O cabelo de todo mundo cai, qualquer que seja a idade. A maioria perde 25 a 100 fios por dia, mas, em algumas pessoas, caem mais do que renascem. Cerca de 95% das vezes, a razão é genética e, ao contrário da crença popular, os genes de pai e mãe têm seu papel na queda de cabelo, diz o Dr. Ressam Fario, cirurgião de restauração capilar que mora na Inglaterra.

Tanto homens quanto mulheres são afetados pela perda de cabelo hereditária. Mas enquanto nas mulheres o repartido tende a se alargar e o cabelo fica mais fino em geral; nos homens é mais provável que a linha do cabelo recue e surjam áreas calvas no alto da cabeça.

O que fazer para diminuir a queda de cabelo

Esse sintoma é clinicamente inofensivo, e muita gente prefere aceitá-lo. Para quem o acha angustiante, entre as opções estão os transplantes, nos quais pele com bom crescimento capilar é retirada de um lugar e implantada nas áreas onde se deseja uma juba mais densa. Esse procedimento costuma ser caro e, em geral, não é coberto pelos planos de saúde; embora o resultado seja permanente, muita gente faz cirurgias de retoque por motivos estéticos. O mais seguro é procurar um bom médico, de preferência ligado à Sociedade Internacional de Cirurgia de Restauração Capilar (ISHRS).

Outra opção popular é o minoxidil, vendido em líquido ou espuma para aplicar no couro cabeludo. Ele não costuma restaurar o que já se perdeu, mas há 80% de probabilidade de interromper ou retardar novas quedas. O finasteride, vendido em comprimidos apenas com receita médica, reduz o nível de di-hidrotestosterona (hormônio ligado ao padrão masculino de calvície), dá mais corpo aos fios que restam e retarda a calvície. Só foi aprovado para homens e não é recomendado (nem eficaz) em mulheres.

A saúde e o estilo de vida podem afetar o ritmo e o progresso da queda de cabelo genética. “Ela pode ser acelerada pelo estresse, pelo excesso de peso, por problemas de tireoide ou cistos de ovário“, diz o Dr. Vincenzo Gambino, médico italiano especializado em transplante capilar que já foi presidente do ISHRS.

Outras razões para a queda de cabelo são a desnutrição; apliques pesados e tranças muito apertadas; mudanças hormonais durante a menopausa ou após o parto; medicamentos que fazem o cabelo cair; e alopecia areata, uma doença autoimune tratável que ataca o couro cabeludo. A consulta com um dermatologista é fundamental para identificar corretamente a causa da perda de seus fios e, a partir daí, ajudá-lo a tomar decisões.

Por SAMANTHA RIDEOUT

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!