Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 5 de maio de 2021

Ginecomastia: entenda causas do crescimento mamário em homens

Confira causas e tratamentos do distúrbio que pode acometer adolescentes, adultos e idosos

Imagem: iStock

Você já ouviu falar na ginecomastia? Esse é um distúrbio que provoca o aumento da glândula mamária masculina. Pode estar ligado ao excesso de gordura ou de pele, ou ainda ocorrer em razão de um desequilíbrio hormonal. Principalmente na puberdade, esse fenômeno pode trazer prejuízos ao indivíduo, que pode se sentir desconfortável em permanecer sem camisa em ambientes sociais, como praias e piscinas.

Para explicar o que é a ginecomastia, quais são as causas e tratamentos, conversamos com o Dr. Alexandre Kataoka, que é cirurgião plástico e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O que é a ginecomastia?

Resultante da hipertrofia das glândulas mamárias em homens, a ginecomastia costuma ocorrer em meninos com idade entre 13 e 14 anos. Nesses casos, segundo o Dr. Alexandre Kataoka, esse processo é causado em decorrência de mudanças hormonais que ocorrem durante a puberdade.

Leia também: Cirurgia plástica pelo SUS — veja quais você pode fazer

“Em parte desses casos, as mamas se desenvolvem por cerca de seis meses ou menos, para depois retornar ao tamanho normal e apenas em aproximadamente 5% das vezes a hipertrofia persiste até a vida adulta”, explica.

Esse aumento exagerado das mamas costuma ser ainda mais comum em homens mais velhos.

“Em um exame físico, é possível detectar que de um a dois terços daqueles com mais de 70 anos apresentam uma ou as duas mamas aumentadas. Dessa forma, isso pode estar diretamente relacionado à queda nos níveis de testosterona no organismo”, acrescenta o Dr. Alexandre Kataoka,.

A proliferação das glândulas mamárias, característica da ginecomastia, resulta de mecanismos que afetam o equilíbrio entre as ações da testosterona e dos estrógenos. O aumento das mamas pode ocorrer também em decorrência de hipertireoidismo ou de insuficiência hepática.

A ginecomastia também pode ser observada com mais frequência em homens que estão acima do peso. E isso porque tecido gorduroso produz enzimas, dotadas da propriedade de converter certos precursores da testosterona em estrógenos.

“A parte boa é que existe tratamento para a condição”, explica o médico. “Ele pode ser feito tanto por terapia hormonal, que bloqueia o efeito do estrogênio, como por meio de uma intervenção cirúrgica plástica, de forma a reduzir o tamanho da mama, trazendo naturalidade mais masculina. A cirurgia consiste na extração de parte do tecido glandular e da gordura ao redor do mamilo.”

Causas da ginecomastia masculina

o que e ginecomastia
Imagem: undefined undefined/iStock

A ginecomastia masculina pode ter três causas: fisiológica, secundária e idiopática. 

  • Fisiológica: Mais frequente em adolescentes de 12 a 14 anos ou em homens mais velhos, após os 60 anos. Ocorre quando há um desequilíbrio entre os estrógenos e os andrógenos, ou seja, hormônios masculinos e femininos. Essas alterações têm a tendência a se reequilibrar com o tempo, e as mamas voltam ao seu aspecto normal. 
  • Secundárias: Ocorre após o uso de anabolizantes ou hormônios durante treinos de exercícios físicos ou após o acometimento por patologias como insuficiência renal ou hepática. Nesses casos, com a interrupção dos hormônios e o tratamento das patologias, é possível ver uma redução da ginecomastia. 
  • Idiopáticas: Não tem causas definidas.

“Normalmente o diagnóstico da ginecomastia é feito no consultório. No entanto, em alguns casos são necessárias ultrassonografias ou tomografias para que se possa analisar a composição mamária”, acrescenta o médico.

Tratamento para a ginecomastia masculina

ginecomastia
Imagem: iStock

O tratamento da ginecomastia, em geral, acontece quando o aumento das mamas é de causa idiopática. Existem dois tipos de tratamento: tradicional e cirúrgico. 

  • Tratamento tradicional: Durante alguns meses o paciente fica sob análise, para que haja um acompanhamento da evolução ou regressão do volume das mamas. Este tratamento, em geral, é feito em adolescentes, que, com o passar dos meses, podem ter seu quadro hormonal restabelecido de forma natural. Após esse período de observação, caso não haja regressão do volume mamário, é sugerido o tratamento cirúrgico.
  • Tratamento cirúrgico: A cirurgia de ginecomastia masculina varia de acordo com a composição do volume mamário do homem. Assim, muitas vezes, esse aumento do volume mamário é apenas um acúmulo de gordura, que pode ser tratado com uma lipoaspiração. No entanto, em alguns casos, a condição acontece por um aumento de glândulas mamárias. Neste caso, é necessária uma cirurgia no peitoral – que, em geral, produz cicatrizes nos mamilos.  

Técnicas cirúrgicas para redução do volume mamário masculino

antes e depois da ginecomastia
Antes e depois da ginecomastia (Imagem: healthtravelguide.com)

As técnicas cirúrgicas utilizadas para a ginecomastia variam de acordo com o caso do paciente. Por isso, é necessário realizar uma consulta com seu médico, de modo que seja verificada a opção mais adequada. Assim, a cirurgia pode: 

“Este último caso é raro e ocorre quando existe um aumento muito significativo das glândulas mamárias. A cicatriz pode ficar parecida com as cicatrizes de cirurgias femininas (ao redor da aréola, na vertical da mama e na horizontal). No entanto, a maioria das cirurgias são feitas com retirada de gordura ou retirada de glândulas, apenas”, conclui o médico.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados