Os principais sintomas da gastroenterite infecciosa são: cólica, febre, vômito e diarreia, afirmam os pesquisadores. O germe responsável pelo problema: o norovírus, vírus supercontagioso que causa 90% dos episódios de gastroenterite. Mas por que as gastroenterites são tão contagiosas? O norovírus, pertencente a uma família de germes resistentes responsável pela maioria dos casos, é altamente contagioso antes que surjam sinais de alerta. Eis alguns bons motivos para não dispensar a proteção:

  • Número de partículas virais necessárias para infecção: Menos de 10
  • Porcentagem de pessoas infectadas que transmitem a doença mas não têm sintomas: 30
  • Período no qual a pessoa continua a transmitir a doença depois que cessa o vômito: 2 a 3 semanas
  • Tempo de vida do vírus em assoalhos, bancadas e outras superfícies rígidas: 3 dias
  • Tempo de vida em superfícies “macias” como tapetes: até 12 dias

Outros vírus e bactérias também podem causar doenças intestinais; e as precauções a seguir poderão ajudar você e sua família a evitar a próxima infecção.

Principais estratégias de prevenção

1. Lave as mãos

Você pode contrair uma gastroenterite infecciosa facilmente ao tocar uma maçaneta contaminada ou apertar a mão de alguém que esteja doente. A melhor defesa: sabão, água, 20 segundos de lavagem enérgica e enxágue. Um estudo realizado na Universidade Emory mostrou que a lavagem das mãos eliminou 96% das partículas virais em comparação com a eliminação de apenas 46% por um produto higienizante à base de álcool. Não há uma pia por perto? Então, álcool gel é uma boa alternativa.

2. Mantenha fora da cozinha pessoas doentes ou que estiveram doentes recentemente

Muitas epidemias de gastroenterite infecciosa foram causadas por alimentos preparados por pessoas que tinham infecção ativa ou em fase de melhora. Enxote da cozinha os amigos e parentes doentes. Se não conseguir, limpe bancadas e outras superfícies com desinfetante ou com uma solução de uma colher (chá) de água sanitária para um litro de água morna. Se um amigo ou parente doente trouxer comida de casa para uma reunião, evite-a.

3. Limpe logo depois que alguém vomitar

Depois que uma pessoa vomita ou tem diarreia, a limpeza rápida evitará a propagação dos germes. Limpe as superfícies sujas com uma mistura de água e água sanitária. Use luvas de borracha e toalhas de papel – descarte-as no lixo fora de casa. Lave as luvas antes de retirá-las. Cuide para que a pessoa doente também se lave e troque imediatamente de roupa, que deve ser lavada separadamente na temperatura mais alta da máquina. Use um pouco de alvejante, se possível, seguindo a orientação para lavagem.

Em geral, um episódio de gastroenterite é desconfortável, mas não é grave. No entanto, é preciso ficar atento a sinais de desidratação ou infecção persistente nas crianças pequenas, em idosos e em qualquer pessoa com o sistema imunológico debilitado. Beba bastante líquido e chame o médico caso note estes sinais: sede muito intensa, boca seca, urina escura ou em pequeno volume, diminuição das lágrimas, fraqueza, letargia, tonteira.

4. Lave frutas e hortaliças

Vírus e bactérias que causam vômito e diarreia podem proliferar em quase todo tipo de comida. Evite a contaminação: lave, armazene e cozinhe os alimentos com segurança.

5. Segurança no mar

Os cruzeiros não são os únicos lugares onde se pode contrair germes intestinais como o norovírus; os casos apenas tiveram muita publicidade porque esses resorts fechados e altamente sociais propiciam o ambiente perfeito para a transmissão dos germes. Estudos mostraram que o risco de infecção a bordo aumentou um pouco nas duas últimas décadas. Estas medidas poderão ajudá-lo a se proteger nas próximas férias a bordo de um navio.

  • Lave as mãos com frequência. Em um estudo recente realizado pelos Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA, as pessoas que contraíram gastroenterite infecciosa em cruzeiros lavavam menos as mãos depois de usar o banheiro e usavam menos os higienizantes para mãos, mesmo após o início de um surto.
  • Use o “aperto de mão” de cruzeiro. Ao cumprimentar o capitão ou conhecer o casal da cabine ao lado, use a alternativa oficial ao aperto de mãos: o toque de leve com os cotovelos. Diversas linhas de cruzeiro incentivam essa novidade para reduzir o risco de transmissão de vírus.