A maioria de quem se exercita com frequência relata uma maior sensação de bem-estar. Isso resulta de uma combinação de fatores, mas, sobretudo, de uma redução no estresse e uma atitude mental mais positiva. Portanto, podemos concluir que a máxima “corpo são, mente sã” não poderia ser mais verdadeira. Veja como esse processo acontece.

Como seu corpo reage

Após a liberação da tensão e da ansiedade, segue-se um estado de relaxamento, que propicia um bem-estar e até euforia. As explicações para essa elevação do humor variam, mas há três teorias principais:

  • Teoria da “euforia do corredor”. Ela afirma que o exercício prolongado libera no cérebro as endorfinas, ou seja, substâncias químicas que elevam o humor.
  • Teoria dos termogênicos. Atribui níveis baixos de tensão a um aumento da temperatura corporal, que, por sua vez, afeta as ondas cerebrais.
  • Teoria dos neurotransmissores. Sugere que o exercício amplia a sensibilidade dos receptores cerebrais de serotonina. Desse modo, torna tais mensageiros químicos naturais mais eficazes na redução da dor.

Além do efeito sobre o estado emocional, o exercício regular promove um aumento da autoestima; graças a uma melhor imagem corporal e maior autoconfiança. Portanto, ao se sentir capaz por completar um exercício e desenvolver suas habilidades adquire-se estabilidade emocional e autossuficiência notáveis.

O exercício ou o esporte não têm de ser intensos para melhorar o humor e aliviar o estresse. Mesmo esportes moderados garantem benefícios emocionais, graças à atividade física e às oportunidades sociais que oferecem.

Alivie a pressão

Apesar de ser um fenômeno psicológico, o estresse tem efeitos físicos claros. Certo grau de estresse é inevitável, e até desejável, no cotidiano, já que pode agir como um estímulo para maiores conquistas. Além disso, também melhora o desempenho físico, acelerando o metabolismo. No entanto, se crônico, os níveis de excesso são prejudiciais e capazes de causar doenças físicas potencialmente fatais.

O papel do estresse

A reação corporal ao estresse ajuda você a lidar com perigos físicos. Numa situação estressante, a adrenalina e a noradrenalina são liberadas, dando energia extra. A frequência cardíaca aumenta e a pressão arterial sobe, o fígado lança glicose para produzir energia e todos os sentidos se aguçam, já que o corpo vivencia um estado de vigilância extrema. Entretanto, essas mudanças fisiológicas demandam uma resposta física. Assim, quando o estresse não é liberado, pode gerar danos físicos e tensão mental.

Danos a longo prazo

Níveis altos de hormônios do estresse no sangue aumentam a frequência cardíaca e a pressão arterial, podendo provocar infarto. A longo prazo, elevam os níveis de gordura e colesterol no sangue e causam o entupimento de artérias com o acúmulo de ácidos graxos, ampliando também as chances de um ataque cardíaco.

O estresse a longo prazo ainda pode enfraquecer o sistema imunológico, deixando-o propenso a infecções, e levar à depressão, já que tensão, ansiedade e fadiga afetam o equilíbrio das substâncias químicas cerebrais.

Estudos indicam que 30-60 minutos de exercício moderado elevam os níveis de endorfina, reduzindo a ansiedade, a depressão e o estresse. Não esqueça: Corpo são, mente sã!

Corpo são, mente sã

O exercício e a interação social conseguem aliviar o estresse e algumas formas de depressão. Junte ambos e terá um excelente tônico para a melancolia. Inscreva-se em atividades em grupo no seu bairro, como aulas de:

  • ioga;
  • natação;
  • ginástica;
  • dança.

Divirta-se!

Embora você possa se exercitar sozinho, frequentar aulas de ginástica e de dança, clubes, ou integrar equipes esportivas é uma excelente maneira de fazer amizade. Os objetivos em comum e a sensação de conquista de colegas criam vínculos potentes. E fazer parte de um grupo pode trazer a conscientização de que há muitos com ambições similares às suas.

Nos estágios iniciais de um novo programa de exercício, a presença e o encorajamento dos outros ainda ajudam a motivá-lo a aderir e a evitar a sensação de que o exercício seja uma tarefa.