Faça uma busca
|
Publicado em: 30 de junho de 2019

Prisão de ventre nunca mais! Dê adeus à constipação intestinal

Cerca de 20% dos brasileiros sofrem da incômoda e popular prisão de ventre. Mas, por meio de algumas medidas rápidas e fáceis o intestino volta a funcionar regularmente – e sem precisar do uso de laxantes!

Imagem: Visivasnc/iStock

É uma sensação de inchaço e incômodo, visitas ao banheiro são inúteis. Não há nada a fazer, o intestino não funciona. A explicação é simples: prisão de ventre.

Mas esse diagnóstico muitas vezes é feito precocemente, pois não é todo mundo que sofre desse mal. Do ponto de vista médico, a constipação intestinal, como também é conhecido, só se dá quando o indivíduo evacua
menos de 3 vezes por semana e ela é acompanhada de outros sintomas mais graves ou de dores de barriga e gases.

O que acarreta o intestino preguiçoso?

A forma e a frequência das fezes estão intimamente ligadas ao estilo de vida de um indivíduo. Ingestão regular de fast food, excesso de carne, falta de exercícios físicos e rotina agitada demais – tudo isso deixa o intestino cansado.

A maioria das pessoas passa grande parte do dia sentada. Dentro do carro, à mesa de trabalho, em conferências e diante da TV. Consequentemente, os músculos abdominais diminuem o ritmo, e o intestino não recebe estímulos
externos para se tornar ativo.

Uma alimentação pobre em fibras também não ativa as funções do intestino. Ele é pouco exigido e músculos e nervos são prejudicados. Poucas horas de sono, uma rotina irregular e pressões do trabalho irritam o intestino, e ele reage, executando suas funções de forma cada vez menos
ativa e tornando-se preguiçoso. Consequência: prisão de ventre crônica.

Em alguns casos individuais, doenças como hipertireoidismo ou o uso de medicamentos também podem bloquear o intestino.

Ponha o intestino em forma

As mulheres sofrem mais de prisão de ventre crônica do que os homens. Indivíduos em idade avançada também são mais acometidos do que os jovens, pois, com a idade, a quantidade de líquidos no corpo é reduzida.

Os idosos sentem menos sede e por isso devem tomar maiores cuidados para ingerir a quantidade suficiente de líquidos. Senão, para todas as formas de prisão de ventre vale a máxima: atividades físicas para o intestino! E existem diversos exercícios regulares e localizados. Além disso, repouso e uma alimentação balanceada são igualmente importantes. Uma massagem abdominal pela manhã; algumas fibras adicionais, como  farelo de trigo e psyllium, ou um copo de água morna antes do café-da-manhã trazem grandes benefícios. E se não funcionar logo no primeiro dia, não se preocupe. Um intestino preguiçoso precisa de tempo para voltar a entrar em forma.

Evite irritações

A prisão de ventre também pode acometer indivíduos que não costumam ter problemas digestivos. Em viagens, por exemplo: troca de fuso horário, mudança climática e, sobretudo, temperos atípicos provocam o caos intestinal.

Com um pouco de paciência e remédios caseiros, o problema se resolve. Se você está doente e de cama, não sobrecarregue ainda mais o intestino.

Mas todo cuidado é pouco quando repentinamente manifestam-se prisões
de ventre, cólicas dolorosas, febre, náuseas e forte inchaço abdominal. Neste caso, procure o médico imediatamente se a prisão de ventre não for resolvida.

Afinal, uma digestão regrada é condição básica para um organismo sadio e capaz.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


Cadastre-se GRÁTIS para continuar lendo


Você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos

Já tem cadastro? Faça login aqui.

Já sou assinante da Revista Impressa

close