Você costuma se esgotar emocionalmente? Preocupa-se com o que pode acontecer e não com o que está acontecendo? Pois saiba que a maioria das causas que nos preocupam nunca acontece de fato ou se resolve com o tempo. Talvez sua personalidade forte deixe a vida mais estressante do que o necessário. Embora algumas características da personalidade sejam herdadas, muitos padrões de comportamento são aprendidos e podem ser repensados. Conhecer-se e compreender-se pode ser uma ótima defesa para lidar com crises inesperadas.

Descubra sua personalidade

No início da década de 1960, cardiologistas americanos perceberam que mais da metade de seus pacientes cardiopatas não tinha fatores de risco comuns; como colesterol alto e hipertensão arterial, obesidade e hábito de fumar. Além disso, quiseram saber o que causava a cardiopatia.

Tipo A

A observação atenta revelou que esses pacientes tinham personalidades semelhantes, ou seja, eram todos competitivos e ambiciosos. Lidavam também com prazos curtos. Essa personalidade agressiva foi chamada de Tipo A. Tais indivíduos parecem estar sempre com pressa e são incapazes de relaxar. Aceleram a vida comendo, andando e falando rápido, numa batalha constante e pessoal contra o tempo, uma característica chamada de “doença da pressa”.

As pessoas com personalidade forte geram bastante estresse para si e para os outros, além de provocarem constantemente a resposta do corpo ao estresse, bem mais do que seria aceitável.

Nosso modo de ver a vida determina, em boa parte, o estresse ou a tranquilidade que sentimos e até o tipo de problema de saúde que enfrentamos.

Tipo B

Quem não tem essas características é do Tipo B. Além de mais relaxadas e pacientes, são menos impetuosas. Elas ajustam com mais sensatez seu ritmo e sua carga de trabalho e são menos rancorosas e hostis. Isso é visto no tipo de doença que apresentam e em sua expectativa de vida. Parece que as pessoas primariamente do Tipo B têm risco muito mais baixo de cardiopatias do que as do Tipo A.

Pela primeira vez, a personalidade e o comportamento foram ligados à saúde física.

Reduza o estresse

Não é possível transformar a sua personalidade, mas você pode não só se esforçar para mudar o modo de lidar com os problemas assim como planejar-se para reduzir o estresse.

  1. Aprenda a reconhecer as origens e os sintomas e avalie regularmente seu nível de estresse.
  2. Planeje as ocasiões em que o estresse sempre aumenta.
  3. Descubra o que funciona melhor para reduzir e controlar seu estresse.
  4. Tente adotar em sua vida mais comportamentos do Tipo B

Como ter mais características do Tipo B

A famosa fábula de Esopo descreve as características dos dois tipos. Aqui, a lebre impetuosa pertence ao Tipo A, e a tartaruga mais tranquila e menos estressada, que se esforça com constância rumo à chegada, ao Tipo B. Entretanto, a maioria das pessoas mistura os dois tipos.

Mas se você tem muitas características do Tipo A, experimente essas dicas para pôr mais Tipo B em sua vida. Sua saúde vai agradecer!

  • Evite o máximo possível pessoas do Tipo A. Mas se não conseguir fazer isso, controle com mais frequência sua língua e a tendência para competir e vencer a qualquer custo.
  • Tente elogiar e ajudar os que o cercam em vez de viver querendo superá-los.
  • Reconheça que delegar não significa falta de capacidade. Deixe que os outros o ajudem; eles se sentirão valorizados.
  • Ao dirigir, permita que outros motoristas o ultrapassem ou avancem primeiro em cruzamentos.
  • Quando alguém o cortar no trânsito, acene e sorria; depois, ria ao recordar quantas vezes você já se comportou desse modo.
  • Se estiver numa fila lenta, deixe algumas pessoas passarem à sua frente sem se aborrecer.
  • Pratique alguma atividade tranquila ao ar livre, como pedalar, caminhar, pescar ou remar.
  • Faça aulas de cerâmica ou marcenaria, aprenda a tricotar, faça estofamento de móveis ou compre livros de colorir para adultos; tudo o que exige concentração com paciência acalma o temperamento e o coração.