Com a gradual reabertura econômica, que tem incluído shoppings centers e academias, especialistas de saúde recomendam evitar alguns lugares onde a Covid-19 tem maior risco de transmissão. Descubra agora quais são eles e proteja-se!

Leia mais: 11 sinais de que você já teve Covid-19

Covid-19: já estamos longe do perigo?

Depois de meses em casa, muitas pessoas agora tem rompido a quarentena e aproveitado a reabertura econômica no país. Porém, é preciso ter cautela. E isso inclui não achar que agora podemos voltar aos hábitos anteriores à pandemia. 

Ainda com um elevado número de casos de Covid-19 em todo o país, é preciso redobrar a atenção na hora de sair. Além disso, é importante também não se esquecer das recomendações de segurança, que incluem manter o distanciamento social e usar máscaras de proteção.

Em geral, é mais provável que o coronavírus se espalhe em “ambientes internos com fluxo de ar fresco limitado, onde um grande número de pessoas pode se reunir por mais de dez minutos de interações e onde é difícil manter o distanciamento físico”, de acordo com Boris Lushniak, reitor da Escola de Saúde Pública da Universidade de Maryland.

Por isso, ao planejar suas futuras saídas, considere essas recomendações e evite esses seis lugares.

millann/iStock

Bares e restaurantes

Com as flexibilizações de funcionamento em todo o país, um elevado número de pessoas tem retornado a bares e restaurantes.

Porém, geralmente pequenos e mal ventilados, esses lugares são uns dos principais pontos de contaminação da Covid-19.

“Mesmo os bares que estão respeitando a determinação de reduzir a capacidade de funcionamento e de manter o distanciamento social são ambientes de alto risco”, diz o Dr. Lushniak.

Além disso, em bares e restaurantes pode ser muito difícil evitar o contato direto entre as pessoas. Seja na fila na hora de pagar ou para usar o banheiro, por exemplo.

“Conversas altas em bares podem liberar até 10 vezes mais gotículas respiratórias do que uma tosse”, completa o Dr. Lushniak.

Por isso, antes de matar a saudade do seu bar preferido, certifique-se de que é seguro antes.


muri30/iStock

Praias e piscinas

Se tem feito dias ensolarados em sua cidade, talvez você esteja começando a ficar tentado a pegar um bronze na praia. Porém, ainda é preciso ter cautela.

É verdade que as praias permitem maior fluxo de ar do que ambientes internos e há poucas evidências de que o vírus possa se espalhar para as pessoas por meio da água.

Mas especialistas acreditam que as partículas virais ainda podem viajar de uma pessoa infectada para outras próximas, especialmente em locais onde elas permanecem por horas a fio, como praias e piscinas.

Por isso, antes de pôr sua roupa de banho, certifique-se se será possível manter o distanciamento social e utilizar as máscaras de proteção na praia.


ColbieCreative/iStock

Igrejas e outros centros religiosos

Durante a quarentena, grande parte das igrejas têm realizado cultos à distância. Porém, agora observa-se que muitas voltaram a funcionar presencialmente. Mas esses locais são de fato seguros?

Além de passar longos períodos em ambientes fechados, as pessoas dificilmente permanecem afastadas uma das outras nas igrejas, o que aumenta o risco de infecção.

Por isso, quem optar por que comparecem pessoalmente não devem ter medo de perguntar sobre os protocolos de limpeza. E não esquecer de usar a máscara!


/iStock

Academias e centros esportivos

Com a gradual reabertura das academias, muitas pessoas tem cogitado retomar os exercícios. Porém, é preciso ter cautela, pois esses espaços são ambientes de alto risco para transmissão da Covid-19.

Especialistas apontam a ventilação insuficiente, as turmas lotadas e intensidade dos exercícios como os culpados das altas taxas de infecção nas academias.

Por isso, se mesmo assim você decidir ir à academia, não se esqueça das máscaras. E leve seu álcool em gel para desinfectar todos os aparelhos e objetos que usar.