Quando os especialistas em saúde começaram a rastrear o novo coronavírus, eles acreditaram que a infecção que ele causa – a Covid-19 – tinha como alvo principal os pulmões. Contudo, eles notaram outra coisa: 20% a 30% das pessoas hospitalizadas com a doença apresentavam sinais de danos cardíacos, de acordo com um estudo publicado em junho de 2020 na Heart Rhythm.

Leia também: 5 coisas que toda mulher deveria saber sobre doenças cardíacas.

Os pesquisadores inicialmente atribuíram isso ao fato de que os pacientes estavam gravemente enfermos; então, era natural que seus corações também ficassem comprometidos.

Mas à medida que pesquisas sobre os efeitos da Covid-19 foram avançando, os especialistas descobriram que não são apenas os pacientes em estado crítico que têm problemas cardíacos.

O que a Covid-19 causa?

Um estudo publicado em setembro de 2020 na revista médica JAMA Cardiology mostra que o coronavírus pode prejudicar o tecido cardíaco; mesmo em pessoas que tiveram sintomas leves ou até nenhum sintoma. E, embora seja muito cedo para ter certeza, outro estudo publicado na edição de julho na mesma revista sugere que esse dano pode ser permanente.

“Este vírus infecta quase todos os órgãos do corpo e o coração não é exceção”, diz Oscar Cingolani, do Hospital Johns Hopkins, em Baltimore.

Veja, a seguir, o que acontece quando há uma inflamação no coração.

Milena Shehovtsova/iStock

Quando o coração fica inflamado

O que os cardiologistas chamam de “miocardite” – inflamação do músculo cardíaco – pode enfraquecer o coração e causar estragos no sistema elétrico do coração.

Isso, por sua vez, torna mais difícil para o coração bombear sangue e causa ritmos cardíacos anormais.

Não é uma novidade, pois a miocardite pode ser causada por vírus, como o da gripe, bem como bactérias, fungos ou doenças autoimunes.

O que está cada vez mais claro é que “o novo coronavírus pode infectar o coração como outras inflamações”, diz o Dr. Cingolani.

“O coração também pode ser danificado pela inflamação que o corpo produz para combater a infecção.”

No estudo de setembro, os pesquisadores analisaram 26 atletas universitários que se recuperaram da Covid-19. Em quatro dos atletas, as ressonâncias magnéticas mostraram inflamação do músculo cardíaco. Dois deles, no entanto, não apresentaram sintomas da doença.

“Ainda não sabemos as consequências de longo prazo desse comprometimento cardíaco”, diz o Dr. Cingolani. Mas “é importante prestar muita atenção às pessoas que praticam esportes”.

Leia também: Entenda como as inflamações crônicas podem prejudicar o coração.

 


CIPhotos/iStock

Quais são as consequências?

A Covid-19 também danifica as células endoteliais, que são as células de superfície lisa que criam uma barreira dentro dos vasos sanguíneos para o sangue fluir.

“Quando essas células são infectadas, vários mecanismos de proteção ficam comprometidos”, diz o Dr. Cingolani.

O sangue pode coagular nas pequenas artérias, explica ele, e o resultado pode levar a pequenas cicatrizes e áreas de inflamação ou até mesmo a um ataque cardíaco; coágulos nas artérias dos pulmões podem privar o coração de oxigênio, diz o médico.

Leia também: Descubra a ligação entre doenças cardiovasculares e gordura intra-abdominal.


Nuthawut Somsuk/iStock

Outras maneiras de a Covid-19 afetar o coração

1. Cardiomiopatia de estresse (síndrome do coração partido)

Infecções virais podem causar cardiomiopatia, uma doença do músculo cardíaco que afeta a capacidade do coração de bombear o sangue com eficácia.

Quando atacado por um vírus, o corpo sofre estresse e libera uma onda de substâncias químicas chamadas catecolaminas que podem desorientar o coração, diz o Dr. Cingolani.

“Geralmente é transitório, mas também pode ser fatal se não for cuidado adequadamente.”

Um estudo publicado em julho na JAMA Network Open descobriu que a incidência de cardiomiopatia por estresse quase triplicou durante a pandemia.

Normalmente, as taxas variam entre 1,5% e 1,8%; elas agora aumentaram para 7,8%.

Leia também: Conheça a síndrome do coração partido.

 


klebercordeiro/iStock

2. Ataque cardíaco

A Covid-19 aumenta a possibilidade de ter o que é conhecido como infarto do miocárdio (ataque cardíaco) em pacientes com fatores de risco cardiovascular.

Leia também: Saiba como a aspirina pode ser um aliado milagroso contra ataques cardíacos.