A caxumba, ou papeira, é considerada uma infecção viral e contagiosa. Causada pelo vírus da família Paramyxoviridae, normalmente, a doença afeta mais crianças e adolescentes, mas também pode acometer adultos de qualquer idade.

A transmissão do vírus da caxumba ocorre com mais frequência através do contato direto com a saliva de pessoas infectadas ou com gotículas das vias aéreas, como espirros, por exemplo. Já a contaminação através de objetos é menos frequente. 

Na maioria dos casos, os indivíduos com caxumba têm uma evolução tranquila e sem perigos. No entanto, em alguns casos mais raros, pode ocorrer complicações que acabam resultando em internações ou até mesmo em morte.


Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico.


Quais são os sintomas da caxumba?

Os sintomas da infecção costumam aparecer de 12 a 15 dias depois que o vírus foi contraído. Já a transmissão varia entre 5 e 7 dias antes do aparecimento dos sintomas e dura até 9 dias após o surgimento deles. 

A manifestação mais comum da caxumba é o inchaço nas glândulas salivares, popularmente conhecidas como “papo”, acompanhado de febre. Mas, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30% das infecções podem não apresentar aumento aparente dessas glândulas.

Outros sintomas comuns são:

  • Dor e inchaço nas glândulas salivares (conhecido popularmente como “papo”)
  • Febre alta
  • Dor de cabeça
  • Perda de apetite
  • Dor ao engolir
  • Cansaço e fraqueza
Imagem: KatarzynaBialasiewicz/iStock

Além desses, em casos mais graves, é possível que ocorra:

  • Inflamação nos testículos
  • Inflamação no tecido mamário (nas mulheres)
  • Pancreatite (inflamação do pâncreas)
  • Inflamação nos ovários
  • Inflamações no cérebro e na meninge (meningite)

O diagnóstico da caxumba só é possível após passar por uma avaliação médica. A confirmação da presença do vírus é feita através do exame de sangue.

Tratamento da caxumba: como é feito?

Não existe um tratamento específico. Na maioria dos casos o tratamento da caxumba é baseado nos sintomas clínicos do paciente. Para aliviar as dores, por exemplo, é possível fazer o uso de anti-inflamatórios e analgéticos, além de ser necessário o repouso e a observação constante do paciente para que ele não venha a ter complicações. 

Os indivíduos infectados com o vírus da caxumba costumam ter uma recuperação de forma mais natural e constante, sem maiores preocupações, em até duas semanas. 

É importante lembrar: o médico sempre deve ser consultado em caso de surgimento dos sintomas ou dúvidas sobre a infecção. 

Como se prevenir da caxumba?

Aqui, no Brasil, a única forma de prevenção é com a aplicação de vacinas específicas. 

Leia também: Por que a vacinação é importante?

Imagem: Remains/iStock

O SUS, Sistema Único de Saúde, oferece gratuitamente duas vacinas de prevenção, que inclusive fazem parte do Calendário Básico de Vacinação:

  • Tríplice viral: protege contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Treta Viral: além das três doenças citadas acima, adiciona proteção contra catapora.

A tríplice viral é a vacina mais comum de ser usada como forma de prevenção. A sua primeira dose deve ser administrada aos doze meses de idade e a segunda entre quatro e seis anos. 

Já os adultos que não tiveram caxumba durante a infância e adolescência devem ser imunizados, pois existe a possibilidade da vacina perder a eficácia com o passar dos anos.

Contudo, é preciso ficar atento: mulheres grávidas não podem tomar a tríplice viral pois pode provocar aborto. Imunodeprimidos, ou seja, pessoas que tem o mecanismo interno de defesa comprometido, como é o caso de pacientes com implantes, por exemplo, também não podem fazer o uso da vacina.