Faça uma busca
|
Publicado em: 17 de outubro de 2019

O mito dos “cigarros mais saudáveis”

Você conhece os cigarros com "baixo teor de nicotina"? Descubra a verdade sobre eles!

Imagem:

 Muitos fabricantes de cigarros lançaram no mercado versões dos seus produtos com "baixo teor de nicotina". Mas serão estes cigarros de fato mais seguros? A resposta é simples: não são. Os estudos provam que os fumantes acabam por inalar mais e com mais frequência a fumaça desse tipo de cigarros e os fumam até quase o fim. Assim, aumentam realmente os perigos para a saúde. 

Cigarros de mentol fazem mal?

Mesmo se fumados com cautela, estes cigarros podem não ser significativamente menos perigosos do que os outros que estão disponíveis no mercado.

Os cigarros de mentol, por exemplo, são tão calmantes que os fumantes inalam mais e retêm a fumaça nos pulmões durante mais tempo. Os cigarros com filtro, embora reduzam ligeiramente as toxinas, levam os fumantes a inalar mais, aumentando o risco de um tipo de câncer do pulmão chamado adenocarcinoma. Além disso, os cigarros "sem aditivos" possuem nicotina, fonte de dependência, e alcatrão, que prova câncer. 

Ironicamente, os cigarros produzidos antes de 1950 tinham um sabor tão forte que os fumantes inalavam menos, tornando-se desse modo menos perigosos. 

Conselhos para deixar de fumar

  1. Em geral, os primeiros três ou quatro dias sem fumar são os mais difíceis. Se você conseguir ultrapassar a primeira semana sem fumar, as probabilidades de deixar o vício são boas. Ao atingir os três meses, terá mais ou menos alcançado esse objetivo. 
  2. Fumar é uma fixação oral e uma dependência física. Como alternativa ao estímulo oral, parta para um verdadeiro arsenal à disposição: balas sem açúcar, chicletes, cenouras, tomates, cerejas e beba pequenos goles de água. 
  3. Inalar nicotina pela manhã aumenta a energia e o estado de alerta. Para conseguir o mesmo efeito sem os perigos do tabaco, experimente uma série de exercícios físicos matinais assim que acordar. Depois, para aumentar a concentração durante o dia, faça ioga, meditação, ouça música, etc. 
  4. Consulte seu médico acerca da possibilidade de usar produtos de substituição de nicotina, como chicletes, adesivos e sprays nasais.  

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close