Faça uma busca
|
Publicado em: 2 de julho de 2020

Covid-19 e diabetes: 17 coisas que os médicos querem que você saiba

A relação entre a Covid-19 e o diabetes está apenas começando a ser estudada

Imagem: celsopupo/iStock
Publicidade


Os casos de infecção pela Covid-19 estão voltando a crescer. E esse aumento é especialmente preocupante para pessoas com certas condições crônicas, incluindo o diabetes; já que correm um risco muito maior de desenvolver complicações sérias e até morrer de Covid-19. Agora, um artigo no New England Journal of Medicine (NEJM) sugere que a infecção por Covid-19 poderia provocar diabetes em pessoas que ainda não tinham a doença. Ou ainda, se acontece apenas o diagnóstico das pessoas que não sabiam que eram diabéticas.

  • Halfpoint/iStock

    1. O que esta nova publicação nos diz 

    O artigo publicado no NEJM, assinado por vários médicos, não é um estudo, mas apontou que houve casos de diabetes diagnosticados em pacientes com Covid-19 sem conhecida condição prévia, além de complicações graves em pessoas que já tinham a doença. Uma dessas complicações é a cetoacidose diabética (CAD), quando há um aumento potencial de açúcar no sangue com risco de morte. Os autores estabeleceram um registro para o acompanhamento de pacientes com diabetes relacionado à Covid-19, e eles esperam começar a responder a algumas das muitas perguntas que têm sido feitas.


  • andriano_cz/iStock

    2. Muitas perguntas ainda

    Neste ponto, ninguém sabe ao certo qual é a relação entre Covid-19 e diabetes, embora existam algumas teorias. “O objetivo deste artigo é levantar muitas perguntas e atrair mais médicos para contribuir com o registro de novos diagnósticos de diabetes”, diz a Dra. Deena Adimoolam, endocrinologista e porta-voz da Sociedade Endócrina.


  • ratmaner/iStock

    3. Diabetes e Covid-19: o que sabemos 

    Os cientistas descobriram que o vírus se liga a um receptor específico (enzima conversora de angiotensina 2 ou ACE2) nas células humanas, encontrado não apenas nos pulmões, mas também em órgãos que desempenham papéis importantes no diabetes. Isso inclui as células beta no pâncreas, que produzem insulina, além de tecido adiposo e rins, de acordo com os autores da NEJM. Veja também como a resistência à insulina é uma epidemia crescente.

    É possível que o coronavírus cause danos no sistema metabólico ao invadir esses órgãos. Nesse caso, não seria completamente inesperado, pois outros vírus que se ligam aos receptores ACE2 também causam diabetes, acrescentam.

    Ninguém sabe se os problemas de açúcar no sangue desaparecem depois que a pessoa se recupera da Covid-19. Ninguém sabe também se o paciente que foi diagnosticado diabético é mais provável que seja do tipo 1 (o pâncreas não produz insulina) ou do tipo 2 (falha na resposta à insulina e/ou o pâncreas não produz o suficiente do hormônio); essas são apenas duas das muitas perguntas que o registro de acompanhamento dos novos pacientes com diabetes espera explorar.


  • juststock/iStock

    4. Por que ao contrair Covid-19 há mais complicações com diabetes? 

    Pessoas com diabetes e que contraem qualquer tipo de vírus tendem a ser mais difíceis de tratar. “Isso ocorre porque as células imunológicas [de pessoas com diabetes] estão comprometidas devido ao alto nível de açúcar no sangue“, explica a Dra. Adimoolam.


  • Suze777/iStock

    5. O risco de morte 

    Cerca de um terço das mortes pelo novo coronavírus ocorre em pessoas com diabetes tipo 1 ou 2. De acordo com uma análise de mais de 250.000 pessoas na Inglaterra, as pessoas com diabetes tipo 1 tiveram um risco 3,5 vezes maior de morrer de Covid-19 em comparação com aquelas sem diabetes. Pessoas com diabetes tipo 2 tinham duas vezes mais chances de morrer.

