O plástico foi uma das invenções humanas que alcançaram um alto nível de popularidade. Ainda é difícil imaginar uma rotina sem qualquer resquício do produto, porém a preocupação com o meio ambiente e a poluição pedem maior atenção a esse problema. É preciso frear o consumo de plástico, que só vem aumentando ano após ano.

Para se ter uma ideia, desde 1950, quando a produção começou, a indústria fabricou 8,3 bilhões de toneladas métricas de plástico. Dessa quantidade, apenas 9% foram reciclados desde então.

O uso contínuo e irresponsável do plástico gera problemas ambientais graves. A ilha de lixo que vem se formando nos últimos anos no oceano Pacífico e animais mortos são apenas alguns exemplos. O plástico oferece consequências negativas ao meio ambiente, não apenas em sua produção como também em seu descarte. Por esse motivo, a reciclagem e reuso inteligente são alternativas necessárias à utilização de plástico.

O que é BPA?

O bisfenol A (sigla BPA) é uma substância química utilizado na fabricação da maioria dos produtos de plástico utilizados. Alguns revestimentos também utilizam o BPA. Muitos produtos comuns, como CDs, mamadeiras, eletrodomésticos, talheres descartáveis e outros utilizam o BPA em sua composição.

No entanto, o composto é nocivo para a saúde, e representa um risco enorme de contaminação. Os riscos envolvem desequilíbrio hormonal, que pode levar até mesmo ao surgimento de cânceres, de acordo com muitas pesquisas, já que o corpo é capaz de absorver o composto.

Por isso, um dos imperativos para reduzir o consumo de plástico não se refere apenas ao meio ambiente, mas também a sua própria saúde.

Lei municipal no Rio baniu o consumo de plástico em bares em 2018

Por esse motivo, o uso de plástico no dia a dia deve ser moderado. Canudos de plástico, por exemplo, foram recentemente banidos da cidade do Rio de Janeiro. Uma lei municipal sancionada em 2018 obrigou estabelecimentos comerciais a utilizarem canudos feitos de papel biodegradável. A lei é pioneira no país, e espera-se que outros municípios e estados sigam essa tendência.

Você também pode colaborar com atitudes simples em seu dia a dia para reduzir o consumo de plástico. Confira algumas dicas para isso:

  • 1. Repense suas atitudes

    A primeira coisa que se deve considerar é: qual a sua relação com o plástico? Será que você está utilizando demais? Quais utensílios podem ser substituídos em sua rotina? Tenha em mente o uso consciente do plástico na hora de reavaliar a quantidade dele no seu dia a dia. Uma mudança radical não é necessária, claro – mas é preciso que você tenha critérios bem definidos para começar a reduzir o plástico significativamente. E não se engane: qualquer redução, por menor que seja, já ajuda!

    Julia_Sudnitskaya/iStock
  • 2. Pare de usar garrafinhas de plástico

    Mesmo as pessoas bem-intencionadas já pensaram que reutilizar as garrafinhas de plástico comuns pode ser uma forma sustentável de economizar com o plástico. Mas não é bem assim. Por serem frágeis, essas garrafas perdem a durabilidade com o tempo, fazendo com que sejam inevitavelmente trocadas. Além disso, um fator mais importante é a sua saúde: as garrafinhas de água têm maior propensão a serem contaminadas por bactérias diversas. Prefira garrafas de vidro ou alumínio, que podem ser reutilizadas e não oferecem riscos à saúde se forem lavadas corretamente após o uso.

    yanik88/iStock
  • 3. Você utiliza cosméticos com esfoliantes sintéticos? Chegou a hora de parar

    Muitos cosméticos levam plástico em sua fabricação, e alguns esfoliantes não fogem à regra. Para reduzir o consumo de plástico com esses produtos, você pode recorrer à opção de fabricar os seus próprios esfoliantes naturais, com o pó de café, ou fabricados através de receitas simples, como você pode conferir nesta matéria.

    artursfoto/iStock
  • 4. Pratique o upcycling

    Você já ouviu falar em upcycling? É uma prática Do It Yourself (DIY, “Faça Você Mesma” em português) que consiste em repensar em novas funções para objetos velhos. Muitos produtos de plástico, ao invés de irem para o lixo, podem servir para outras coisas em sua casa, como, por exemplo, decoração. Dê asas à sua imaginação e comece a praticar o upcycling com o que você tem em casa!

    kinemero/iStock
  • 5. Utilize sacolas retornáveis de algodão

    Muitos supermercados já estão adotando essa ideia: o consumo de sacolas plásticas vem sendo substituído pelo de sacolas retornáveis, feitas de algodão, mais resistentes e que podem ser utilizadas mais de uma vez. É uma grande ajuda ao meio ambiente e a sua casa, já que sacolas plásticas são altamente prejudiciais e enchem o seu lar de sacolas que nunca serão reutilizadas – ou apenas irão para o lixo de qualquer forma, contribuindo para a poluição.

