Você já deve ter lido sobre todos os problemas de saúde que aumentam o risco de doenças coronarianas – de colesterol alto e resistência à insulina a síndrome metabólica. Há mais uma para acrescentar à lista, e um número altíssimo de pessoas sofre disso. O problema? A doença do sedentarismo. Faça nosso teste e descubra se você sofre deste mal!

Instruções para o teste:

Cada pergunta tem uma pontuação. Some os pontos de todas as perguntas as quais você responder positivamente e depois confira o resultado.

Na maioria dos dias:

1. Passo as primeiras 2 horas do dia sem me alongar, exercitar ou andar vigorosamente (-1)
2. Faço pelo menos 30 minuto de tarefas domésticas bem ativas (+1)
3. Assisto a pelo menos 2 horas de TV (-2)
4. Passo pelo menos 30 minutos ao ar livre (+2)
5. Preparo o jantar partindo do zero (+1)
6. Passo a maior parte do dia de trabalho sentado (-3)
7.  Subo pelo menos dois lances de escadas (+1)
8. Passo pelo menos 90 minutos no carro (-2)
9. Caminho por pelo menos 20 minutos no total (+1)
10. Caminho por pelo menos 45 minutos no total (+3)
11. Pratico um esporte, ando de bicicleta ou nado na piscina (+3)
12. Vou à academia ou faço um programa completo de exercícios em casa (+3)
13. Reservo um tempo para brincar com as crianças ou outros entes queridos (+2)
14. Passo a maior parte do meu tempo após o jantar no quarto ou no escritório (-2)
15. Gasto algum tempo em um hobby que me mantém de pé (+1)

Resultado:

-10 a -4

Você tem a doença do sedentarismo. Precisa, urgentemente, colocar mais movimento no seu dia para o bem do seu coração. Comece devagar – mas faça alguma coisa.

-3 a 5

Seu dia tem um pouco de movimento, mas, no geral, seu estilo de vida ainda sedentário está prejudicando sua saúde.

6 a 12

Você tem um estilo de vida ativo e saudável que o mantém de pé por um bom tempo. Continue assim!

13 a 18

Sua rotina diária é ativa e você dedica bastante temo a exercícios e atividades físicas divertidas. Continue esse bom trabalho!

Quer saber mais sobre sedentarismo? Confira: Encontre sua cura pessoal para a “doença do sedentarismo”