Graças à sabedoria das culturas mais saudáveis e longevas do mundo, bem como aos novos insights que se tornaram possíveis com a tecnologia, os pesquisadores dizem que as antigas percepções sobre o envelhecimento estão obsoletas. Existem maneiras de envelhecer de forma saudável.

Sim, o nosso corpo muda – mas isso significa um declínio inevitável na saúde à medida que envelhecemos? Claro que não! Cada um de nós pode ter uma vida forte, saudável, vibrante e cheia de energia por muito tempo ainda. O segredo? Na verdade, há 15 pequenas mudanças que podemos fazer na nossa rotina diária para desacelerar os ponteiros do relógio. Conheça cada uma delas.

A terceira idade pode ser melhor do que você imagina. Veja 10 razões para não temer o envelhecimento.

  • 1 “COMA” O SEU REMÉDIO

    Você sabia que comer peixe uma vez por semana pode diminuir o risco de um infarto fulminante? A boa nutrição vai além de comer menos gordura. É saber a diferença entre gordura boa e ruim, prestando mais atenção à variedade e às proporções dos alimentos que podem ser ingeridos e fazendo das boas escolhas nutricionais um hábito. Se você teve hábitos ruins por um longo período da vida, não conseguirá mudá-los da noite para o dia, mas obterá sucesso se melhorar a dieta aos poucos.

    vaaseenaa/ Istock
  • 2 MOVIMENTE-SE

    Manter-se fisicamente ativo pode ser a melhor coisa a se fazer para proteger a saúde. Até quantidades moderadas de exercícios – 20 minutos por dia – podem fazer muito bem, principalmente se forem regulares e incluírem todas as formas de exercício necessárias para se ter resistência, força, equilíbrio e flexibilidade.

    Vasyl Dolmatov/Istock
  • Benefícios dos exercícios físicos

    Praticar exercícios por 20 a 30 minutos na maioria dos dias da semana durante um ano pode propiciar esses benefícios à saúde:

    • 7 % de aceleração do metabolismo
    • 25% na melhoria da capacidade do corpo de processar a glicose do sangue.
    • 25% de diminuição do risco de morte decorrente de infarto ou de AVC.
    • 40% de queda do risco de morrer nos próximos 8 anos
    • 55% de melhoria da digestão.
    • 60% na redução do risco de se ter a doença de Alzheimer.

    BlindTurtle/iStock
  • 3 SUPLEMENTE A SUA DIETA

    Talvez você saiba que ingerir a quantidade correta das vitaminas C e E, de antioxidantes e de betacaroteno é uma das melhores formas de desacelerar o relógio. Mas há outros suplementos que deveria conhecer. A vitamina B12 é um deles, pois sua deficiência (comum nas pessoas com mais de 60 anos) pode resultar em demência e em perda de memória. O cálcio é outro exemplo, que protege contra a osteoporose e também pode ajudar a prevenir o tipo mais comum de AVC.

    artisteer/iStock
  • 4 VIGIE O PESO

    Sabemos que a obesidade pode levar a graves problemas de saúde e reduzir o tempo de vida, mas até 5 a 10 kg de peso extra podem representar um risco desnecessário, em especial se estiverem distribuídos na região da cintura. O metabolismo desacelera com a idade, portanto você não está queimando as calorias que costumava queimar, o que significa que é preciso cortar a quantidade de comida ingerida e aumentar os exercícios.

    Wand_Prapan/iStock
  • 5 SEJA BOM PARA OS OSSOS

    A mulher começa a perder a densidade óssea ao menos uma década antes da menopausa, portanto deve-se ingerir a quantidade diária necessária de cálcio e de vitamina D, parar de fumar e começar a fazer exercícios calistênicos agora. Quando se aproximar da menopausa, discuta a reposição hormonal com o médico. E, para os homens, os riscos aumentam mais devagar do que para as mulheres, mas, quando os homens atingem a faixa dos 70 ou 80 anos, o risco pode ser igual. Após os 60, uma em cada duas mulheres e um em cada três homens sofrerão fraturas relacionadas à osteoporose.

    Dirima/iStock
  • 6 FAÇA CHECK-UP

    Verificar a pressão arterial frequentemente pode ajudar a prevenir graves problemas cardiovasculares e renais. A vacina anual contra a gripe para quem tem mais de 60 anos pode evitar também as complicações que a acompanham. E você nunca irá se arrepender de detectar precocemente o câncer ou o diabetes, quando ainda há tempo de agir. Descubra quais exames deve fazer e com qual idade. E cole a lista na geladeira.

    AndreyPopov/iStock
  • 7 LIMITE A BEBIDA ALCOÓLICA

    É verdade que uma ou duas doses por dia podem reduzir os riscos de doença cardíaca e de AVC, mas não se deve começar a beber para obter esses benefícios. Os exercícios físicos e a dieta podem ajudar a alcançar os mesmos resultados. Além disso, quanto mais velho, mais o álcool o afeta. Beber uma taça de xerez e depois uma de vinho no jantar pode fazer bem para quem tem 40 ou 50 anos, mas talvez não seja uma boa ideia para quem tem 70, por causa do metabolismo mais lento. Abusar das bebidas alcoólicas pode aumentar o risco de câncer de mama.

    Ridofranz/iStock
  • 8 DIGA NÃO AO CIGARRO

    Infarto, AVC, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e câncer são as principais causas de morte no mundo, e fumar é um fator contribuinte significativo. Se você fuma e quer viver, então pare antes de pensar em fazer qualquer coisa. Não importa quantas vezes você tentou parar antes: desta vez pode funcionar se você conseguir toda a ajuda de que precisa.
    Quanto ao fumo passivo, ficar em ambientes repletos de fumaça pode abreviar a sua vida. Já se estimou que inalar fumaça por uma hora equivale a fumar quatro cigarros.

    LumineImages/Istock
  • 9 PRESTE ATENÇÃO AOS MEDICAMENTOS

    Talvez você se pegue tomando vários remédios à medida que envelhece. O principal problema com essa “farmácia particular” é o maior risco de interações entre medicamentos, alimentos, bebida alcoólica e ervas. Você sabia que o uso de álcool com paracetamol pode causar dano ao fígado; que um em cada quatro casos de impotência pode ser consequência de efeitos colaterais medicamentosos; que, conforme envelhecemos, ficamos mais sensíveis à medicação e precisamos de doses menores? Não dá para não se manter informado sobre isso.

    artisteer/iStock
  • 10 EM CASA

    No grupo de pessoas acima de 65 anos, uma grande proporção de mortes provocadas por causas externas resulta de quedas e suas complicações. Essa proporção aumenta com a idade: de cerca de 15% das mortes sendo resultado de causas externas entre os idosos de 65 a 69 anos para aproximadamente 75% entre aqueles com 85 anos ou mais. Para reduzir o risco, arrume a bagunça, elimine outros perigos de casa, certifique-se de que haja iluminação adequada (em especial à noite) e exercite-se para melhorar a força e o equilíbrio.

    deborah cortelazzi/Unsplash
  • 11 EVITE O ESTRESSE

    Conforme envelhecemos, tendemos a experimentar novos tipos de estresse. É possível que tenhamos mais responsabilidade do que nunca no trabalho, pais idosos para cuidar ou gastos médicos com que se preocupar. Talvez a aposentadoria não seja a imaginada ou surge a solidão após a morte do cônjuge ou do(a) parceiro(a). É possível que o estresse crônico aumente o risco de doenças cardiovasculares, de câncer e de problemas digestivos, podendo também esgotar a memória. Aprender a lidar com o estresse pode, na verdade, ajudar a viver mais. Pessoas que viveram até os 100 anos parecem ter tido maneiras melhores de lidar com o estresse.

    humonia/iStock
  • 12 TENHA PENSAMENTOS JOVIAIS

    Para permanecer ativo, é preciso estar engajado na vida e se livrar de rotinas antigas. Então encontre uma paixão ou um propósito e persiga este objetivo. Envolva-se em um trabalho voluntário. Tente um novo tipo de alimentação, cultive um jardim ou adote um animalzinho. Também é importante se desafiar. Aprender novas habilidades pode estimular novas conexões cerebrais.

    rez-art/iStock
  • 13 PRESERVE OS DENTES BRANCOS

    Se quiser conservar os dentes em vez de usar dentadura, é bom ir ao dentista e fazer uma limpeza uma ou duas vezes ao ano. Escovar os dentes e passar fio dental diariamente também são importantes. As doenças periodontais podem espalhar a infecção pelo corpo e roubar anos de vida.

    dulezidar/iStock
  • 14 DURMA O SUFICIENTE

    Um sono profundo e tranquilo pode ser ainda mais difícil quando envelhecemos. No entanto, um sono apropriado é fundamental para envelhecer de forma correta. O sono já foi fortemente associado ao funcionamento adequado do sistema imunológico e também à saúde cardiovascular. Aprender mais sobre a mudança nos padrões do sono e sobre como aperfeiçoá-los pode melhorar a qualidade e o tempo de vida. Além do sono, é possível restaurar a mente e o corpo aprendendo como relaxar e fazendo isso com mais frequência.

    MangoStar_Studio/iStock
  • 15 FIQUE SOCIALMENTE LIGADO

    Manter os laços com a família e os amigos é muito mais importante do que se pensava. Na verdade, já se provou clinicamente que ter uma vida social contribui para a longevidade e reduz a necessidade de consultas a médicos e idas a hospitais. Se tiver um sistema de apoio, você estará mais propenso a suportar dores físicas, estresses e problemas emocionais – e terá mais alegria na sua vida. Com quanto mais pessoas você conversar diária ou semanalmente, melhor.

    monkeybusinessimages/iStock

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!