    Artit_Wongpradu/iStock
  • 6. Prefira as fraldas de pano

    Se você ainda utiliza as fraldas de plástico para o seu bebê, pense de novo. Muita gente pensa que as fraldas de pano não são econômicas, mas não é bem assim: na verdade, gasta-se mais com fraldas descartáveis ao ano do que com fraldas de pano. Com o bônus de que elas não agridem o meio ambiente! Além disso, oferecem muito menos riscos à saúde do bebê do que fraldas descartáveis quando são lavadas frequentemente e de forma correta.

    kasjato/iStock
  • 7. Esqueça os canudos de plástico

    Já falamos que os canudos de plástico já começam a ser banidos em algumas cidades do Brasil, mas você pode começar a bani-los de sua vida hoje mesmo. O canudo não possui nenhuma outra função específica na hora de beber um suco ou refrigerante, e quase nunca são utilizados novamente (nem devem!). Por isso, prefira beber sem eles ou utilizar canudos feitos com produtos biodegradáveis.

    fullempty/iStock
  • 8. Não compre produtos embalados com plástico

    Ainda é comum, apesar das proibições de plástico em alguns municípios, que empresas embalem frutas e verduras em recipientes de plástico ou isopor. Além de fazer mal para a saúde (já que o contato por tempo demais pode contaminar os alimentos), a saída é extremamente prejudicial ao ambiente. Diminuir o consumo dessas embalagens pode forçar empresas a repensarem o modo como condicionam seus produtos.

    sergeyryzhov/iStock
  • 9. Evite marmitas ou lancheiras de plástico

    Se você precisa levar um lanche ou almoço para o trabalho, ou preparar comida para os seus filhos comerem na escola, prefira utilizar outro tipo de recipiente sustentável. Potes de aço inox são uma boa saída. No entanto, potes livres de BPA (bisfenol A) também podem ser encontrados. Enrole o lanche em um guardanapo e acondicione dentro dos potes para evitar contato com as paredes internas.

    simoningate/iStock
  • 10. Elimine as vasilhas de plástico da cozinha

    Você é fã dos famosos potes de plástico que podem ser encontrados em qualquer lugar? Bom, pode ser que você precise repensar essa atitude. Muitos desses potes plásticos muito utilizados na cozinha para esquentar comida no micro-ondas, mas podem contaminar a comida. É melhor optar por conjuntos de potes de vidro ou sem BPA.

    Andrey Nikitin/iStock
  • 11. Dica velha, porém importante: enlatados, nunca mais

    A luta contra os enlatados é antiga. Apesar da preferência de muita gente por esse tipo de alimento, eles contêm alto risco de contaminação por substâncias presentes nas embalagens. Prefira alimentos frescos, que podem ser encontrados em feiras ou redes de frutas e verduras.

    FabrikaCr/iStock
  • 12. Opte por escovas de dente biodegradáveis

    As escovas de dentes são itens que precisam ser trocados frequentemente. De acordo com alguns dentistas, o ideal é que a troca seja realizada de três em três meses, o que pode representar um perigo para o meio ambiente se escovas comuns são utilizadas comumente. É possível encontrar em farmácias e lojas verdes escovas biodegradáveis, feitas de bambu e cerdas feitas a partir de óleo de mamona e nylon, resistentes a fungos e bactérias.

    Manuta/iStock
  • 13. Carregue seus próprios utensílios 

    Compre e mantenha talheres e copos de aço inox  e guardanapos sempre com você. A medida pode reduzir o consumo de talheres e copos descartáveis. O uso de um guardanapo, de quebra, também reduz a necessidade de utilizar guardanapos de papel frequentemente.

    Rawf8/iStock
  • 14. Esqueça as esponjas sintéticas

    As esponjas sintéticas utilizadas para banho são itens que passam despercebidos (ou quase) quando se pensa em diminuição de plástico no dia a dia. Mas a verdade é que elas são tão prejudiciais quanto outros utensílios utilizados diariamente, já que demoram muito tempo para se decompor. A alternativa viável é o emprego de buchas vegetais, que são orgânicas e baratas.

    gob6680/iStock

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!