Faça uma busca
|
Publicado em: 26 de setembro de 2021

Como cuidar de orquídeas: confira dicas para cultivar

Veja os principais tipos de orquídeas e descubra dicas sobre como cuidar das plantas

Imagem: Maryviolet/iStock

Viu essa planta em algum lugar e se apaixonou? Então que tal aprender como cultivar orquídeas no vaso? A orquídea sempre conquistou muitos admiradores em virtude da sua beleza exuberante. Com isso, ao longo do tempo, o tronco de árvore deixou de ser o único lugar onde a planta era encontrada. Dessa forma, as orquídeas passaram a fazer parte de projetos de decoração, sem abrir mão do seu espaço conquistado no paisagismo.

Além disso, essas plantas não são apenas aliadas da decoração. Como o seu cultivo requer cuidados peculiares, ter uma orquídea em casa é também um passatempo que precisa de dedicação. Entenda mais sobre como plantar orquídeas com as dicas abaixo.

Como cuidar de orquídeas em casa: algumas dicas rápidas

Em primeiro lugar, é preciso entender qual é o tipo de orquídea que você tem em mãos. Existem variadas espécies que precisam de cuidados especiais, como regagem regulada, menos exposição ao sol e um tipo específico de substrato.

Veja também: saiba como ter a sua própria horta em casa de modo simples

Portanto, sempre pergunte ou pesquise sobre as principais necessidades de uma orquídea antes de adquiri-la. Se você ganhou uma, procure saber se você oferece as condições ideais para que ela se desenvolva com saúde.

Quando adquirir uma orquídea de qualquer tipo, deve-se ter cuidado em reenvasá-la em um espaço maior. Isso é necessário, já que as raízes das espécies de orquídeas são grandes. Na natureza, elas ficam expostas, coladas ao tronco de árvores. Se você instalar uma orquídea em um vaso muito pequeno, o tempo de vida pode ser fatalmente curto.

O local escolhido para o vaso de orquídeas também é fundamental. A orquídea tem flores sensíveis que podem ser prejudicadas por ventos fortes. Portanto, evite deixá-la em locais onde há formação de correntes de vento. Além disso, também é importante deixar as orquídeas em ambientes úmidos. Evitar a desidratação através de um ambiente úmido é um fator importantíssimo para a longevidade. Entretanto, vale ressaltar que, umidade não significa acúmulo de água nas flores e folhas. Pois, este acúmulo pode causar a proliferação de fungos e bactérias.

Veja no vídeo abaixo como é possível cuidar de orquídeas na hora de envasar e reenvasar:

Cuide da luminosidade e da regagem

De uma maneira geral, as orquídeas aguentam quantidades consideráveis de água. Mas fique atenta: se você regar com bastante água, leve alguns dias para regar novamente. Prefira uma vez a cada quatro dias, ou quando notar que o substrato está seco afundando seu dedo em 2 cm nele. Além disso, evite o prato que fica sob os vasos. O acúmulo de água no fundo também faz muito mal às orquídeas, além de ser um criadouro de mosquitos.

Outro fator importante sobre a regagem é que aconselha-se a não molhar as folhas. Isso porque o acúmulo de água no meio delas propicia o surgimento de fungos ou bactérias que prejudicam a orquídea, podendo matá-la.

Escolha ainda horários amenos de iluminação solar. As flores são sensíveis, e expô-las demasiadamente ao sol pode fazer com que se queimem ou desidratem. Prefira horários entre 9h ou no fim da tarde, por volta de 18h.

Principais tipos de orquídeas no Brasil

Phalaenopsis

A Phalaenopsis é uma das espécies de orquídeas mais comuns em todo o Brasil (Foto: Nelly Senko/iStock)

Um dos tipos mais comuns de orquídea é o Phalaenopsis, aqueles muito encontrados em consultórios médicos ou recepções em geral. Esse tipo de orquídea, também chamado de orquídea borboleta, geralmente é cultivado em climas mais quentes, mas elas já se saem bem com temperaturas acima de 17ºC. 

A cor roxa é predominante nos tipos de Phalaenopsis mais comuns, mas existem dezenas de espécies do mesmo gênero de cores diferentes. 

Cattleya

As Cattleya estão especialmente propensas a desenvolver fungos e bactérias (Foto: Hardt_E/iStock)

Um dos principais inimigos das orquídeas, além das condições inadequadas, são as pragas. Algumas espécies, como as Cattleya são especialmente vulneráveis a pragas, como os fungos cochonilhas.

Um dos principais motivos para a proliferação de fungos e bactérias nas Cattleya é a umidade exagerada. Procure um ambiente com umidade moderada. Tenha cuidado, pois um ambiente seco é igualmente perigoso para as orquídeas.

Outro fator notável para a proliferação de fungos é a proximidade com outras plantas, até mesmo de outras Cattleya. Procure deixá-las a espaços de pelo menos 35 cm de outras espécies.

A adubação também é um fator importante. Procure substratos do tipo NPK 20 20 20 (ricos em nitrogênio, fósforo e potássio). Coloque o substrato no fundo até a metade do vaso, instale a muda e preencha com o restante.

Dendrobium

As Dendrobium também são chamadas de olho de boneca e adaptadas ao clima tropical (Foto: Paula do Valle Bargieri/iStock)

As orquídeas Dendrobium também são tipos comuns no Brasil, pois o clima tropical favorece o seu desenvolvimento. Elas são chamadas de olho de boneca devido ao formato de suas flores, como é possível enxergar na foto acima.

Veja também: 6 truques de jardinagem e paisagismo para facilitar a tarefa de cuidar das plantas

As Dendrobium costumam florescer no final da primavera e início do verão, e apenas uma vez ao ano. O substrato é uma questão importante para o cultivo dessa espécie. Prefira substratos ricos em fósforo, como fibra de coco ou casca de pinus se for cultivá-la em um vaso.

Se você preferir cultivar esta espécie em uma árvore, prefira troncos rugosos. As raízes das Dendrobium sentem mais facilidade em se agarrar a esse tipo de superfície.

Escolhendo o vaso e os substratos

Os substratos são suplementos para as plantas. As orquídeas, que são espécies sensíveis, necessitam de nutrientes especiais para se desenvolver. Portanto, preste atenção na hora de escolher o substrato ideal para o seu tipo.

Veja alguns dos principais substratos recomendados para quem está interessado em como cuidar de orquídeas:

Carvão vegetal

Misturar carvão vegetal ao substrato ajuda na retenção de líquidos e evita que as raízes absorvam quantidades exageradas de água.

Casca de pinus

Como as orquídeas são plantas que crescem principalmente em árvores rugosas, a casca de pinus pode simular esse ambiente natural devido a sua rugosidade similar ao desse tipo de tronco.

Casca de pinheiro

É um dos substratos mais comuns para orquídeas de diversos tipos, já que permitem um bom desenvolvimento das raízes.

Fibra de coco

É um substrato amplamente utilizado em atividades agrícolas e em cultivos caseiros. A fibra de coco possui uma grande capacidade de absorver a umidade. Dessa forma, úmidas, as fibras de coco permitem que as raízes das orquídeas se beneficiem da água quando necessitarem.

Pedras

Também atuam na drenagem do solo, mas no fundo dos vasos, onde a água não pode ser retida de forma alguma em caso de orquídeas.

Saber como cuidar de orquídeas passa também pelos vasos. Eles são fatores muito importantes para o desenvolvimento saudável das orquídeas. A escolha depende de alguns itens, como clima, umidade da região ou mesmo do ambiente em que a planta está.

Há alguns pontos importantes, no entanto, em como cuidar de orquídeas em relação aos vasos. Como a fotossíntese é realizada através das raízes, é preferível que sejam utilizados vasos plásticos transparentes. Dessa forma, a luz solar consegue chegar até elas. Evite vasos pequenos, já que as raízes costumam necessitar de espaços amplos para se desenvolver.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close