Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 29 de abril de 2021

Inflamações crônicas podem prejudicar o coração

A inflamação propicia o surgimento de placas nas artérias. Saiba como se proteger.

Imagem: Natali_Mis/iStock

A inflamação é um efeito colateral do trabalho do sistema imunológico. No entanto, na inflamação crônica as defesas do sistema imune são acionadas e permanecem ligadas. Os médicos descobriram muitos fatores que podem causar inflamação crônica nas artérias: infecções menores, como a gengivite ou a bactéria H. pylori, causadora da úlcera de estômago; substâncias liberadas pelo excesso de gordura na barriga; e até mesmo o envelhecimento. 

Leia também: veja como reforçar o seu sistema imunológico

Como ocorrem as inflamações crônicas?

inflamacoes cronicas prejudicam o coracao
Imagem: Tharakorn/iStock

A inflamação crônica é nociva para o coração por contribuir para o acúmulo de placa nas artérias. Funciona deste jeito: quando as substâncias químicas inflamatórias descobrem as partículas de LDL nas paredes arteriais, enviam os macrófagos para erradicar o “mau” colesterol. Os subprodutos desse ataque são as células espumosas (partículas de LDL oxidado), que formam a base da placa.

À medida que a placa cresce, desenvolve uma capa rígida e fibrosa, mas os compostos inflamatórios podem enfraquecer essa capa protetora, tornando-a suscetível à ruptura e a sua liberação na corrente sanguínea. Outros compostos inflamatórios estimulam a coagulação e, quando duradoura, a inflamação de baixa intensidade promove uma oferta constante desses compostos na corrente sanguínea, podendo, também, levar ao ataque cardíaco.

O que há de novo 

A ligação entre inflamações internas e doenças cardíacas só foi identificada nos últimos anos. Agora sabemos que as inflamações crônicas podem ajudar os médicos a predizer quais pacientes com níveis de colesterol quase normais podem evoluir para um ataque cardíaco.

Até o momento, não existem remédios para inflamações crônicas, embora as estatinas, os betabloqueadores e a aspirina em doses pequenas possam atuar como anti-inflamatórios. Os médicos investigam se doses baixas de antibióticos são apropriadas para pessoas com infecções menores. Além disso, você sabia que existem alimentos que atuam como anti-inflamatórios naturais? Conheça-os!

Como diagnóstico, os médicos utilizam um exame de sangue para um marcador inflamatório chamado Proteína C-Reativa (PCR). Este exame de alta sensibilidade está se tornando rotineiro no tratamento cardiovascular.

Viabilidade do autotratamento

gordura boa
Imagem: iStock

O autotratamento é bastante viável para a maioria das pessoas – mas apenas quando se trata o corpo todo. O uso de fio dental, por exemplo, é importante para erradicar infecções gengivais. O cuidado com a digestão é importante para minimizar as bactérias causadoras de úlceras.

Além disso, tente reduzir a gordura corporal consumindo a maior quantidade possível de ácidos graxos ômega-3, que diminuem a inflamação e são encontrados em peixes de água fria, em nozes, no óleo de linhaça e no óleo de peixe.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados