Faça uma busca
Superdicas

Tudo o você precisa saber sobre o uso de laxantes

Os laxantes não são necessariamente o melhor remédio para a obstipação. Veja outras alternativas!

Escrito por:

Julia Monsores

Redator
laxantes
ackF/ Istock
Publicado em: Última atualização:

Muitas pessoas sofrem ou já sofreram de prisão de ventre em algum momento. Os sintomas podem ir da dilatação às dores de estômago, mas para muitas pessoas a solução é a mesma: laxantes. No entanto, os laxantes têm riscos, e tomá-los em excesso pode provocar uma prisão de ventre persistente, ou a síndrome do “intestino preguiçoso”. Alguns laxantes são mais suaves do que outros, e alguns, como os de óleo de rícino, sene e cáscara-sagrada, podem ser extremamente agressivos.

Table Of Contents[ Hide ]

Os laxantes são realmente necessários?

Os laxantes não são necessariamente o melhor remédio para a obstipação. Antes de decidir tomar um laxante, responda a estas perguntas:

  1. É regular? A regularidade da atividade intestinal é uma questão individual. Para algumas pessoas, isso significa defecar uma vez por dia; para outras, não. Os médicos concordam que três movimentos intestinais por semana ainda pode ser considerado regular. Porém, se forem duas vezes por semana, ou menos, e se as fezes forem secas, duras e a evacuação dolorosa, então você sofre de obstipação. Um laxante pode trazer alivio temporário, mas o funcionamento intestinal regular a longo prazo depende de alterações permanentes do estilo de vida.
  2. A sua alimentação mudou? Alterações na dieta e no exercício podem causar obstipação. No entanto, retomar rotinas saudáveis traz melhoras. Vale a pena lembrar que alterações normais associadas ao envelhecimento podem causar alterações temporárias ou mesmo permanentes da atividade intestinal.
  3. Está tomando algum medicamento novo? A prisão de ventre pode ser um efeito secundário de antidepressivos, xaropes para a tosse, sedativos, antiácidos e suplementos à base de ferro. Fale com seu médico, pois talvez a dose possa ser alterada ou ele prescreva outro medicamento.

Alimentos frescos: quanto mais, melhor!

Uma solução rápida – mas com riscos em potencial 

Tomar laxantes, exceto os suplementos de fibras, durante muito tempo pode causar inúmeros problemas de saúde. Os laxantes podem causar uma perigosa alteração dos fluidos orgânicos e dos eletrólitos (minerais que ajudam a manter o equilíbrio químico do corpo), fraqueza muscular e anomalias do ritmo cardíaco e, se usado de forma crônica, afetar o cólon.

8 dicas para montar uma lista de compras super saudável

Muitos laxantes contém magnésio, mineral muitas vezes presente em antiácidos e analgésicos. Tomar grandes doses dos três produtos ao mesmo tempo pode causar sobrecarga de magnésio, que pode ser fatal. O risco é maior para quem sofre de problema renal ou doença crônica que afete os rins, como o diabetes ou a hipertensão.

Laxante de rícino

Atenção aos laxantes à base de rícino, álone, sene, cáscara-sagrada. Isso porque eles podem causar cólicas, diarréias, náuseas, vômitos e desidratação.

Laxante para emagrecer

Nunca tome laxantes para facilitar a perda de peso. Os laxantes não impedem que as calorias sejam absorvidas. Além disso, eles ainda podem causar uma dependência física e graves alterações, até mesmo mortais, no metabolismo.

Suplementos vitamínicos: veja 8 dicas para tomar os seus

O que fazer para evitar o laxante

  • Beba mais água – pelo menos seis a oito copos por dia;
  • Coma alimentos ricos em fibras: cereais integrais, legumes, saladas, leguminosas e frutas;
  • Inclua cereais ricos em fibras na dieta (se possível, com farelo);
  • Faça exercício regularmente, mesmo que seja só andar a pé;
  • Vá ao banheiro sempre que tiver vontade;
  • Tente ir ao banheiro todos os dias aproximadamente à mesma hora;
  • Consulte um médico se os seus intestinos não regularizarem em suas semanas.