Muitas pessoas sabem da importância de seguir uma dieta balanceada. Mas o que isso realmente significa para a saúde e para o cérebro? Com que devemos alimentar a nossa mente? Quais são os melhores alimentos para o cérebro? É provável que você nunca pense no seu cérebro quando faz as compras no mercado. Porém, pesquisas mostram que comer mais porções de determinados alimentos e menos de outros pode melhorar as habilidades cerebrais e até eliminar o risco de declínio cognitivo.

Cada coisa que o seu cérebro faz requer energia e nutrição provenientes apenas dos alimentos. Isso significa que a capacidade de sentir-se bem, de pensar com clareza e de manter a memória afiada depende, até certo ponto, do que se come no café da manhã, no almoço e no jantar. Alimentar-se bem é fundamental! Portanto, descubra os nutrientes mais importantes para manter a sua função cerebral sempre ágil e saudável.

marilyna/iStock

Nutrientes que melhoram o cérebro

É claro que não há alimentos “milagrosos” que vão tornar alguém um gênio da noite para o dia ou garantir que não haja o desenvolvimento de demência, mas, para manter o cérebro saudável ao longo da vida, é essencial um bom equilíbrio entre carboidratos, gorduras e proteínas, além de vitaminas e minerais. Uma dieta bem balanceada pode ajudar a proteger as faculdades mentais.


a_namenko/iStock

Carboidratos

Os carboidratos fornecem energia e, como o cérebro consome um quinto de toda a energia de que o corpo precisa, são muito importantes para o funcionamento da mente. Durante a digestão, eles são convertidos em glicose, que é armazenada sob a forma de glicogênio. A glicose e o glicogênio agem como combustível para todos os processos do organismo, incluindo a atividade cerebral. Diferentemente dos músculos, o cérebro só consegue armazenar quantidades muito pequenas de glicogênio.


Aneta_Gu/iStock

Carboidratos de absorção lenta

Alimentos com amido – carboidratos complexos – devem ser a base das refeições. Muitos ainda acreditam que pães, batatas e arroz engordam e por isso devem ser evitados. Na verdade, eles são fontes de carboidratos complexos – nutrientes que fornecem cerca da metade da nossa ingestão diária de energia.

Os carboidratos complexos são decompostos e digeridos devagar para proporcionar um fornecimento estável de glicose, diferentemente dos carboidratos simples (açúcares), que são digeridos com rapidez e fazem com que uma grande quantidade de glicose seja lançada na corrente sanguínea. A resposta a isso é a liberação de insulina. O cérebro é então inundado e acaba sentindo falta de glicose essencial, o que pode ocasionar mudanças de humor, tontura, dor de cabeça, ansiedade e sonolência.


rodrigobark/iStock

Boas fontes de carboidratos complexos são: