Bullying é mais do que brigas e discussões. É a implicância e a perseguição de um grupo de pessoas sobre alguém. É um comportamento agressivo constante de um grupo ou indivíduo contra alguém muito menos confiante ou poderoso com a intenção de intimidar, importunar e humilhar. O bullying pode ser frente a frente (xingamentos e empurrões, por exemplo), a distância (com boatos) ou nas mídias sociais (cyberbullying).

As crianças que sofrem bullying perdem a autoconfiança e a sensação de segurança. Para muitas, é difícil admitir a situação, por vergonha ou medo de aumentar as agressões. Além disso, o fardo que carregam pode provocar mudanças persistentes do comportamento e da personalidade bem depois desse transtorno. Portanto, veja como é possível solucionar o problema do bullying no dia a dia.

Sinais importantes

A vítima de bullying fica mais introvertida, menos confiante, dorme mal, se isola dentro de si e passa mais tempo sozinha. Ele nunca deveria ser tolerado como parte normal da infância ou da fase adulta. A criança agredida sofre estresse, assim como os riscos associados ao seu bem-estar físico e mental. Inclusive, tende a se transformar em um adulto com problemas de saúde.

O bullying é um grande causador de estresse, com efeitos potencialmente profundos na saúde física e mental.

O bullying não se limita ao pátio da escola e é muito comum no local de trabalho (assédio moral). O assédio moral inclui fazer comentários e usar linguagem ofensiva ou agressiva, excluir alguém deliberadamente das atividades corporativas, estabelecer prazos impossíveis ou mudá-los constantemente, trocar as mesas de lugar para incomodar um funcionário ou grupo específico de funcionários e espalhar desinformação e boatos maldosos. Ele não precisa ser frente a frente; é comum ser por e-mail, mensagens e postagens em mídias sociais. Além disso, os responsáveis podem formar um grupo que ofenda e assedie um ou mais colegas.

Cyberbullying

O bullying sempre existiu, mas as mídias sociais acrescentaram uma nova modalidade: o cyberbullying. Essa prática é muito comum entre adolescentes, e envolve o envio de mensagens e e-mails ameaçadores e humilhantes e postagens nas mídias sociais. As mensagens postadas não são vistas apenas pela pessoa agredida, mas também por seus amigos. Por isso, por ser público, pode ser muito estressante para a vítima dessa agressão.

Como vencer o bullying

Eis alguns passos para ajudar as vítimas de perseguição.

  • Tente iniciar uma conversa sobre bullying em geral. Enfatize que ele é totalmente inaceitável e nunca deve ser tolerado. Experimente diminuir o poder dos agressores ressaltando que, em geral, quem faz isso é covarde; ainda mais quando se esconde atrás da tecnologia e manda mensagens de texto ou e-mails. Deixe bem claro que a culpa não é da vítima de perseguição.
  • Incentive-a a procurar alguém de confiança para conversar sobre o problema. Pode ser um familiar, um amigo ou um profissional de saúde, como psicólogos.
  • O bullying não deve ficar impune. Chame as autoridades competentes para resolver o problema assim que ele for detectado. No caso das crianças, pode ser a diretoria da escola ou até mesmo a polícia especializada; geralmente há uma página de denúncias nas mídias sociais. A maioria das escolas tem políticas para evitar qualquer forma de bullying. As empresas têm a mesma responsabilidade de proteger seus funcionários, em caso de assédio moral.
  • Bloqueie imediatamente os e-mails e as mensagens dos agressores.
  • Promova a autoestima de seu filho incentivando a prática de hobbies e atividades extracurriculares que aproveitem seus talentos. Essa pode ser uma oportunidade de desenvolver relacionamentos saudáveis entre crianças com interesses parecidos e de aumentar a confiança no longo prazo. Algumas opções: esportes coletivos, dança, grupos de música e teatro, aulas de culinária ou pintura (quando for possível, após a pandemia). Isso também vale para os adultos!
  • Retaliar nunca é bom, mas anote quando e onde ocorreram as agressões. Não apague e-mails e mensagens intimidadoras e capture as telas das postagens para usar como evidência.