Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 4 de julho de 2020

Gota: como lidar com essa forma complexa de artrite

Com a falta de tratamento correto a probabilidade de retorno da gota até três anos depois da primeira crise é de 84% .

Imagem: horillaz/iStock

Na última década, houve muitas pesquisas sobre a gota, uma forma de artrite caracterizada por surtos de inchaço e dor intensa. Estima-se que o problema afete 2% da população mundial, mas muitos médicos estão desatualizados. “Somente 30% a 50% dos pacientes são adequadamente tratados”, diz o Dr. Pascal Richette, da Liga Europeia contra o Reumatismo.

Qual é a causa?

A gota é causada pelo ácido úrico, produzido quando o corpo decompõe purinas, compostos orgânicos encontrados nas células e nos alimentos. Normalmente, o ácido úrico sai do organismo pela urina. Mas, em excesso, ele pode formar cristais afiados que se alojam numa articulação, em geral a da base do dedão do pé.

Quem está no grupo de risco?

Pessoas com histórico familiar de gota têm probabilidade maior de apresentar a doença, assim como quem sofre de hipertensão ou doença renal, bebe, come muitos alimentos pesados ou toma diuréticos.

Leia também: Pedras nos rins: causas, sintomas e prevenção

Como prevenir e tratar a doença?

Alguns alimentos contêm mais purina do que outros. Se tiver muitos fatores de risco ou se já sofrer de gota, evite carne e bebidas alcoólicas, principalmente cerveja. Se puder, prefira, como fonte de proteína, os laticínios com baixo teor de gordura, que podem até melhorar a gota. Novas pesquisas mostram que tomar bastante água e limitar bebidas açucaradas também ajuda.

Embora as medidas dietéticas possam prevenir a gota ou reduzir o número de crises, a dor e a inflamação que já começaram só se aliviam com medicamentos como corticosteroides, colquicina ou anti-inflamatórios não esteroides. Com o tratamento oportuno, há uma boa chance de, em dois dias, você se sentir melhor.

 Veja também: 6 tipos de massagem que aliviam a dor

Também há medicação para baixar o nível de ácido úrico no organismo. Esses remédios, entre os quais estão os uricosúricos e os inibidores da xantina-oxidase, podem provocar efeitos colaterais como urticária e dor de barriga. Como há chance, ainda que mínima, de reações alérgicas, o médico deve começar com uma dose baixa. Esses medicamentos ajudam a reduzir os ataques e podem até curar totalmente a gota.

“Baixar o nível de urato permite que os cristais se dissolvam”, explica o Dr. Richette. “Depois disso, o paciente não terá mais crises. No entanto, é preciso continuar o tratamento pelo resto da vida.”

Embora os pacientes com gota devam pesar os prós e contras do tratamento, indícios recentes mostram que o excesso de ácido úrico é prejudicial para os rins e o sistema cardiovascular; portanto, os benefícios vão além das articulações.

por Samantha Rideout

Teste seu qi médico

Antes de ir embora, que tal pôr à prova o seu conhecimento médico? Basta completar a frase abaixo corretamente!

[wp_quiz id=”18377″]

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados