Mamas normais têm densidades e texturas variáveis. Entretanto, é preciso estar atenta às mudanças de tamanho e sempre fazer o exame do toque. Nódulos e dores incomuns podem ser sintomas da doença fibrocística da mama.

Antes da menopausa, as mulheres tendem a ter mais tecido e menos gordura nas mamas que posteriormente. Algumas vezes, desenvolvem cistos preenchidos por líquidos ou regiões fibrosas, que podem ficar dolorosas imediatamente antes da menstruação.

Embora a maioria apresente algum desconforto mamário brando durante a vida, algumas têm, todo mês, uma dor intensa a ponto de interferir sua rotina. Essas alterações pré-menstruais há muito são chamadas de “doença fibrocística da mama”.

Entretanto, esse quadro não é uma doença e não aumenta o risco de câncer mamário. Embora ter mamas com vários nódulos possa dificultar a identificação de um eventual câncer.

Nódulos benignos são, em geral, diferenciados dos cancerosos por se deslocarem mais livremente na mama e mudarem com o ciclo menstrual.

Quais são as causas da Doença Fibrocística da Mama?

As alterações fibrocísticas na mama estão vinculadas ao aumento e à queda dos hormônios associados ao ciclo menstrual. Mulheres que produzem níveis muito altos de estrogênio associados a um nível baixo de progesterona após a ovulação podem sofrer mais.

Essa combinação pode gerar uma produção exagerada de prolactina – hormônio que desencadeia a produção do leite. Porém, aumenta a sensibilidade mamária em mulheres que não estejam amamentando.

A maioria dos médicos já não considera o desconforto e o nódulo das mamas fibrocísticas uma doença, pois esse quadro comum acomete praticamente 50% das mulheres com menos de 50 anos.

Muitos especialistas acreditam que a cafeína estimule o crescimento de nódulos ou cistos mamários preenchidos por líquidos. Entretanto, outros pesquisadores afirmam que não existem evidências firmes de qualquer conexão entre essa substância e a hipersensibilidade mamária.

Quais são os sintomas da Doença Fibrocística da Mama?

  • Se aparecer um novo caroço, principalmente se você nem sempre teve mamas com nódulos.
  • Se um caroço crescer, ficar mais duro ou não diminuir após o final da menstruação.
  • Se sair secreção pelo mamilo.
  • Se a sua dor na mama for intensa.

Caso sinta caroços ou nódulos mamários, dolorosos ou não, não hesite em buscar ajuda. O aumento dos nódulos ou no desconforto mamário cerca de 1 semana antes da menstruação também pode ser um sintoma. Fique atenta ao seu corpo e não deixe de se cuidar.

Como é feito o tratamento da Doença Fibrocística da Mama?

Muitas mulheres mencionam alívio da dor mamária após tomarem vitamina E. Não se sabe exatamente a forma como ela funciona, mas alguns especialistas acreditam que bloqueia as alterações no tecido mamário, possivelmente causadas pela cafeína.

Corte a cafeína e veja se ajuda. Além de café e chá, a cafeína é encontrada em chocolate, refrigerantes do tipo cola e alguns remédios vendidos sem receita médica. Podem ser necessários 6 meses até que você note melhoras.

Uma vez que atua no sentido de restaurar o equilíbrio hormonal entre estrogênio e progesterona, a planta vitex pode ter utilidade na redução das alterações mamárias relacionadas à menstruação. Ácidos graxos essenciais frequentemente atuam como anti-inflamatórios.

Além disso, ajudam o organismo a absorver o iodo; níveis baixos de iodo foram vinculados a mamas fibrocísticas. O magnésio também pode reduzir a inflamação e a dor. Em caso de mamas doloridas, use um sutiã com boa sustentação.

Leia mais: Veja como identificar a deficiência de iodo no organismo

A vitamina B6 pode ser benéfica em mulheres que apresentam sintomas de TPM com dor mamária e ajuda o fígado a processar o estrogênio.

Leia mais: Para te ajudar a passar por esse momento chato da TPM, conheça esse manual.

 

Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico.