Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 1 de novembro de 2020

Como cuidar de cães e gatos idosos

Com algumas medidas simples você pode manter o seu amigo de quatro patas feliz e em segurança.

Imagem: Bigandt_Photography/iStock

Não é só a expectativa de vida do ser humano que está aumentando. Nossos cães e gatos também estão vivendo mais, principalmente por causa da melhora na nutrição e na assistência médica. Em geral, cães e gatos são considerados idosos por volta dos 8 anos. Com as raças de cães grandes e gigantes isso acontece mais cedo – dos 5 aos 7 anos. Reconhecer que seu animal é idoso é o primeiro passo para tratar de sua saúde e seu conforto. Confira 4 dicas que ajudarão você a cuidar dos pets mais velhos!

1. Alimentação

Os idosos precisam de uma alimentação balanceada com menos calorias, proteínas e gordura e mais fibras. Às vezes, a ração seca é dura demais para os animais mais velhos mastigarem. Caso seu bichinho tenha dificuldade, troque por um alimento mais macio, umedeça a ração com água ou caldo ou, talvez, prepare comida caseira. Converse com o veterinário sobre as necessidades alimentares de seu animal idoso.

Leia também: 2 receitas de biscoitos para pets que vão fazê-los te amar ainda mais

2. Exercício e peso

É importante que os cães se mantenham ativos e pratiquem exercícios suaves de acordo com sua saúde e capacidade. Seu amigo de quatro patas, que antes gostava de passeios enérgicos, pode ficar mais contente com caminhadas curtas e mais lentas. Não é raro que cães e gatos engordem com a idade. O excesso de peso pode predispô-los a doenças cardíacas e diabetes e contribuir para a osteoartrite. Fique de olho no peso e avise ao veterinário se perceber qualquer mudança significativa.

3. Mudanças na saúde e no comportamento

É inevitável que os animais desacelerem com a idade, mas às vezes essa mudança pode ser sintoma de problemas subjacentes. Observe alterações como excesso de sede ou urina, perda do treinamento doméstico ou dificuldade para se levantar, subir escada ou entrar no carro. O surgimento de caroços ou calombos, dificuldade em respirar, sangramento das gengivas, diarreia ou vômitos, além de mudanças no padrão do sono, também podem preocupar. Os animais podem ter doenças semelhantes à demência quando envelhecem. Se seu bichinho parecer confuso, esquecer coisas básicas como o treinamento de urina e fezes, começar a latir ou uivar ou ficar agressivo, a consulta veterinária deve ser o primeiro passo.

4. Bem-estar geral

Os cães idosos não aguentam tão bem os extremos de temperatura; cuide de seu bem-estar nos dias muito quentes e os mantenha longe da umidade e do vento no tempo frio. O banho e a tosa continuam importantes, e são a oportunidade ideal para procurar caroços e calombos incomuns, pulgas, problemas de pele ou úlceras de pressão. O veterinário recomendará alimentação e tratamentos a fim de assegurar que seu amigo continue a levar uma vida confortável.

Leia também: 15 segredos revelados pelos veterinários

Como dar mais conforto a animais idosos

Caes e gatos idosos
Imagem: abdelali ghayour/iStock
  • Peça ao veterinário medicamentos para aliviar o desconforto da dor nas articulações e da rigidez muscular.
  • Ajude os gatos a se limparem, principalmente sob a cauda e atrás das patas traseiras.
  • Caso seu cão tenha problemas de mobilidade, compre uma rampa para ajudá-lo a entrar e sair do carro.
  • Coloque pedaços de tapete ou roupa de cama onde seu cão descansa para ajudá-lo a se levantar do piso escorregadio.
  • Verifique as unhas, que talvez não se desgastem com a redução da atividade e tenham de ser aparadas.

POR DRA. KATRINA WARREN

A Dra. Katrina Warren é veterinária em Sydney, na Austrália. Apresentou vários programas de TV sobre animais de estimação na Austrália e no canal Animal Planet, dos Estados Unidos.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados