Se o seu sonho é abandonar a rotina do escritório e conciliar trabalho com viagens, a vida de nômade digital pode ser o que você procura. Como o próprio nome sugere, o mundo é o seu ambiente de trabalho; e a monotonia não tem vez! Tendo uma boa conexão com a internet, qualquer lugar pode ser o ideal para se conectar com clientes e desenvolver suas atividades profissionais. Entretanto, tudo tem os seus prós e contras. Então, antes de tomar sua decisão, conheça alguns deles.

Não largue tudo para ser um nômade digital

Pode parecer desanimador, mas é justamente isso o que você não deve fazer. Um pensamento muito comum, porém errado, que a grande maioria pode ter é que basta pedir demissão, colocar o pé na estrada e ser feliz. Mas, se você fizer isso, conseguirá apenas entrar, mais cedo ou mais tarde, para a estatística de desempregados; que cresce cada vez mais. Para ser um nômade digital é preciso planejamento.

Saiba como criar metas e alcançá-las!

Antes de comprar sua passagem ou encher o tanque de gasolina, é necessário garantir uma fonte de renda para manter esse estilo de vida. Quase todos as profissões podem se desdobrar em prestação de serviços online. Se você é advogado, pode criar um curso preparatório para concursos online. Se trabalha com vendas entre empresas, pode ser contratado para fazer vendas in loco pelo mundo. Se é economista, pode se especializar num determinado assunto e vender palestras e e-books sobre o tema.

As possibilidades são inúmeras! Não é preciso ser somente redator, youtuber, designer ou programador pra ser um freelancer nômade digital. A internet te oferece recursos para divulgar o seu talento, encontrar novos clientes e desenvolver o seu trabalho sem que seja necessário estar num ambiente limitado. Basta apenas aprender como tirar o melhor que ela pode oferecer. Para isso, existem alguns cursos que te mostram o caminho das pedras e te preparam para a “falta de rotina dos seus sonhos”. Veja um deles!

O mundo é dos proativos

A vida de nômade digital pode ser muito solitária. Mas, felizmente, a quantidade de coworkings vem aumentando quase que proporcionalmente ao número de profissionais freelancers. Esses espaços são pensados com o objetivos de ciar oportunidades de contato entre os profissionais (networking) enquanto propiciam boas condições de trabalho – ambiente confortável, com boa internet e infraestrutura. Grandes cidades, como Florianópolis e Rio de Janeiro, já contam com diversos coworkings perfeitamente equipados.

Além disso, é possível encontrar um ótimo ambiente de trabalho também em cafés e bares especializados em receber freelancers. Estabelecimentos desse tipo são mais informais, porém agradáveis e com um bom wi-fi. O importante é não se isolar enquanto vive como nômade digital; a vida de viajante já é muito solitária. Mesmo não permanecendo por muito tempo em um único lugar, vale a pena conhecer os profissionais locais ou outros que também sejam nômades. Ter iniciativa é uma boa maneira de apresentar seu trabalho e conhecer gente nova. Quem sabe não surge uma nova parceria?

Conectado com o mercado de trabalho

De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil já conta com mais de 1 milhão de autônomos, sendo boa parte profissionais freelancers. Esta já é uma realidade mundial, cada vez mais os trabalhadores estão deixando os escritórios e exercendo suas funções em casa (home office) ou como nômade digital. Alguns mantém o vínculo com a empresa em que trabalhava, outros se lançam numa nova experiência. Mas o que os motiva é a mesma coisa: ser feliz.

Conheça as vantagens de ser um freelancer home office.

Então, se você está pensando em fazer parte dessa comunidade imensa de profissionais remotos, mas ainda tem dúvidas, assista o curta E-Nômades (abaixo). O documentário foi dirigido por Lucas Rangel Pinto e conta a história e a rotina de três nômades digitais; um deles brasileiro. Descubra se esse pode ser o seu novo jeito de viver a vida!

 

Por Thaís Garcez