Não é apenas uma teoria sobre os animais de estimação: está cientificamente provado que cuidar de um animal pode melhorar a nossa saúde. Diminuindo o estresse, baixando a pressão arterial e reduzindo o ritmo cardíaco eles nos divertem e fazem companhia. 

Qualquer risco é em geral bastante compensado pelos benefícios. Contudo, os donos de animais de estimação, sobretudo os mais idosos e pessoas com sistema imunológicos afetados, devem tomar algumas precauções. 

Um amigo com certeza 

Provas espantosamente consistentes associam os animais de estimação ao bem-estar humano. O contato com os animais, sobretudo cães e gatos, produz uma série de benefícios diferentes. 

O problema não é o pelo dos animais de estimação

Claro que tudo tem as suas desvantagens. Pacientes com alegrias causadas por animais correspondem a cerca de 40% de todos os doentes que recorrem aos alergistas.

Geralmente, o problema não é o pelo, mas antes a saliva e as partículas de pele morta que podem conter alérgenos produzidos pelos animais. Essas partículas de pele misturam-se ao pó existente em casa e circulam, causando espirros, olhos lacrimejantes e comichão na pele do doente.

Para ajudar a retirar as partículas de pele do ar, alguns alergistas sugerem que se compre um purificador de ar com um filtro especial para partículas. Os gatos provocam mais reação alérgica do que os cães, sendo os piores os gatos não castrados.

As alergias

Se você for alérgico aos seus animais de estimação, mas não conseguir separar-se dele, poderá se submeter a uma série de injeções contra as alergias, para insensibilizar gradualmente o seu sistema imunológico contra o alérgeno. 

Se o contato for esporádico, bastará um anti-histamínico para aliviar os sintomas. Dar banho nos gatos todas semanas ajuda, mas não elimina o problema. 

Hotel de pulgas 

Os cães e os gatos que passam algum tempo fora de casa podem trazer carrapatos para casa, que depois transmitem para as pessoas. Conforme o tipo de carrapato, este pode ser um mal menor ou a causa da doença de Lyme. Examine os animais periodicamente para ver se eles estão com carrapatos; se encontrar algum, retire-o com uma pinça, mas tenha o cuidado de não o esmagar. 

As pulgas também podem “pegar carona” no seu animal, e um animal infestado causa depressa uma casa infestada. As picadas de pulgas normalmente não constituem um um grande risco para a saúde dos humanos, mas são irritantes.

As pulgas também podem contribuir para a alta incidência das alergias causadas por animais. A investigação indica que as proteínas existentes nas fezes, pele e outros detritos das pulgas podem desencadear reações alérgicas. Se você for alérgico a outros cães ou gatos, mas não aos seus, a alergia pode ser uma não aos animais, mas ás pulgas. 

Existem vários produtos eficazes para a prevenção de pulgas e carrapatos. Pergunte ao veterinário qual o melhor para o seu animal. 

O que o gato traz para casa 

Os gatos transportam uma grande variedade de bactérias que podem infectar os humanos com doenças que vão das passageiras às fatais. A bactéria Rochalimaca henselae pode provocar arrepios e febre, e a Bacillary angiomatosis causa lesões nos ossos, pele e em alguns órgãos. Ambas são transmitidas através do sangue ou pela ingestão de alimentos contaminados. O protozoário Toxoplasma gondii, que causa a toxoplasmose, é um parasita dos gatos que pode ser transmitidos aos humanos através do contato com as fezes do animal. A toxoplasmose pode não apresentar sintomas, mas nas mulheres grávidas é passível de causar aborto ou defeitos congênitos. 

A febre por arranhaduras de gato é uma infecção causada pela bactéria Bartonella. Os primeiros sinais e sintomas são gânglios linfáticos, inchados e dolorosos, próximos ao local da lesão. Também pode provocar dores nas articulações. O tratamento é feito com antibióticos

No que diz respeito às salmonelas, bactérias que produzem sintomas parecidos com a gripe (náuseas, diarreia, cólicas, febre) nas pessoas, os gatos não são os únicos portadores. Os cães, os pássaros e, especialmente, os répteis (incluindo as tartarugas, os lagartos, as iguanas e as serpentes), todos podem ser portadores de salmonelas. São particularmente perigosas — para crianças pequenas, idosos e pessoas com sistemas imunológicos enfraquecidos

Pior que os latidos 

As mordidas de cães levam centenas de milhares de pessoas para as urgências médicas todos os anos — muitas delas crianças. Se você tiver um cão (ou qualquer outro animal), ensine aos seus filhos e netos a se comportarem com o animal (e vice-versa). Inclusive também deve ser ensinado às crianças que nunca se aproximem de um cão desconhecido. 

Caso você encontre um cão agitado e agressivo, desvie os olhos e recue devagar. Gritar uma ordem como “Quieto!” ou “Sentado” pode por vezes fazer o cão parar. Se você for atacado, enrole-se como uma bola, com os braços e mãos cobrindo a cabeça. Não grite, pois pode excitar ainda mais o animal. 

As mordidas de gatos têm mais probabilidade de causar infecções do que as dos cães, porque em geral são mais profundas. Se você for mordido, lave a ferida com água e sabão durante cinco minutos, seque-a e depois vá ao médico. Pode ser necessária uma injeção contra a raiva ou um tratamento com antibióticos. Mas se você não estiver em dia com a vacina contra o tétano, pode precisar de ser revacinado. 

Lave as mãos depois de tratar de um animal ou limpar o caixote, especialmente antes de pegar um bebê ou tocar em alimentos.

As crianças querem pets? Você precisa ler isto antes.