Como cardiologista especializado em prevenção, posso dizer que atividades ao ar livre são muito boas para o coração, mas, além disso, também são fundamentais para a alma. Toda vez que ouço uma gravação de John Denver cantando “Sunshine on My Shoulders” (“Sol nos meus ombros”) e me pego sorrindo, sou transportado ao amor pelo sol e pelo ar livre que tive por décadas como natural de Michigan (EUA). Meu quintal é cheio de caiaques, canoas e pranchões. Andar a pé descalço até o lago, brincar sem camisa ao sol e respirar ar fresco é incrível.

Confira o que fazer para ter mais saúde e paz:

Caminhe ao sol

Estudos encontraram taxas mais altas de hipertensão entre as pessoas que se expõem menos ao sol. Um motivo pode ser o óxido nítrico, um gás cuja produção é estimulada quando a pele é exposta ao sol. O óxido nítrico faz com que as artérias resistam à contração, às placas de colesterol e aos coágulos, reduzindo o risco de infarto e de acidente vascular cerebral. A vitamina D, que a luz do sol ajuda o corpo a produzir, também está relacionada a um coração mais saudável. Caminhe ao ar livre por 15 a 30 minutos todos os dias.

Aproveite o ar livre para meditar

A meditação é extremamente relaxante e revigorante para a mente principalmente em relação à diminuição da ansiedade. Meditar em um ambiente externo que transmita paz pode ser melhor ainda. Uma vista bonita pode levar seu pensamento para longe da efervescência do dia a dia. Caso more em uma cidade sem ambientes verdes silenciosos, fones de ouvido com música ambiente também podem ser uma boa opção.

Tome um banho de floresta

No Japão, visitas curativas a parques se tornaram uma prática popular chamada shinrin-yoku (banho de floresta). Uma pesquisa com 280 voluntários descobriu que as pessoas tinham frequência cardíaca menor e pressão arterial mais baixa quando andavam por uma floresta do que quando passavam o tempo em uma área urbana.

Veja também: Tire férias ecológicas e explore os locais a pé

Ande descalço quando puder

Uma das consequências da sociedade moderna é o raro contato do nosso corpo com a natureza e o solo.

Embora o “aterramento” seja considerado medicina alternativa pela medicina tradicional, pesquisas preliminares demonstram que a prática parece afetar de modo positivo a função tireoidiana, o metabolismo do açúcar no sangue e a viscosidade sanguínea, todos relevantes para o risco de cardiopatias. Ande descalço sempre que possível. Deixe a grama do quintal fazer cócegas na sola dos seus pés e crave os dedos na areia da praia.

Troque a academia por uma área verde

Atividades ao ar livre pode trazer mais benefícios que exercícios em ambientes fechados. Uma revisão britânica de 11 estudos realizada em 2011 descobriu que as pessoas que se exercitavam ao ar livre em geral relatavam sentir maior revitalização, mais energia e menos raiva, tensão e depressão.

por Joel K. Kahn