Lá vamos nós para o tão aguardado final de semana. E para começar com o pé direito nada melhor do que dar boas risadas com algumas histórias engraçadas curtinhas dos nossos leitores, não é mesmo?

Um policial entra na radiopatrulha e faz contato com a central.
– Tenho um caso interessante aqui – diz ele. – A mulher matou o marido a tiros por pisar no chão que ela acabou de lavar.
– Você a prendeu? – pergunta o delegado.
– Não, ainda não. O chão ainda está molhado.

Rose Mattix

Meu marido achou que nossa vida seria mais fácil se ele pusesse um novo interruptor no quarto principal, assim nos pouparia de tatear no escuro para acender a luz. Ele abriu um buraco na parede e encontrou um amontoado de vidros e pequenas caixas dentro dela.
– Querida! – chamou ele, todo animado. – Venha ver o que achei!
Eu corri e logo percebi que sua próxima tarefa seria consertar o buraco que havia sido feito atrás do nosso armário de remédios.

– Nola Pirart

Eu estava visitando uma amiga, e ela não conseguia encontrar o celular. Após vários minutos de busca, sua filha mais nova disse:
– Sabe o que deviam inventar? Um telefone que ficasse preso à base e nunca desaparecesse.

– Miriam Scow

Conheço um pastor que usa uma liturgia-padrão em enterros. Para personalizar cada cerimônia, ele dá o comando “localizar e substituir” no editor de textos. O computador, então, seleciona o nome do falecido anterior e o substitui pelo nome do falecido seguinte. Não faz muito tempo, esse pastor mandou localizar o nome “Maria” e substituí-lo por “Edna”. Na manhã seguinte, o enterro transcorria normalmente até que a congregação recitou o credo. “Jesus Cristo”, leram todos no programa impresso, “…nasceu da Virgem Edna…”

– Robin Greenspan

Quando minhas cópias impressas começaram a sair cada vez mais fracas, liguei para uma assistência técnica e um homem muito gentil me informou que a impressora devia estar apenas precisando de uma limpeza. Como a loja cobrava 50 reais pelo serviço, ele sugeriu que seria melhor se eu lesse o manual e tentasse limpá-la por minha conta. Agradavelmente surpresa com sua sinceridade, perguntei:
– Seu patrão sabe que você dispensa os clientes assim?
– Na verdade, isso é ideia dele – respondeu o funcionário, meio constrangido. – Em geral ganhamos mais dinheiro com os consertos se deixamos as pessoas tentarem fazer o trabalho sozinhas primeiro.

– Michelle R. St. James

Quando fui morar na Califórnia, estava com os nervos à flor da pele por causa dos terremotos. Linda, uma amiga que viveu a vida inteira lá, era indiferente a eles. Lembro de uma vez que, ao pararmos num sinal, o carro dela começou a tremer. Ela parecia preocupada até eu balbuciar:
– Acho que está havendo um terremoto.
– Graças a Deus! – disse ela. – Achei que havia algo de errado com meu carro.

– Dyan Arnold

Tentando explicar à nossa filha de 5 anos o quanto os computadores haviam mudado, meu marido apontou para nosso PC novinho em folha e disse-lhe que, quando ele estava na faculdade, um computador com aquela mesma capacidade tinha o tamanho de uma casa. Arregalando os olhos, nossa filha perguntou:
– E de que tamanho era o mouse?

– Cyndy Hinds