    Esses resultados ainda precisam ser confirmados, mas outros estudos relataram resultados semelhantes. Se os pacientes tivessem outra comorbidades que poderiam levar a piores resultados da Covid-19 – idade avançada, negros ou asiáticos ou histórico de doença cardíaca –, o risco era ainda maior, uma descoberta que se encaixa em pesquisas anteriores.


  • pittawut/iStock

    6. É pior se o diabetes não estiver controlado?

    Diabetes descontrolado ou mal controlado significa que os níveis de açúcar no sangue de uma pessoa permanecem altos apesar do tratamento – mas se isso quer dizer que um paciente vai piorar é uma questão complicada.

    “Houve alguns estudos de observação sugerindo que, se você tem diabetes mal controlado durante a infecção por Covid-19, é mais provável que tenha um resultado ruim como precisar de UTI, ser intubado, usar suporte ventilatório ou morrer”, diz o Dr. Morgan Jones, professor assistente e diretor de serviços de endocrinologia para pacientes internados na University of North Carolina Health, em Chapel Hill. Não está claro se você fica doente porque o açúcar no sangue está fora de controle ou se o açúcar no sangue está fora de controle porque você está doente.


  • fightbegin/iStock

    7. Outros fatores de risco 

    Pessoas obesas, e especialmente as obesas mórbidas, também têm maior probabilidade de ter complicações da Covid-19 e até morrer da doença, diz Dr. Jones. “Exatamente por que é difícil dizer.” Estar acima do peso é um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes e manter um peso saudável pode ajudar a controlar o açúcar no sangue.

    Os níveis de açúcar no sangue que não permanecem estáveis também contribuem para algumas das complicações do diabetes, como neuropatia (como o pé diabético), cegueira, doença cardíaca e doença renal, de acordo com a American Diabetes Association (ADA). Algumas dessas condições também colocam você em maior risco de complicações da Covid-19.


  • celsopupo/iStock

    8. Existe um risco maior de cetoacidose diabética com Covid-19? 

    Em geral, há um risco maior de cetoacidose diabética (CAD) em pessoas que têm diabetes (especialmente diabetes tipo 1) e uma infecção viral, diz a ADA. Outros eventos traumáticos, como ataque cardíaco e AVC, também podem aumentar o risco de CAD, diz o Dr. Jones, pois o doente não pode tomar sua insulina. Dr. Jones diz que em seu hospital não tem visto muita CAD em pacientes com diabetes devido à Covid-19, mas em outras regiões e países, sim. Pelo menos um estudo observou um nível mais alto de cetoacidose diabética em pacientes hospitalizados em Wuhan, China. De fato, o melhor remédio ainda é a prevenção.


  • herraez/iStock

    9. Prevenção de sepse

    Segundo a ADA, muitas pessoas com diabetes e Covid-19 tiveram sepse e choque séptico. A CAD pode agravar isso. A American Diabetes Association sugere a verificação de cetonas (compostos potencialmente perigosos que podem se acumular no sangue), se o açúcar no sangue tiver sido superior a 240 mg/dl em dois ou mais testes consecutivos. Enquanto muitos pacientes diabéticos hospitalizados com Covid-19 têm níveis muito altos de açúcar no sangue e precisam de grandes quantidades de insulina, outros na verdade têm níveis mais baixos, diz o Dr. Jones. “Não sabemos exatamente como cada indivíduo se comportará da perspectiva do diabetes”, acrescenta.


  • Ridofranz/iStock

    10. Consulte seu médico  

    Se você tem diabetes, mesmo que seus níveis de açúcar no sangue sejam controlados – e mesmo se você não tiver motivos para pensar que tem Covid-19 ou foi exposto ao vírus – mantenha contato com seu médico.

    “O que eu mais encorajo os pacientes a fazer é ligar para o seu médico para uma consulta”, diz o Dr. Jones; pessoal, se você estiver confortável em ir a um consultório médico, ou virtual. “Vários estudos mostraram que o atendimento virtual, por telefone ou vídeo, é muito eficaz”, ressalta.


  • AlexRaths/iStock

    11. Esteja preparado 

    Caso você fique doente – com o Covid-19 ou outra coisa – tenha um plano, aconselha a ADA. Ligue para o médico se tiver sintomas como febre ou tosse seca, com outras informações, que incluem os níveis de açúcar no sangue, uma leitura de cetona (existem kits de teste em casa, para o diabetes tipo 1) e a quantidade de líquido que você está bebendo.


  • Kwangmoozaa/iStock

    12. Faça o teste de diabetes e pré-diabetes

    São 12,5 milhões (7%) de brasileiros afetados, segundo o Ministério da Saúde. E, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, mais da metade dos adultos com o diabetes tipo 2 não são diagnosticados (cerca de 90% de todas as pessoas com diabetes). Se você ainda não o fez, faça o teste de diabetes e pré-diabetes.

    A recente publicação do NEJM é “um ótimo aviso de saúde pública para qualquer pessoa interessada em fazer o teste de diabetes”, diz a Dra. Adimoolam. “Testar é uma simples picada no dedo.”


  • fizkes/iStock

    13. Sinais e sintomas 

    Enquanto o pré-diabetes e mesmo o diabetes geralmente não apresentam sintomas, você deve estar atento a sinais, como visão embaçada, urinar frequentemente, boca seca e sensação de cansaço permanente, explica a Dra. Adimoolam. Se você está acima do peso ou obeso e tem histórico familiar da doença, pense em fazer o teste.


  • MihaPater/iStock

    14. Verifique se você tem suprimentos suficientes 

    Embora pareça não haver escassez de suprimentos para diabetes, como insulina, medicamentos e tiras de teste, o Dr. Jones recomenda que você obtenha suprimento extra. “Consiga um suprimento para 90 dias em vez de 30 dias”, ele aconselha. E de pelo menos para duas semanas, no caso de você precisar ficar em quarentena.”


  • adrian825/iStock

    15. Verifique se os suprimentos estão corretos

    Se você for infectado pela Covid-19, alguns de seus medicamentos podem mudar – outro motivo para entrar em contato com seu médico. “Alguns medicamentos que usamos para diabetes, embora extremamente eficazes e bons para a saúde em geral, podem precisar ser ajustados [se você tiver a doença]”, diz o Dr. Jones. Por exemplo, você pode precisar de mais insulina se estiver doente. E você deve beber mais líquidos se ficar doente.


  • BlindTurtle/iStock

    16. Controle seu diabetes 

    Dados os riscos em potencial, se você estiver infectado com a Covid-19, é ainda mais importante prestar atenção aos seus níveis de glicose no sangue, diz a Federação Internacional de Diabetes. Além de remédios e água, convém garantir que você tenha alimentos saudáveis para não se preocupar. Se você mora sozinho, tenha alguém que possa ajudar se você ficar doente. Além disso: faça escolhas de estilo de vida que ajudem a manter seu diabetes sob controle, como dormir o suficiente, manter um horário regular e não cometer excessos.


  • Tomas Ragina/iStock

    17. Proteja-se contra a Covid-19 

    Este é um conselho que todos devem seguir, mas principalmente se você tiver uma condição crônica como diabetes. Pratique o distanciamento social, o que significa ficar de um metro a um metro e meio de distância dos outros, use máscara e lave as mãos regularmente com água e sabão. Veja aqui os 10 erros comuns na hora de lavar as mãos.

    “Evite qualquer coisa que não seja necessária para a vida diária, como compras no mercado e idas ao consultório”, diz a Dra. Adimoolam. “Você precisa tomar decisões inteligentes em relação às interações sociais”. Se você mora com outras pessoas, elas devem tomar as mesmas precauções que você – como se elas também fossem do grupo de risco.

    “Para as pessoas que sabem que têm diabetes, é importante compreender que correm maior risco de desenvolver complicações da Covid-19”, diz ela.

    Leia também Coronavírus: O melhor remédio é a prevenção.

    Por Amanda Gardner


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close