutas favoritas dos cães
Manga é uma das frutas favoritas dos cães (Danibe/iStock)

“A cenoura faz bem para a pele e mucosas, além de ser uma fonte de fibras, minerais (como fósforo, potássio, cálcio e sódio) e vitaminas (A, B2, B3 e C). Também possui os carotenoides, que são responsáveis pela prevenção de problemas cardiovasculares, câncer e outras doenças crônicas”, explicou a Dra. Carolina Sant’Anna.

A especialista aponta que existe uma grande diversidade de frutas que podem ser dadas aos cães e gatos, e a maioria deles gosta de banana, mamão, abacate, melancia e tangerina.

Porém, há outras que são tóxicas e não devem ser dadas de maneira alguma, são elas: carambola, uva, uvas passas, açaí e guaraná. Os humanos também não podem oferecer em nenhuma hipótese alimentos como cebola, cebolinha, macadâmia, café, cacau, chocolate e alho.

De acordo com a nutricionista veterinária, as frutas podem ser dadas como um complemento à alimentação do animal, um petisco saudável.

“A maioria das frutas podem ser ofertadas como petisco. Eu indico 10% a mais do valor total que ele come de comida por dia. Vou exemplificar: se seu pet come 300g de comida / ração, você pode oferecer no máximo 30g de petiscos por dia. Isso porque ele pode vir a ganhar peso e sabemos que o aumento de peso pode gerar várias doenças”, explicou.

Vai um picolé nesse calorão?

Estamos no auge do verão, e os pets também querem se refrescar. Uma ótima recomendação para essa estação e outros dias quentes é oferecer aos animais frutas ou um suco de frutas congelado.

Picolé de suco de frutas
Picolé de suco de frutas é uma ótima opção para refrescar os pets nos dias quentes (Nils Jacobi/iStock)

Mas, por recomendação da própria nutricionista Carolina Sant’Anna, que criou um curso inédito no mundo de petiscos para os pets, o Vet Gourmet Nutri dos Pets, os tutores podem ir além e fazer mais receitas que vão deixar o dia a dia dos animais muito mais feliz, com toda a certeza.

“Frutas e suco congelados são uma excelente opção, assim como receitas de sorvete (feito com iogurte sem lactose e açúcar e fruta) e de picolé para pets (feito com água e a fruta batida no liquidificador ou cortada em pequenos pedaços)”, explica Carolina.

Ração natural é uma boa opção?

Você já ouviu falar na ração natural para cães? Muitos pais de pet optam por fazer a própria comida do seu animal ao invés de comprar as rações industrializadas. Apesar de parecer uma opção muito melhor, ela não oferece todos os nutrientes necessários para o animal. Por isso, uma dieta mais natural deve ser feita por um especialista em nutrição veterinária.

Ração natural
A comida natural para cães e gatos deve se seguir uma dieta recomendada por nutricionistas veterinários (Zontica/iStock)

“Cozinhar para seu filho de quatro patas não é tão simples. A alimentação natural não oferece todos os nutrientes necessários para manter o animal saudável e precisa ser suplementar. Mas, para quem já anda se aventurando, indico que cozinhe sempre muito bem os vegetais e carboidratos e também as carnes antes de oferecer. Como podemos colocar alguns temperos, é mais importante ainda a orientação nutricional para os pais de pets saberem o que poderão colocar para a comida ficar mais saborosa”, explicou a veterinária nutricionista Carolina Sant’Anna.

Se você já levou o seu pet em uma nutri e anotou todas as recomendações para fazer uma ração natural que vai fornecer todas as substâncias essenciais para o organismo do animal, ainda deve considerar que a troca da ração seca para a alimentação natural deve ser gradativa e durar entre 7 e 10 dias.

“O humano deve colocar uma porção da ração seca e uma porção da comida. Depois do período de transição, o pet já poderá ficar somente com a alimentação natural”, concluiu a especialista.

Saiba o que fazer em caso de intoxicação ou alergia

Não é comum que os animais tenham alergia a alguma das frutas ou legumes mencionados na matéria, mas incidentes podem acontecer. Por isso, se você optar por incluir frutas e legumes na alimentação do seu pet, fique atento para o caso de surgirem reações alérgicas ou sintomas de intoxicação.

“As alergias alimentares vão se manifestar, principalmente, na pele no animal, com o surgimento de feridas. Já quando ocorre uma intoxicação, os sintomas costumam aparecer bem rápido e podem causar, por exemplo, vômitos, diarreia e sangramento nas fezes. É de extrema importância que o tutor leve o pet imediatamente a um veterinário se ele apresentar algum desses sintomas, até para o caso de ser necessária uma dieta de exclusão, que serve para identificar o alimento que pode ter gerado esse mal”, concluiu a médica veterinária Tatiana Carpinter.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados