Faça uma busca
|
Publicado em: 31 de março de 2021

Mitomania: você conhece a doença da mentira?

A patologia pode estar associada com outras doenças psicológicas e psiquiátricas.

Imagem: SIphotography/iStock

Dia 01 de abril é conhecido como o Dia da Mentira. Nessa data, é muito comum as pessoas se reunirem para pregar uma peça em amigos e familiares, mas você sabia que existe uma doença conhecida como a doença da mentira?

A mitomania é definida como o desejo de mentir compulsivamente sobre qualquer assunto, independentemente da situação. Trata-se de um mecanismo consciente exagerado que pode ser acionado por diversos motivos, dentre eles a autoproteção ou falseamento da realidade, fazendo-a parecer melhor do que realmente é.

Leia também: Transtorno de Personalidade Borderline: você sabe o que é?

Como identificar um mitomaníaco?

O mitomaníaco muda sua própria realidade para parecer mais atraente ou aparentar ter mais do que tem. A mentira relacionada à mitomania é muito diferente da mentira social, contada para evitar um desentendimento, por exemplo.

Outro ponto é que o mitomaníaco não sente culpa ao contar a mentira, por mais exagerada que seja. Embora ele não sinta culpa, ele também não age de má-fé. Isso acontece porque, para ele, mentir já se tornou algo natural, pois esconde sofrimentos em que resultam nesse estado de semiconsciência da mentira.

Alguns sinais aparentes são:

  • Excesso de felicidade ao contar histórias;
  • Muitos detalhes e histórias longas demais;
  • Tendência ao vitimismo ou heroísmo;
  • Diversas versões para uma mesma história;
  • Respostas elaboradas demais para perguntas simples.
mentira
O mitomaníaco não sente culpa em contar mentiras. (Ilustração: romeocane1/iStock)

A mitomania está relacionada a outras doenças?

A pessoa que mente compulsivamente possui o quadro de outras doenças psiquiátricas e psicológicas, como o transtorno de personalidade antissocial. A condição também pode estar associada a algum tipo de compulsão, como por exemplo a compulsão por álcool, drogas, comida ou compras.

Leia também: 10 dicas para controlar a compulsão alimentar

Dessa forma, uma pessoa compulsiva pode mentir para pessoas próximas, alegando que não está usando drogas, por exemplo. Então, isso pode agravar o problema e se tornar um vício, o que pode gerar ou piorar a mitomania.

Por não ser pego em suas mentiras, o mitomaníaco pode se isolar de amigos e familiares. Portanto mascara a sua própria realidade fazendo acreditar que vive em outro ambiente. Por outro lado, o mitomaníaco só pode se tornar uma ameaça se tiver ligação com outra patologia grave, como a sociopatia.

Qual o tratamento?

O mitomaníaco não acredita que suas mentiras sejam uma patologia, portanto é difícil fazê-lo pedir ajuda. O ideal é acolher o mitomaníaco de forma compreensiva e jamais confrontá-lo.

Se ele reconhece que mente compulsivamente é um ponto positivo para tentar começar um tratamento. Caso contrário a melhor opção é pedir ajuda aos familiares.  

O principal tratamento para a condição é feito com psicoterapia, pois somente nesse processo ele entende que seus desejos não condizem com a realidade. Assim, ele pode identificar gatilhos que levam à fuga da mentira.    

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados