Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 13 de abril de 2021

Dia do beijo: 3 doenças que são transmitidas pela saliva

Neste Dia do Beijo, conheça algumas doenças que podem ser transmitidas por ele

Imagem: iStock

Embora beijar seja tudo de bom, ajude a aliviar o estresse e até a queimar calorias, há uma série de doenças que podem ser transmitidas por um beijo. Principalmente se sua imunidade já estiver comprometida. No geral, são infecções virais, bacterianas ou fúngicas, que são passadas por meio da saliva ou gotículas de saliva.

Leia também: 13 fatos curiosos sobre o beijo que você precisa conhecer

Além de gripes e resfriados, algumas outras doenças mais sérias podem ser contraídas. Portanto, a recomendação é a de que evite beijar pessoas desconhecidas, uma vez que você não terá como saber se ela está doente. Além disso, é importante realizar seus exames de rotina com regularidade, uma vez que algumas dessas doenças também podem se manifestar de forma assintomática.

“Diversas doenças podem ser transmitidas por um beijo. A cavidade oral é extremamente contaminada de microrganismos ou vírus. Uma doença muito comum é a mononucleose, conhecida como a “doença do beijo”, e que normalmente é mais evidenciada em indivíduos entre 15 e 30 anos. Mesmo sem apresentar os sintomas da mononucleose, a pessoa acaba sendo capaz de transmitir a doença para os outros, dependendo de certos fatores”, explica Milton Monteiro Júnior, enfermeiro infectologista do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar no Hospital HSANP.

Dia do beijo: 3 doenças que são transmitidas pela saliva

Mononucleose (doença do beijo)

mononucleose infecciosa
Imagem: iStock

Dentre as doenças transmitidas pelo beijo, a mononucleose é uma das mais comentadas. Conhecida também como febre glandular e doença do beijo, a mononucleose infecciosa é uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr e que pode ser confundida com outras doenças respiratórias.

Sintomas da mononucleose:

  • dor de garganta;
  • febre;
  • aumento dos linfonodos no pescoço e, eventualmente, em outras partes do corpo;
  • letargia;
  • dores musculares;
  • aumento do fígado e do baço.

Tratamento da mononucleose:

“Não há evidências científicas de medicamentos que possam tratar a mononucleose, pois o vírus é eliminado pelas defesas do próprio corpo. No entanto, como a mononucleose pode causar sintomas desconfortáveis, como febre, dor de cabeça, dor na garganta ou cansaço intenso, o clínico geral pode indicar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, como paracetamol, ibuprofeno e aspirina”, explica Milton Monteiro

Quanto ao uso de antibióticos, o infectologista destaca que pode ser necessário, mas somente em alguns casos.

“Quando ocorre alguma infecção por bactérias na garganta e, somente nessas situações, o antibiótico é recomendado. Além disso, os medicamentos antivirais, como o Aciclovir e o Ganciclovir, podem auxiliar na diminuição da quantidade de vírus no corpo. Porém, nem sempre são aconselhados, sendo indicados apenas em casos em que as defesas do corpo estão comprometidas e os sintomas são muito fortes.”, explica.

Herpes labial

herpes labial
Imagem: dimid_86/iStock

A Herpes tipo 1 é transmitida principalmente via contato oral, ocasionando feridas e pequenas bolhas ao redor dos lábios ou na cavidade interna da boca. Assim, a saliva também pode ser um meio transmissor do vírus da Herpes. Da mesma forma que acontece com o vírus da mononucleose, quando há uma queda da imunidade o organismo poderá proliferar novamente os sinais e sintomas. Por isso, não há cura para esse vírus, apenas controle.

Sintomas da herpes:

  • Bolhas na boca;
  • Inchaço na região;
  • Coceira ou formigamento no lábio.

Tratamento da herpes:

“O beijo é uma das principais formas de transmissão da herpes simples. Durante o beijo, há troca de saliva e o vírus da herpes pode ser transmitido por meio dela. Alguns casos de herpes são leves e somente precisam de tratamentos tópicos. Ou seja, medicamentos que são aplicados diretamente sobre a pele e/ou via oral. Um antiviral muito comum para o tratamento da Herpes é o Aciclovir, pode ser em tópico (pomada) ou comprimidos, sempre com acompanhamento médico”, explica Milton Monteiro.

Sífilis

sifilis doenca transmitida pelo beijo
Imagem: jarun011/iStock

Outra doença que pode ser transmitida pelo beijo é a sífilis. Ela ocorre por meio da bactéria Treponema pallidum, e está na lista das infecções sexualmente transmissíveis. Quando a pessoa infectada com sífilis apresenta pequenas feridas na boca ela pode transmitir a doença para quem beijar.

Sintomas da sífilis

  • Fase inicial: pequenas lesões localizadas na boca ou na região íntima;
  • Segunda fase: manchas no corpo, incluindo nas palmas das mãos e plantas dos pés, além de febre, dor de cabeça, mal-estar e ínguas pelo corpo;
  • Terceira fase: podem ocorrer complicações graves, como cegueira, paralisia, doença cardíaca, lesões neurológicas. Se não tratada, pode levar à morte.

Tratamentos da sífilis

De acordo com informações do Ministério da Saúde, o tratamento de escolha para a sífilis é a penicilina benzatina (benzetacil), que poderá ser aplicada na unidade básica de saúde mais próxima de sua residência.

“Esta é, até o momento, a principal e mais eficaz forma de combater a bactéria causadora da doença. Quando a sífilis é detectada na gestante, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, com a penicilina benzatina. Este é o único medicamento capaz de prevenir a transmissão vertical, ou seja, de passar a doença para o bebê”, explicam no site.


Fonte: Milton Monteiro Júnior, enfermeiro infectologista SCIH do Hospital HSANP

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados