Durante milhares de anos, o alho foi reverenciado por seu potencial terapêutico. Os construtores egípcios antigos consumiam-no para obter força e resistência. Louis Pasteur pesquisou suas propriedades antibacterianas, e vários médicos usaram-no para tratar ferimentos nas duas guerras mundiais. A maioria dos benefícios do alho provém dos mais de 100 compostos de enxofre que ele contém. Quando o bulbo é esmagado ou mastigado, a aliina – um dos compostos sulfúricos – torna-se alicina, a substância química responsável pelo odor e pelos efeitos benéficos do alho. Por sua vez, o cozimento do alho inibe a formação de alicina e elimina algumas das outras substâncias químicas terapêuticas.

Principais benefícios

Tradicionalmente, o alho tem sido usado no tratamento de tudo, desde parasitoses até hemorroidas. Hoje, os pesquisadores estão dando mais ênfase ao seu potencial de reduzir o risco de doenças cardíacas e câncer. O uso abundante de alho na Itália e na Espanha explicaria, em parte, por que esses países apresentam uma incidência tão baixa de endurecimento das artérias (aterosclerose). Vários estudos sugerem que o alho pode evitar doenças cardíacas de diversas formas. O alho, por exemplo, tornaria menos provável a agregação das plaquetas e a sua aderência às paredes das artérias, reduzindo a chance de um infarto no miocárdio.

Consulte seu médico se você estiver tomando medicamentos para evitar a formação de coágulos sanguíneos ou para baixar a pressão sanguínea. O alho pode intensificar o efeito desses medicamentos.

Há evidências de que o alho dissolve as proteínas formadoras de coágulo, que podem afetar o desenvolvimento da placa aterosclerótica. Além disso, ele reduz discretamente a pressão sanguínea e ajuda a circulação do sangue. Estudos recentes pesquisaram o efeito do alho no colesterol. Embora os resultados não sejam muito claros, a maioria dos endocrinologistas e nutrólogos acredita que vale a pena consumi-lo; talvez em combinação com outros suplementos redutores de colesterol. O alho interferiria no metabolismo do colesterol no fígado e, como resultado, menos colesterol seria liberado no sangue.

Assine nosso conteúdo exclusivo

Prevenção do câncer

O alho pode ter propriedades contra o câncer. Constatou-se que é especialmente eficaz na prevenção de cânceres digestivos e, possivelmente, de mama e de próstata. Os pesquisadores ainda não têm certeza de como o alho promove esses efeitos benéficos. Alguns mecanismos podem estar envolvidos. Em primeiro lugar, existe a capacidade do alho de elevar o nível de enzimas que conseguem destoxificar os fatores causadores de câncer. Assim sendo, ele bloqueia a formação de nitritos ligados ao câncer de estômago, sendo proficiente na estimulação do sistema imunológico. Outros alimentos também ajudam na prevenção do câncer, veja quais. As propriedades antioxidantes do alho também são importantes.

Com frequência, ele é eficaz contra micro-organismos infecciosos, como vírus, bactérias e fungos. Isso acontece porque a alicina consegue bloquear as enzimas que dão a esses micro-organismos a sua capacidade de invadir e lesar os tecidos. A planta também mostrou ser capaz de inibir fungos responsáveis pelo pé-de-atleta e pela otite externa.

Orientações

O alho pode ser consumido indefinidamente. Todavia, se estiver sendo usado para problemas de colesterol, é preciso medir os níveis sanguíneos de colesterol após três meses para verificar se houve alguma alteração. Se não houve alteração, é preciso conversar com seu médico.

  • Para a manutenção da saúde ou para ajudar a combater níveis altos de colesterol: 400 a 600 mg diários de suplemento de alho.
  • Para resfriados e gripes: 400 a 600 mg de suplemento de alho, quatro vezes ao dia.
  • Para efeitos tópicos: aplicar óleo de alho, duas a três vezes ao dia. Alguns problemas de pele, como verrugas e picadas de inseto, podem responder à aplicação do óleo ou de um dente de alho esmagado diretamente sobre a área afetada.

Algumas pessoas desenvolvem azia, gases intestinais e diarreia quando tomam doses altas de alho. Portanto, prefira os suplementos com revestimento entérico. Além de reduzir os efeitos colaterais, evitam que o hálito tenha cheiro e evitam a digestão no estômago; o que garante a formação de alicina. Os suplementos de alho vêm em muitas apresentações, inclusive cápsulas, comprimidos, pó, óleo, líquido e cápsulas gelatinosas. Porém, consulte o seu médico antes de tomar qualquer suplemento.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!