A apresentadora Ana Furtado, 46, se emocionou em passeio pela Disney por conseguir ver as cores como elas são com a ajuda de um óculos especial. Ana Furtado tem daltonismo e não consegue distinguir bem as cores marrom, vermelho e verde.

“Porque sempre dá para se (re)apaixonar pelo mundo, pela vida! Que experiência incrível e indescritível”, disse ela. Durante o passeio, todo registrado em vídeo por ela, Ana conta que comprou um óculos especial. Ao colocar o óculos, a apresentadora ficou emocionada e perplexa por conseguir ver com bastante definição as cores.

“Nossa, que incrível que o mundo é. É assim que vocês enxergam o mundo? Estou chocada. Lindo”, disse, com uma mistura de choro com riso. O daltonismo é muito mais raro em mulheres. Saiba mais sobre a doença a seguir:

O que é o daltonismo?

O daltonismo ocorre quando alguns dos cones (as células sensíveis à luz na retina que detectam cor e que são responsáveis pela visão diurna) não existem ou não estão funcionando adequadamente.

Aproximadamente 99% das pessoas afetadas têm uma forma de daltonismo de vermelho e verde. Mas sua gravidade varia e muitos daltônicos conseguem ver algumas variações de vermelho e verde, embora tenham dificuldade de distingui-las. 

Quais são as causas?

A condição normalmente é hereditária. Então, a maioria das pessoas afetadas nasce com ela; embora muitas vezes não seja notada até que a criança persistentemente pinte o mar de rosa ou confunda o lápis de cera roxo com azul. É muito mais comum em meninos do que em meninas. Cerca de 8% dos meninos são afetados, enquanto que em meninas essa taxa é de 1%.

Mas atenção: se você começar a ter dificuldades em distinguir cores que costuma diferenciar com facilidade, faça um check-up com um oftalmologista. Algumas doenças, medicamentos, substâncias químicas industriais ou agrícolas e lesões nos olhos podem desencadear daltonismo, que pode melhorar com o tratamento da doença ou com a suspensão da exposição às drogas ou substâncias responsáveis. 

Daltonismo na prática

Ser daltônico não aumenta seu risco de desenvolver problemas oculares. Mas, às vezes, impõe frustrações práticas. Pode ser difícil distinguir maçãs vermelhas das verdes, perceber a diferença entre ketchup e calda de chocolate ou notar quando a carne está bem cozida. 

Combinar meias, peças de roupa, ler mapas e decorar a casa também pode ser mais complicado. Além disso, alguns daltônicos acham difícil ver telas de computador com clareza.

Daltonismo e direção

O daltonismo não irá te impedir de dirigir. (SanneBerg/ Istock)

O daltonismo não vai impedi-lo de dirigir. Isso porque, mesmo que os sinais vermelho e amarelo te confundam, a posição das luzes vai sinalizar seu significado rapidamente. 

Apesar de não ter cura, além dos óculos especiais adquiridos por Ana Furtado, filtros de cores e lentes de contato coloridas podem melhorar a diferenciação e o contraste das cores para algumas pessoas.  

Faça o teste:

Há diversos testes para verificar o daltonismo. Esse é um deles.

O teste mais comum para checar daltonismo é feito por meio da análise de imagens como essa.

Pessoas de visão normal que olham para esta imagem verão pontos em variações de verde formando o número 74 sobre um fundo avermelhado. Pessoas que conseguem distinguir algumas cores, mas não conseguem ver vermelho e verde, verão o número 21.

Por FOLHAPRESS/Seleções