Como você cuida da sua saúde e garante o seu bem-estar no verão? Em épocas em que a exposição ao sol é maior e mais prejudicial, alguns cuidados básicos com o corpo são necessários. Especialmente durante este ano, que deve bater recordes de temperatura, segundo meteorologistas.

A hidratação, proteção solar e uma alimentação balanceada são fundamentais. Segundo a dermatologista Natalia Cymrot, devemos dar atenção especial à pele do rosto, “uma vez que esta é a área mais frequentemente acometida pelo câncer de pele não melanoma”. Ela também lembra outros problemas comuns no verão, como desidratação, insolação, queimaduras solares e aumento da incidência de micoses de pele.

Apesar de muitos desses problemas já serem conhecidos pelos brasileiros, ainda é comum que as pessoas não tomem todos os cuidados necessários ou acreditem em mitos. Além disso, outro erro bastante cometido é focar em apenas uma parte do corpo e deixar as outras de lado.

Mitos sobre protetor solar: não caia neles

Recentemente surgiu uma onda de dúvidas e mitos em relação aos benefícios do uso de protetor solar. Um deles é que o composto oxibenzona (presente nos protetores) seria tóxico e agressivo para a pele.

“Realmente a oxibenzona ou benzofenona, que protege contra os raios UVB e UVA, tem sido evitada por alguns fabricantes, principalmente por ser mais alérgica. Mas o protetor solar protege contra o câncer de pele, sendo este um consenso entre os dermatologistas”, diz a dermatologista Natalia Cymrot.

Cymrot ressalta que a aplicação do produto precisa ser feita da forma correta. Ou seja, deve ser passado 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada duas horas. 

Outro mito está ligado ao protetor solar de uso oral. Segundo a dermatologista, este tipo de produto ajuda na proteção, mas nunca deve ser usado isoladamente. Ainda de acordo com Cymrot, os protetores solares tintos são mais eficientes que os transparentes, porque bloqueiam a luz visível, que também contribui para o escurecimento de manchas, como o melasma.

Cuidados com o cabelo no verão

Algumas delícias de verão, como banhos de piscina, mar e até mesmo o sol, são capazes de prejudicar o cabelo, segundo a dermatologista Andrea Frange. Para evitar o desgaste, a especialista ressalta a importância de hidratar os fios nesses momentos. “Lavar com água doce fresca para remover o excesso do sal e do cloro é essencial”, diz.

Mas, assim como o rosto, é importante aplicar produtos que possuam filtro solar e usar bonés e chapéus para proteger o cabelo do sol. “Estudos mostram que radiação UVA, UVB e luz visível causam alterações na cor e perda proteica da fibra capilar. Portanto, essas medidas são aconselháveis”, afirma Frange. 

cuidados-cabelo-verão
Segundo especialista, cabelos cacheados precisam de mais hidratação no verão. (Foto: Ridofranz/iStock)

Para os cabelos com química, é preciso ficar atento com a reposição de queratina, a proteína que compõe os fios capilares. “Por serem fios mais fragilizados, eles demandam cuidados redobrados. O uso de máscaras naturais e procedimentos nos salões são sempre bem-vindos”, explica a dermatologista.

Ainda de acordo com Andrea Frange, a hidratação é ainda mais importante para quem tem cabelos cacheados, já que os fios são naturalmente mais secos. “É bom usar cremes mais hidratantes antes e após a exposição solar”, recomenda.

Por fim, os cabelos oleosos também podem piorar no verão. Assim, a dermatologista aconselha utilizar xampus mais adstringentes ou aumentar a frequência das lavagens para uma limpeza mais profunda do couro cabeludo.

Foco na alimentação

Muito se fala dos cuidados com a pele, mas é interessante pensar também em como os alimentos podem influenciar a saúde no verão. A nutricionista Bruna Mambrini separou algumas dicas para quem procura cuidar da beleza e bem-estar através da alimentação.

Hidratação

Água, água de coco, água saborizada (com frutas picadas) são ótimas soluções para o verão. Leve sempre sua garrafinha para não se esquecer de se hidratar.

Alimentos com propriedades antioxidantes

Frutas, verduras e legumes em geral. Brócolis, cenoura, manga, laranja, abobrinha, berinjela, couve, limão. Vá à feira e se delicie com todas as opções naturais.

Vitamina C

Antioxidante, ela participa de diversas reações bioquímicas que aumentam disposição. Os que possuem maiores fontes de vitamina C são: acerola, caju, goiaba, laranja e limão.

Refeições mais leves

São ótimas opções para almoço e jantar, isso por que uma refeição como uma feijoada (mais gordurosa) automaticamente te deixa menos disposto. Por isso, invista nas saladas bem coloridas e temperadas, uma fonte proteica e uma fonte de carboidratos.

Redução da sensação de fadiga

Castanhas, amêndoas, feijões, lentilha, soja e vegetais verde escuros possuem magnésio, que é essencial para reduzir a sensação de fadiga, uma vez que este nutriente atua em diversas enzimas responsáveis pela produção de energia.

ANA BEATRIZ GONÇALVES/FOLHAPRESS