A saúde financeira de uma família é como um organismo vivo: depende de cuidado e atenção para ficar bem. Por isso, realizar um planejamento financeiro é de suma importância para que o bem-estar da família. Ainda mais em tempos de crise. No entanto, muitas pessoas não sabem por onde começar e acabam cometendo alguns erros que poderiam ser evitados com mais informação. Por isso, listamos os 8 erros mais comuns no planejamento financeiro e como evitá-los.

1. Não pesquisar antes de contratar um serviço

Quando você procura por um serviço, como os oferecidos por operadoras de internet e TV a cabo, a pesquisa é a sua melhor aliada. Antes de investir em um pacote, procure por informações como disponibilidade de área, atendimento ao cliente e qualidade de reparos técnicos.

Alguns sites como o Reclame Aqui podem ser de grande ajuda. Pesquise as reclamações frequentes sobre a empresa que deseja contratar. Essas informações provavelmente serão úteis na hora de colocar na balança se vale a pena investir ou não no serviço.

2. Ir ao supermercado toda semana

Um dos erros mais comuns no planejamento financeiro está em fazer pequenas compras em supermercados. Se for possível, planeje-se para realizar compras mensais com o necessário para a sua casa. Fazer pequenas compras toda semana pode acarretar em gastos maiores, como combustível ou estacionamento.

Procure também supermercados atacados. Comprar alimentos e outros itens em quantidade pode sair bem mais barato.

3. Comprar alimentos em quantidades grandes demais

Apesar da dica anterior ser muito eficiente para economizar dinheiro, um planejamento financeiro eficiente requer uma avaliação cuidadosa.

Antes de ir às compras, confira as quantidades geralmente utilizadas pela sua família. Comprar alimentos demais pode gerar desperdício de comida e de dinheiro, já que podem passar da validade.

3. Adquirir itens desnecessariamente

Evite comprar itens que não se adequem às suas necessidades imediatas. Encher a sua cozinha de potes ou outros utensílios, por exemplo, apenas porque estavam mais baratos pode ser um desperdício.

O mesmo vale para roupas. Evite comprá-las aos montes se não for usá-las em pouco tempo.

4. Não fazer manutenções regulares

Negligenciar o conserto e a manutenção de seu carro ou a sua casa pode gerar ainda mais dor de cabeça no futuro. Se há um problema com o encanamento ou o seu carro apresenta problemas no motor, procure um especialista imediatamente.

Uma goteira, por exemplo, pode ser o início de uma infiltração na parede, que gerará gastos muito maiores. Um cano entupido também pode gerar gastos com água, e assim por diante. Além de aumentar a sua segurança, isso pode evitar multas de trânsito ou até mesmo retenções do veículo por parte do órgão municipal de trânsito.

5. Esquecer a renda mensal familiar

Um planejamento financeiro familiar deve levar em consideração a renda mensal para calcular gastos. De acordo com economistas, é essencial ter noção da renda bruta para absorver gastos fixos.

Uma das formas mais simples de controlar a renda e os gastos é organizar os dados na sua frente. Por isso, fazer uma planilha de gastos é uma forma eficiente de controlar melhor o fluxo de dinheiro em casa. Organize todas as despesas mensais e seus valores. Estipule um valor máximo da sua renda para reservar aos gastos e não ser pego de surpresa.

6. Esquecer de se divertir com seus amigos e família

Em meio a tantas atribulações do dia a dia, o lazer é a hora que você tem para relaxar. Não negligencie o poder de um momento com seus amigos, ou até mesmo sozinho. Você certamente vai precisar de algum momento de diversão.

Por isso, reserve uma parte da sua renda especificamente para o lazer todo mês. Sem dúvida, você se sentirá bem e sem culpa por ter gastado o que planejou.

7. Deixar de ensinar economia aos filhos

Quem tem filhos pequenos costuma lutar contra diversos gastos, mesmo quando estão mais crescidos. Por esse motivo, é essencial fazer com que eles saibam lidar com o dinheiro desde cedo. Os pais devem encontrar formas de ensinar o valor de objetos, como os seus próprios brinquedos.

À medida que vão crescendo, outros aspectos podem surgir com o intuito de educá-los. Isso faz com que, no futuro, eles possam também contribuir para a saúde financeira da família e, ao mesmo tempo, aprender o valor do dinheiro.

8. Deixar de contratar um seguro

A fim de economizar, muitas pessoas acabam não pagando um seguro para casas, carros ou outros bens. Porém, o seguro é um gasto necessário em um dia a dia que é repleto de imprevistos. Assim, procure um seguro que ofereça planos confortáveis para você.