Faça uma busca
|
Publicado em: 31 de agosto de 2020

Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo: o que é o distúrbio, causas e como tratar

Yulli Dias
Última atualização: 23 de março de 2021
Por: Yulli Dias

Conheça mais detalhes sobre esse distúrbio alimentar que pode afetar crianças e adolescentes.

Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo: o que é o distúrbio, causas e como tratar Imagem: Miti/Unsplash

O Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo (TARE) é um distúrbio alimentar que faz com as que pessoas que o tenham evitem diversos alimentos ou comam muito pouco.

Na maioria dos casos, ele não é ligado à anorexia e à bulimia, pois o transtorno não se dá necessariamente pelo fato das pessoas estarem preocupadas com o peso ou a imagem corporal.

Muitos costumam ter restrições alimentares devido a diversos fatores, como religião, gostos e ideologia.

No entanto, a pessoa portadora de TARE evita comer diversos alimentos não por essas causas, mas sim porque apresenta dificuldades com alimentação e comida.

Leia também: Conheça os distúrbios alimentares que podem prejudicar sua saúde

Geralmente, os sintomas aparecem durante a infância e adolescência, onde os indivíduos não são capazes de se alimentar com a quantidade necessária que precisam para viver de maneira saudável.

Esse transtorno pode acarretar diversos problemas na parte nutricional, social e comportamental.

Quais são os sintomas desse distúrbio alimentar?

De acordo com a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, existem diversas situações e problemas alimentares que podem fazer parte do diagnóstico do TARE, como:

  • Dificuldade em digerir diversos alimentos;
  • Evitar determinadas cores ou texturas dos alimentos;
  • Comer apenas porções muito pequenas de alimentos;
  • Falta de apetite;
  • Medo de comer depois de ter um episódio de asfixia ou vômitos.

Além disso, o TARE pode trazer muitos prejuízos aos pacientes, como físicos e emocionais, pois eles podem sofrer com:

  • Perda de peso;
  • Insucesso em ganho de peso esperado;
  • Dificuldade de crescimento;
  • Falta de nutrientes no corpo;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Transtornos obsessivo-compulsivo;
  • Transtornos de neurodesenvolvimento, como espectro autista, déficit de atenção, hiperatividade e deficiência intelectual.

O que pode causar o Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo?

Ainda não existem muitos estudos sobre o TARE, logo, é difícil afirmar a causa exata do transtorno. Apesar disso, pesquisas realizadas até o momento mostram que ele pode ser influenciado por diversos fatores externos e internos, como emocionais, biológicos, sociais e culturais.

Por causa desse tipo de distúrbio, como dito anteriormente, o paciente evita diversos tipos de alimentos, podendo não comer o suficiente que precisa e, com isso, acaba perdendo uma quantidade significativa de peso.

Quando o TARE afeta crianças, por exemplo, elas podem não crescer tanto quanto o esperado por médicos.

Imagem: vadimguzhva/iStock

Como tratar o Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo (TARE)?

Antes de tudo, é preciso ter o diagnóstico correto de um médico, para saber se realmente a criança, ou adolescente, sofre desse transtorno.

O tratamento desse ser feito de maneira multidisciplinar, com a ajuda de um médico, psiquiatra, psicólogo e nutricionista, que podem ajudar o paciente a lidar com todas as dificuldades relacionadas e acarretadas pelo distúrbio.