Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 26 de março de 2021

Afinal, quem deve evitar o consumo de leite?

Rico em cálcio, o leite ajuda a formar ossos e prevenir osteoporose

Imagem: Crédito: DenizA/iStock

O leite é um dos alimentos mais consumidos em todo o mundo. Rico em proteínas, carboidratos e gorduras, é uma opção saudável para crianças e para adultos.

Mas apesar dos benefícios evidentes, a polêmica em torno de seu consumo ainda é grande. E isso porque há quem diga que adultos não devem consumir leite, e que essa bebida não é assim tão saudável… Mas essa imagem procede?

Segundo a Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), o leite e seus derivados merecem destaque por constituírem um grupo de alimentos de grande valor nutricional, uma vez que são fontes consideráveis de proteínas de alto valor biológico, além de ricos em vitaminas e minerais.

“O consumo habitual desses alimentos é recomendado, principalmente, para que se atinja a adequação diária de ingestão de cálcio, um nutriente que, dentre outras funções, é fundamental para a formação e a manutenção da estrutura óssea do organismo”, explicam.

Leite: principal fonte de cálcio na alimentação

consumo de leite
Crédito: Andrei Kravtsov

O leite é considerado o principal alimento fonte de cálcio. Uma das funções do cálcio em nosso organismo é contribuir para a densidade óssea — isto é, para a boa formação de ossos, reduzindo as chances de contrair osteoporose na velhice, quando os ossos tornam-se fracos e mais suscetíveis a fraturas.

Além disso, o cálcio também é necessário para a comunicação normal entre as células nervosas, a coagulação sanguínea, a cicatrização e a contração muscular.

Para indivíduos saudáveis que necessitam de 2.000 kcal/dia, de acordo com a Pirâmide Alimentar, recomenda-se o consumo diário de três porções de lácteos como forma de contribuir para que sejam atingidas as recomendações diárias de cálcio e proteínas para a manutenção da saúde. Sendo assim, em um copo de leite, d 200 mL, já obtem-se uma dessas porções.

Além disso, o leite também é rico em outros minerais como fósforo, magnésio, zinco e selênio, e em vitaminas A, D e E.

No entanto, o leite de vaca possui baixas concentrações de ferro e folato, sendo este um dos motivos pelo qual não se recomenda o consumo desse alimento às crianças menores de um ano de idade, dando preferência ao aleitamento materno.

Rico em proteína de alto valor biológico

receita de pavê simples de chocolate
Imagem: iStock

Outro ponto a favor do leite é que ele é rico em proteínas. Em um copo de 200 ml, há 6,4 g de proteína de alto valor biológico, que contemplam todos os aminoácidos essenciais em quantidades adequadas para suprir as necessidades humanas.

Segundo o indicador Protein Digestibility – Corrected Amino Acid Score (PDCAAS), que é estabelecido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e pela Organização Mundial da Saúde (FAO/
WHO) para atestar a qualidade proteica, as proteínas contidas no leite apresentam grau máximo de qualidade (= 1) podendo, portanto, ser comparadas à albumina, tida como padrão-ouro nesse quesito.

No entanto, algumas pessoas podem apresentar dificuldades de digestão do leite. É o caso de quem sofre com intolerância ou sensibilidade.

“O leite possui proteínas como caseína, alfa-lactoalbumina e beta lactoglobulina, que poucas pessoas conseguem digerir bem, trazendo desconfortos gastrointestinais e respostas inflamatórias e imunológicas”, explica a Dra. Caroline Maretto, nutricionista da clínica Aguilera.

Opções alternativas ao leite

opcoes alternativas ao consumo de leite
Crédito: robynmac

No Brasil, segundo a pesquisa Datafolha (2018), cerca de 35% da população se queixa de desconforto digestivo após o consumo de alimentos derivados do leite. Isso ocorre pela intolerância à lactose, que surge quando o intestino da pessoa não produz enzima (lactase) necessária para realizar a digestão da lactose, o açúcar presente de forma natural no leite e em outros laticínios.

Nesses casos, é preferível substituir sua ingestão por outros alimentos ricos em cálcio. Como por exemplo, variedades de vegetais verde-escuros e de frutas secas, que também são consideradas boas fontes de cálcio, segundo a SBAN.

No entanto, embora esses vegetais sejam fontes de cálcio, é preciso ingeri-los em quantidades relativamente superiores à do leite para que sejam atingidas quantidades significativas deste mineral.

Os leites vegetais também podem ser consumidos por quem deseja reduzir ou parar com o consumo. Além de gostosos, são ricos em fibras e indicados também para quem tem problemas intestinais como gastrite, prisão de ventre e síndrome do intestino irritável. Confira aqui algumas receitas de leites vegetais.

5 perguntas respondidas sobre consumo de leite

Alergia à proteína do leite de vaca
(Imagem: a_namenko/iStock)

Para tirar todas as dúvidas sobre o consumo de leite, conversamos com a Dra. Caroline Maretto, que respondeu 5 perguntas comuns entre as pessoas. Confira abaixo.

Seleções: A versão semidesnatada é saudável? Quando deve ser consumida?

Dra. Caroline Maretto: A versão semidesnatada possui um menor teor de gordura e normalmente é utilizado em dietas com restrições calóricas e por pessoas que gostam e consomem o leite por opção.

Seleções: O leite é um alimento de difícil digestão?

Dra. Caroline Maretto: Sim, possui proteínas que são difíceis de digerir e muitas pessoas têm reações adversas como gases, distensão abdominal, problemas de pele, ativação do sistema imunológico.

Seleções: É verdade que a ingestão de leite pode gerar pedras nos rins?

Dra. Caroline Maretto: Não há evidências que comprovem essa teoria.

Seleções: Há diferença entre alergia à proteína do leite e alergia à lactose?

Dra. Caroline Maretto: O leite de vaca deve ser evitado principalmente por pessoas intolerantes ao carboidrato do leite (lactose) e alérgicos ou sensíveis à caseína (proteína do leite). Pessoas com doenças alérgicas, inflamatórias e autoimune também precisam evitar.

Alergia à proteína do leite é uma resposta do sistema imunológico, gerando processos inflamatórios e alérgicos no organismo.

Intolerância à lactose é a incapacidade do corpo em ter enzimas lactase suficientes para digerir esse carboidrato, resultado em alguns sintomas como cólicas e dores.

Seleções: O leite é imprescindível na alimentação?

Dra. Caroline Maretto: Não necessariamente. Há como ter uma boa saúde, boa formação de massa óssea mesmo sem consumir o leite. Conseguimos isso através de uma alimentação rica em legumes, verduras, proteínas e grãos de boa qualidade, estímulo à prática de atividade física, bons níveis de vitamina D. Além disso, leites vegetais (coco, amêndoa, castanha, gergelim, arroz, aveia) são alternativas nutritivas para quem tem intolerância ou alergias

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados