Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Artigo exclusivo para assinantes!
Cadastre-se para continuar lendo!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 30 de março de 2021

Terapia de reposição hormonal: ginecologista explica quem pode fazer

Conversamos com a Dra. Evelyn Prete, ginecologista e obstetra, que explica tudo o que você precisa saber sobre método

Imagem: Crédito: Fahroni/iStock

Ao entrar na menopausa, as mulheres apresentam queda nos níveis de estrogênio e progesterona, dois hormônios produzidos pelos ovários e que ajudam a regular as funções do corpo. A terapia de reposição hormonal é um tipo de tratamento que permite aliviar os sintomas típicos da menopausa — como as ondas de calor, a queda de cabelo e a secura vaginal provenientes dessa queda na produção hormonal.

Leia também: Menopausa precoce: por que ocorre e como tratar?

A terapia, que pode ser feita por meio da aplicação de gel, adesivos ou remédios, deve ser feita sempre com acompanhamento médico, que determinará o tempo de utilização do método. Além disso, há algumas contraindicações e cuidados necessários. Para explicar melhor esse procedimento, Seleções conversou com a Dra. Evelyn Prete, ginecologista e obstetra. Confira!

O que é a terapia de reposição hormonal?

terapia de reposicao hormonal
Entenda o que á terapia de reposição hormonal (Crédito: Fahroni/iStock)

Dra. Evelyn Prete: É um tratamento que envolve diversos hormônios, com várias vias de administração e de vários esquemas terapêuticos diferentes. Apesar das controvérsias, a terapia de reposição hormonal é considerada o melhor tratamento para os sintomas da menopausa, como os fogachos (calor intenso), perda de massa óssea, mudanças de humor e disfunções sexuais, muito prevalentes nessa fase.

Quem pode fazer? Há contraindicações?

Dra. Evelyn Prete: Qualquer mulher que tenham indicação clínica prescrita por um médico, depois de avaliação detalhada, e desde que não possua nenhuma das contraindicações a seguir:

  • Doença hepática descompensada;
  • câncer de Mama;
  • lesão precursora para câncer de mama;
  • câncer de endométrio;
  • porfiria;
  • doença coronariana;
  • sangramento vaginal de causa desconhecida;
  • doença cerebrovascular;
  • doença tromboembólica;
  • lúpus eritematoso sistêmico.

Como é feita a terapia de reposição hormonal?

terapia de reposição hormonal
A reposição hormonal em gel é um dos métodos utilizados (Crédito: AndreyPopov/iStock)

Dra. Evelyn Prete: Há várias formas de se aplicar a terapia de reposição hormonal. Podemos utilizar apenas os estrogênios ou combiná-los com as progesteronas. Podem ser usados via oral, transdérmica (adesivo), percutânea (gel) e pela via vaginal. Estão disponíveis diversos esquemas de uso desses hormônios, podendo ser feitos de maneira contínua ou cíclica (com pausas).

Entre os métodos disponíveis, qual é mais recomendável?

Dra. Evelyn Prete: Isso vai depender de muitos fatores, como a história clínica da paciente, seu risco para câncer de mama, se possui útero ou não, entre outros. As pacientes com útero irão se beneficiar do procedimento combinando os dois hormônios (progesterona e estrogênio).

O método via oral aumenta os riscos de eventos tromboembólicos, quando comparada às outras vias, pela passagem do estrogênio no fígado. Dados, inclusive, sugerem menores riscos com a via transdérmica.

Se a paciente sofre de atrofia e ressecamento vaginal, por exemplo, ela irá se beneficiar mais da via vaginal. Então, os métodos são bem individualizados.

Esse tratamento é feito de forma contínua? Ou deve ser interrompido depois de um tempo?

Dra. Evelyn Prete: Pode ser feita duas maneiras. Vai depender da necessidade de cada paciente. O tempo de tratamento é em torno de 3 a 5 anos, embora a Sobrac (Sociedade Brasileira de Climatério) defenda que não há limite máximo para uso da TH (terapia hormonal) e o seu uso prolongado deve ser individualizado.

Vale a pena ressaltar que a terapia hormonal deve ser instituída no que chamamos de janela de oportunidade, que varia, em média, até 5 anos após a menopausa. Após esse período, os riscos superam os benefícios.

Quais são os principais benefícios da terapia de reposição hormonal? E os principais riscos?

tratamentos para menopausa precoce
As ondas de calor são aliviadas com a terapia de reposição horminal (Crédito: fizkes/iSTOCK)

Dra. Evelyn Prete: De maneira geral, há um aumento na qualidade de vida da mulher na pós-menopausa. Podemos listar os principais benefícios da terapia de reposição hormonal:

Já os principais riscos são: aumentos de chances de desenvolver câncer de mama em 3 a 5 anos e algum episódio de trombose, podendo ser grave e até fatal.

A terapia de reposição hormonal também pode ser útil para prevenir a osteoporose?

Dra. Evelyn Prete: Sim. A terapia hormonal é eficaz na redução da perda de massa óssea e reduz os riscos de fratura da pós menopausa por osteoporose. Estudos demonstram aumento significativo da densidade óssea em mulheres que fizeram o uso de terapia hormonal.

Além da terapia de reposição hormonal, quais são as maneiras alternativas de lidar com os sintomas da menopausa?

Conheça os beneficios da acupuntura e adote essa tecnica
A acupuntura também pode ser utilizada para aliviar incômodos da menopausa (iStock)

Dra. Evelyn Prete: Temos os medicamentos fitoterápicos, à base de plantas, que estimulam e aumentam os receptores de estrogênio; medicamentos moduladores dos receptores de estrogênio; medicamentos esteróides, como a tibolona; além de consumo de soja, terapia comportamental e acupuntura, que têm se mostrado ótimas alternativas à terapia hormonal.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados