Quem sofre dessa doença intrigante, porém comum, diz que é enlouquecedora. Mas, na verdade, malucos estão seus linfócitos T. Essas células – os soldados do sistema imunológico – caçam e destroem germes que entram no organismo. Só que no caso da psoríase os linfócitos T atacam células cutâneas saudáveis. O resultado é uma superprodução de células cutâneas, que vão se somando às células mortas e formam “placas” na superfície da pele. Essas placas de pele vermelhas, elevadas e às vezes escamosas aparecem e desaparecem sem motivo evidente. A psoríase é difícil de tratar, mas seguindo os cuidados a seguir você conseguirá aliviar seus sintomas.

Conexão nutricional

Terapeutas naturais aconselham fazer alterações na alimentação na esperança de combater essa doença persistente. Veja o que eles recomendam:

  • Eliminar bebidas alcóolicas, açúcar e gorduras inflamatórias, por exemplo, as presentes na carne, nos fast foods, alimentos processados e laticínios. O cigarro também é um vilão para quem tem psoríase.
  • Adotar uma alimentação sem glúten. Para isso, é preciso eliminar a maioria dos grãos, incluindo o trigo e qualquer alimento que leve farinha de trigo, centeio, semolina, malte e cevada. Substitua-os por alimentos à base de arroz e farinha de arroz, trigo-sarraceno, milho, linhaça, castanhas, batata, soja ou painço.
  • Consulte-se com um alergista para verificar se tem sensibilidade ou alergia a algum alimento; segundo alguns especialistas, esses problemas podem ter relação com a psoríase. Frutas cítricas, leite, milho e ovos podem ser causadores desse mal. Saiba mais sobre alergia alimentar!

A vitamina D é, comprovadamente, importante aliada no combate à psoríase. Como a luz solar ajuda o organismo a produzir vitamina D, a exposição ao sol durante 15 a 20 minutos (sem protetor solar) ajuda a melhorar a psoríase. Escolha os horários do início da manhã ou do fim da tarde para os banhos de sol. No inverno, tome 1.000 UI de vitamina D todos os dias.

  • Ácido fólico: Alguns estudos sugerem que as pessoas com a doença têm deficiência de folato (ou ácido fólico), uma vitamina do complexo B. Portanto, reforce a alimentação com muitos alimentos ricos em folato, entre eles aspargos, espinafre, brócolis, abacate, laranja, grão-de-bico e lentilha.
  • Viva a linhaça! Para amenizar os sintomas, moa duas colheres de sopa de linhaça, que são excelentes fontes de ácidos graxos ômega-3. Esses ácidos bloqueiam uma substância produzida pelo organismo chamada ácido araquidônico, que causa inflamações. Além disso, outra opção é usar o óleo de linhaça para temperar saladas ou vegetais – conheça o poder anti-inflamatório do óleo de linhaça.
  • A cura está no amarelo. Alguns estudos atribuem ao açafrão-da-terra a capacidade de reduzir quadros de inflamação de várias doenças, entre elas a psoríase. Além disso, o condimento reduz o tempo necessário para a cicatrização de feridas. Como usar: misture uma colher de chá de açafrão-da-terra no arroz, nos vegetais, na massa e em outros pratos quentes. Porém, é preciso consumi-la todos os dias.
  • Invista na melaleuca. Dilua algumas gotas de óleo de melaleuca (tea tree) em azeite de oliva e esfregue nas placas de psoríase várias vezes ao dia. Esse tratamento ajuda muito a aliviar a coceira e a soltar as placas, principalmente em casos mais brandos.

Banhos curativos

Incremente o banho

Tome um bom banho de banheira em água morna e em seguida adicione azeite de oliva ou outro óleo sem aditivos químicos. Eis o motivo: os banhos de imersão demorados ajudam a soltar as placas escamosas da pele e aliviar a coceira, mas também podem ressecá-la, agravando o problema. Portanto, fique cerca de 10 minutos na banheira até a pele ficar bem molhada. Mas, aproximadamente cinco minutos antes de sair adicione algumas colheres de azeite. Isso basta para selar a água na pele. (Tome cuidado ao sair da banheira, pois o óleo deixa sua superfície escorregadia.)

Tome um banho de aveia

A aveia alivia a coceira e é conhecida por suas propriedades suavizantes e hidratantes para a pele. Para usá-la, ponha um ou dois punhados de aveia (não use aveia instantânea nem com sabor) no liquidificador ou processador de alimentos. Então, bata até transformá-la num pó fino.

Jogue a aveia moída na água

Outra opção é colocar a aveia moída num saquinho feito com gaze (ou com um pedaço de meia-calça limpa) e jogar
na água do banho. Depois, você pode usar o saquinho de aveia para esfregar na área afetada.

Receita: Creme calmante para psoríase

Este unguento grosso e cremoso amacia as placas de psoríase, ajudando na recuperação da pele. A receita rende aproximadamente 1/3 de xícara.

Ingredientes

30 g de cera de abelha, ralada ou picada
30 g de azeite de oliva extravirgem
30 g de mel

1. Numa panela, derreta a cera de abelha em banho-maria.
2. Numa panela à parte, aqueça o azeite. Jogue-o na cera derretida. Misture bem até ficar homogêneo.
3. Em outra panela, aqueça o mel; despeje-o lentamente na mistura de azeite e cera. Em seguida, retire do fogo e misture até esfriar e engrossar.
4. Coloque a mistura num pote de vidro e guarde em local fresco e ao abrigo da luz.

Passe o creme na área afetada à noite. Cubra com filme de PVC. Prenda-o bem firme, mas sem apertar, usando atadura elástica.

Se durante uma crise de psoríase as placas cobrirem uma área grande de pele ou chegarem às palmas das mãos e plantas dos pés, marque uma consulta com o médico. Procure atendimento se perceber sinais de infecção, como pus, crostas amarelas na pele ou sensação de calor em torno das áreas afetadas. Se com a psoríase você sentir dor das articulações, é possível que esteja sofrendo de artrite psoriática, doença que exige tratamento médico. Se apresentar protuberâncias purulentas em todo o corpo e febre, é necessário atendimento de emergência. Procure um pronto-socorro para tratar a infecção imediatamente.